17.02.2017 / Moda / por

Marc Jacobs mostra a evolução do estilo hip hop e fecha semana de NY com chave de ouro

captura-de-tela-2017-02-17-as-06-39-55

Inspiração

Quem assistiu à série Hip Hop Evolution no Netflix mata logo de cara a inspiração do desfile de Marc Jacobs. Ele a menciona no início do release que escreveu em primeira pessoa:

“Há alguns meses, eu assisti à série Hip Hop Evolution, que fala sobre o movimento cultural que redefiniu a linguagem da música e que abriu espaço para toda uma nova linguagem de estilo.Essa coleção é um gesto e reconhecimento do meu respeito por uma geração que sempre será a fundação do street style da cultura jovem”.

+ Veja o desfile completo aqui

Coleçãodesfile-marc-jacobs-colecao-2

Elementos ícones do hip hop dos anos 70 ganharam sua versão à la Marc Jacobs: jaquetas com pelo de carneiro, abrigos esportivos, calças mais soltas, golas altas, correntes douradas (essas feitas pelo artista Urs Fischer) e chapéus de Stephen Jones. É uma das coleções mais usáveis de Jacobs, que mostrou lindamente a evolução do estilo hip hop. As peças combinadas compõem uma imagem forte de moda, mas vistas individualmente, são totalmente usáveis. Vale destacar as bolsas, em diversos tamanhos, penduradas no pescoço ou carregadas nas mãos. Vão fazer sucesso.

Nova maniadesfile-marc-jacobs-calcas

A temporada masculina já trouxe essa novidade das calças mais largas. Este desfile confirma que a skinny deve finalmente abrir espaço para calças mais largas, uma silhueta mais relax e com forte pegada streetwear.

Cenáriocaptura-de-tela-2017-02-17-as-08-19-42

Os desfiles de Marc sempre foram associados a grandes cenários, tanto nos seus quanto nos que fazia para a Louis Vuitton. Desta vez, a história foi “menos é mais” e Marc fez da sua coleção a única estrela do show. A apresentação aconteceu no Park Avenue Armory, um prédio histórico e gigante de 1880. Não houve música nem cenografia. No meio daquele vasto espaço, apenas duas filas de cadeiras, uma de frente para a outra e bem próximas, que corriam toda a extensão do local, de forma que a roupa (com o lindo styling de Katie Grand) passava muito perto dos convidados. Com rumores de que a marca não está em seu melhor momento financeiramente, Marc pode ter tido um corte na verba para o desfile ou simplesmente ter feito como uma provocação aos executivos do grupo LVMH. Se isso fez alguma diferença, foi apenas positiva: essa foi uma das apresentações mais fortes e verdadeiras de Marc Jacobs e um momento único na semana de moda de Nova York.

Vai pra rua!

©Agência Fotosite
©Agência Fotosite

As modelos saíam do Armory direto para a rua, onde posicionavam-se em cadeiras com o nome de cada uma delas ou de pé com caixas de som como fundo, em referência aos paredões de boombox das festas de rap. Uma vez do lado de fora, o fotógrafo Joel Meyerowitz, 78, pioneiro da fotografia de rua, aguardava para registrar o momento. E assim termina o desfile, com Marc e as meninas na rua, os taxis amarelos passando ao lado, motoristas buzinando, pessoas espiando, a vida como ela é acontecendo. Fez todo o sentido uma coleção inspirada por um movimento tão associado às ruas acontecer desta forma.

A cena era tão incrível que as modelos sacaram seus celulares de dentro de bolsos e das bolsas do desfile para fazer suas selfies e fotos do final.

Trilha

Apesar das grandes caixas de som na sala do desfile, as modelos andaram sem nenhuma música. Somente ao final do show, entra a faixa Walk on By, de Isaac Hayes, música de 1969 de um dos principais representantes da cena soul, cantor, compositor, produtor e um dos fundadores do selo Stax Records. Uma pequena curiosidade sobre Hayes: ele também fazia a voz do personagem Chef, de South Park.

Casting

Winnie Harlow ©Agência Fotosite
Winnie Harlow ©Agência Fotosite

Vale mencionar Alek Wek, Adwoa Abowa, Lineisy Montero e Winnie Harlow (a modelo com vitiligo que apareceu primeiro na campanha da Diesel) para mostrar a diversidade do casting. Alek é uma modelo das antigas, que praticamente não desfila mais. Adwoa está ganhando cada vez mais espaço (capa da Vogue americana este mês) muito por causa do site Gurls Talk, que aborda diversas questões do universo feminino. Lineisy é da República Dominicana e desde que surgiu não para de trabalhar e faz desfiles importantes como Chanel. E o fato de Winnie estar na passarela do principal desfile da semana de NY é um ótimo sinal. Em outros tempos, ela (que relatou já ter sido chamada de zebra e de vaca por conta de suas manchas) não teria tido essa oportunidade: de se sentir bonita do jeito que é e ser reconhecida por isso. Também desfilaram Kendall Jenner, Julia Nobis e Hanne Gabi. A diversidade ganhando espaço nas passarelas. No desfile de Michael Kors, a modelo gordinha Ashey Garham desfilou e arrasou.

Slick Woodscaptura-de-tela-2017-02-17-as-06-36-33

Olho nela! Slick (nome verdadeiro Simone Thompson) abriu o desfile de Marc e ganhou foto elogiosa nos perfis dele e de Katie Grand (stylist) no Instagram. Slick tem quase 100 mil seguidores na rede social, faz rap nas horas vagas e surgiu na moda no ano passado, fotografando ensaios para revistas como i-D, V Magazine e Purple. Nesta temporada também desfilou para Jeremy Scott. Com sua cabeça raspada e os dentes da frente separados, Woods tem uma energia contagiante e está virando a nova  obsessão da moda.

Videocaptura-de-tela-2017-02-17-as-09-13-01

No site de Marc Jacobs há um ótimo vídeo que mostra o desfile acontecendo simultaneamente dentro e fora e takes dos convidados saindo para as ruas, inclusive uma sorridente Anna Wintour. Veja o video aqui

 


Relacionadas


Veja Também