16.05.2018 / Moda / por

Anna Wintour defende vestido controverso de Scarlett Johansson no Met Gala

anna-wintour-scarlett-johansson-getty

À frente da organização do anual Met Gala, Anna Wintour, presidente do evento desde 1995 – viu seu nome receber ainda mais atenção nas redes nesta época do ano após marcar presença no The Late Show, de Stephen Colbert. O motivo, claro, muito teve a ver com os comentários sobre os looks desfilados no último dia 7 pelo red carpet do Met, em Nova York – sobretudo um em particular.

O tema em 2018, Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination, girou em torno da inspiração da religião católica no universo da moda e atraiu olhares não só ao look assinado por John Galliano para Maison Margiela vestido por Rihanna, mas também ao vestido escolhido por Scarlett Johansson da grife Marchesa, de Georgina Chapman – estilista britânica e ex-esposa de Harvey Weinstein.

Scarlett Johansson veste Marchesa no Met Gala 2018
Scarlett Johansson veste Marchesa no Met Gala 2018

A polêmica nas redes estava feita, mas não pela exuberância do vestido – discreto, por sinal – nem mesmo por Anna, que fez questão de se opor às críticas e rasgou elogios à escolha do look da atriz para o evento. Para ambas, Georgina não devia ser responsabilizada pelo histórico recente de Weinstein, envolto às diversas denúncias de assédio sexual que movimentaram Hollywood nos últimos tempos.

“Ela é uma designer brilhante. Acho que foi um gesto de apoio da parte de Scarlett usar um vestido lindo como aquele em uma ocasião tão pública”, afirmou Anna durante o programa.

Assista a entrevista completa abaixo.


Relacionadas


Veja Também