09.05.2018 / Moda / por

Discriminação dentro de loja da Balenciaga faz chineses boicotarem a marca

balenciaga-second-apology-printemps-chinese-customers-kering-1

A Balenciaga tem recebido pedidos de boicote por conta de uma denúncia séria de discriminação que movimentou as redes sociais nas últimas semanas.

O buzz girou em torno de um curto flagra postado no Weibo – uma das redes sociais mais populares na China. Nele, vemos clientes chineses sendo agredidos por seguranças dentro do corner da Balenciaga na Printemps, loja de departamento em Paris, no dia 25.04 – não fica claro se são funcionários da Balenciaga ou da Printemps.

Olha a confusão que aconteceu. Uma das clientes envolvidas postou seu desabafo que foi traduzido pelo site Jing Daily: “Estou tremendo de raiva. Chineses que vivem no exterior são sempre minoria. Eu pego fila pra comprar o tênis Triple S da Balenciaga todos os dias, mas os clientes franceses passam na minha frente todos os dias e eu não posso fazer nada. Hoje, uma senhora chinesa chamou a atenção de quatro pessoas que tentavam furar a fila. Um deles empurrou ela e ainda ameaçou bater. Até que o filho dela veio para proteger sua mãe e foi agredido por eles. Um segurança francês apareceu para apartar a briga, mas segurou apenas o rapaz chinês, que estava sozinho. O caos fez com que a liquidação fosse cancelada. Os funcionários ainda nos pediram para sair e nunca mais voltar”.

Por conta do incidente, uma hashtag pedindo boicote da marca virou trending topic no Weibo, com mais de 20 milhões de views.

A Balenciaga levou quatro dias para emitir seu comunicado sobre o ocorrido em sua loja.

“A Balenciaga está firmemente comprometida com os valores da igualdade e diversidade e se posiciona fortemente contra qualquer tipo de discriminação. Como tal, a grife considera muito sério o incidente que aconteceu em uma loja de departamentos de Paris. Trabalhando em colaboração com a Printemps, a Balenciaga está investigando o assunto minuciosamente e tomando medidas para evitar recorrências semelhantes”, diz um dos trechos da nota oficial.

A grife, por fim, além de temporariamente suspender a equipe de gerência presente na loja até que se concluam as investigações, aproveitou para anunciar um novo sistema de lançamento de produtos “alinhado aos valores da marca em suas butiques, com vistas à melhorar a experiência de compra do cliente, reduzir o tempo de espera e não permitir que casos como esse se repitam”.

Todos sabem da importância do consumidor chinês para a indústria de luxo – além do fato de que muita coisa é produzida na China, inclusive o tênis Triple S. Mas o mais importante é a confirmação de que as pessoas estão tendo cada vez mais dificuldade de conviver entre si, discriminando pessoas de outros grupos, trocando respeito por violência e, o pior, por causa de (mais) um tênis pro seu guarda-roupa.

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×