09.01.2018 / Moda / por

Conheça a italiana Myar, marca de Andrea Rosso com foco no upcycling de uniformes militares

Look da Myar / Reprodução
Look da Myar / Reprodução

Diretor criativo das marcas licenciados da Diesel, Andrea Rosso, filho de Renzo (fundador da grife italiana e do grupo OTB que detém marcas como Maison Margiela, Marni e Viktor&Rolf), é apaixonado pelo passado. Imagens históricas, roupas que sua avó costumava costurar, pôsteres e livros antigos são coisas que ele acha bem mais interessantes frente aos aparatos com os quais estamos acostumados hoje. Algo que sempre lhe chamou atenção foram as roupas militares, pela funcionalidade das peças, os materiais rigorosos e as padronagens camufladas.

Com a expertise que adquiriu vivendo toda sua vida nos bastidores de uma marca do tamanho da Diesel e pensando especificamente na paixão pelo estilo militar, Andrea uniu dois pilares para dar vida a mais um projeto pessoal: ressignificação e sustentabilidade. Surge então, a Myar, marca que faz upcycling de roupas militares e as reinterpreta com um olhar contemporâneo, aplicando ainda um twist do street style atual. “Myar destaca a estética e o design funcional das peças, colocando-as em um contexto ‘pacífico’, ao contrário do que elas foram originalmente projetadas”, define Andrea à Vogue Itália. A marca, cujas peças têm na etiqueta o escrito “uma visão moderna do passado”, também cria peças do zero e seu nome tem a ver com as iniciais do fundador (AR) assim como a palavra Army rearranjada.

O italiano e sua equipe visita regularmente depósitos em países como Itália, Inglaterra e Estados Unidos, onde encontram milhares de uniformes militares “originais”, principalmente vindos da II GM.

Como são roupas provindas da Guerra, o estilo original é mantido. Porém, cada peça é analisada e suas proporções atualizadas. Se alguma interferência for necessária, pedaços de tecidos de estoque morto também são utilizados. Isto porque os uniformes daquela época tinham sua própria silhueta. “Em termos do look de alfaiataria, os uniformes ingleses são os melhores. Eles foram estudados muito bem no que diz respeito à construção”, diz o designer à revista Wallpaper.

Para Andrea, atingir o tamanho da empresa de seu pai é algo que passa bem longe de seus planos. “Uma grande empresa tem necessidades completamente diferentes em comparação a uma pequena start-up”, explica. “Gosto do fato de tomar minhas próprias decisões sobre as coisas”.

Depois de desfilar em Milão, a Myar estreia na próxima semana masculina de Paris.


Relacionadas


Veja Também