17.04.2018 / Arte / por

The Artist is Present: mostra da Gucci em parceria com Maurizio Cattelan fala sobre cópia x originalidade

Alessandro Michele no desfile de Inverno 19 da Gucci / Reprodução
Alessandro Michele no desfile de Inverno 19 da Gucci / Reprodução

Em primeira mão, o FFW traz o nome e o tema da próxima e mais nova exposição da Gucci. A partir do olhar minucioso e inovador do diretor criativo Alessandro Michele, ela se chamaThe Artist is Present e foi concebida em parceria com o artista italiano Maurizio Cattelan. 

Prevista para ser inaugurada no dia 10 de outubro na China, quando o “projeto de exposição transformará um sonho dentro de um sonho em realidade”, a mostra terá como pano de fundo os devaneios e imaginação característico dos sonhos de Cattelan, curador da mostra, mas envoltos em um contexto que questiona como a originalidade é, eventualmente, percebida como superestimada pelos curadores como objeto de estudo.

“Desde sua primeiríssima linha, The Artist is Present é um ato de apropriação. É o mínimo que você pode esperar de um projeto de exposição com curadoria de Maurizio Cattelan e impulsionado pela Gucci de Alessandro Michele”, diz o comunicado da marca. A história foca em projetos de artistas que propõem a simulação e a cópia como paradigma da cultura global. A mostra explora o modo como a originalidade pode ser alcançada por meio do ato de repetição, e como os originais em si podem ser preservados por meio das cópias.

Maurizio Cattelan no desfile de Inverno 19 da Gucci / Reprodução
Maurizio Cattelan no desfile de Inverno 19 da Gucci / Reprodução

Em tempos atuais, em que cópia, plágio, inspiração ou o que é ou não, de fato, original encontram-se em destaque, principalmente no universo da moda, o tema da mostra serve como uma luva que desconstrói muito do que se tem dito, por meio da exibição de projetos de artistas que tornam a simulação e cópia o foco da discussão e, ao mesmo tempo, o paradigma da cultura global.

A imersão física neste “reino da imitação”, visa, sobretudo, desconstruir valores antes identificados como obra de arte no mundo Ocidental, onde “originalidade, intenção, expressão e autoria, são desmantelados”. Em The artist is present a própria natureza do processo criativo acaba desconstruída, e com isto, a ideia de criação divina: a única crença continua sendo a convicção de que a originalidade definitivamente é superestimada.

O projeto tem a cara do trabalho artístico de Cattelan, que é conhecido por suas obras irônicas e satíricas, como La Nona Ora, em que mostra o Papa João Paulo II atingido por um meteorito.Ou a dança de um fofo coelhinho rosa, mas que na verdade é um pênis saltitante. Ou ainda a escultura do dedo do meio exposta na frente da Bolsa de Valores de Milão. Ele também fundou a Toilet Paper Magazine.

Maurizio Cattelan
Maurizio Cattelan

Certamente, The Artist Is Present será uma imersão tão forte em imagem quanto em reflexão. O vídeo completo, feito por Yuri Ancarani, está publicado no site Nowness.

 


Relacionadas


Veja Também