10.11.2017 / Arte / por

Barbara Kruger abre pop-up com peças que provocam a marca Supreme

Loja pop up de Barbara Kruger em Nova York / Reprodução
Loja pop up de Barbara Kruger em Nova York / Reprodução

A artista Barbara Kruger está exibindo em Nova York um novo trabalho intitulado Untitled (The Drop), parte do projeto Performa Bienal que acontece simultaneamente em vários lugares de Nova York.

Trata-se de uma loja pop-up com camisetas, bonés e shapes de skate produzidos pela marca de streetwear Volcom e decoradas com slogans anticomerciais, como WANT IT, BUY IT, FORGET IT.

Naturalmente, esses slogans vêm em forma da arte gráfica que a tornou conhecida: a caixa vermelha com as letras brancas e que lembra muito o logo da Supreme. Ou melhor, o logo da Supreme que lembra a arte de Barbara Kruger. Com essa instalação, ela bate direto na Supreme, que se apropriou de sua estética anos atrás. captura-de-tela-2017-11-10-as-13-13-01

A artista falou sobre o caso em 2013 pela primeira vez, chamando a Supreme de “uma estupidez de uns palhaços ridículos. Estou esperando que todos eles me processem por violação de direitos autorais”. Na época, a própria marca de streetwear estava processando a estilista Leah McSweeney, dona da Married to the Mob, que fez uma linha de camisetas onde lia-se Supreme Bitch.

Na loja de Kruger, as pessoas podem entrar na fila e uma vez lá dentro, podem ficar por 10 minutos vendo as peças e se quiser, sair de lá com um skate com a frase Don’t Be a Jerk por US$ 300.

Ela também lançou uma edição limitada de 50 mil cartões do metrô de Nova York em parceria com a Performa, com frases como “who speaks?”, “who is housed?”, “who is silent?” e “whose values?”.

Veja abaixo algumas das peças presentes no novo trabalho de Barbara Kruger:


Relacionadas


Veja Também