19.01.2017 / Cultura / por

Em entrevista exclusiva, Damien Chazelle dedica La La Land aos sonhadores

Divulgação
Divulgação

Por Luísa Graça

“É um pouco surreal finalmente mostrar um filme que esteve na minha cabeça por tanto tempo”, diz o jovem Damien Chazelle, roteirista e diretor de La La Land – Cantando Estações, sem esconder o sorriso no rosto, um dia depois da première mundial do musical no Festival de Veneza. “Preciso me beliscar para ter certeza de que estou mesmo vivendo isso”.

Depois de muitas e muitas tentativas frustradas para alavancar o projeto seis anos atrás, Chazelle acabou partindo pra outra e escreveu e rodou o ótimo Whiplash – Em Busca da Perfeição, cujo sucesso foi tão grande que, claro, viabilizou a possibilidade de filmar seu sonho technicolor – de quebra, com atores tão talentosos quanto hypados como são Emma Stone e Ryan Gosling.

Damien Chazelle e Emma Stone em photocall em Veneza / Divulgação - ASAC
Damien Chazelle e Emma Stone em photocall em Veneza | ©Divulgação – ASAC

La La Land é um filme muito diferente de Whiplash. Mas os dois lidam com uma questão muito pessoal para mim que é encontrar equilíbrio entre vida e arte, realidade e sonho e também, especificamente, como balancear seu relacionamento com a arte e seu relacionamento com outras pessoas”.

+ Os detalhes do figurino de La La Land

Em entrevista exclusiva ao FFW, que você confere no vídeo abaixo, o americano conta que o longa em si foi um exercício de equilíbrio, navegando entre temas como esperança e frustração e tomando um gênero do passado para contar uma história contemporânea. Mas, acima de tudo, dedica LLL àqueles que, assim como ele, sonham alto, duvidam de si mesmos e acabam realizando seus sonhos de maneira inesperada.

La La Land – Cantando Estações estreia hoje nos cinemas.


Relacionados


Veja Também