27.01.2017 / por

Dossiê FFW: os hits da temporada internacional masculina para o Inverno 18

Juun.J, Balmain, Craig Green, Rick Owens e Y-3 na temporada masculina de Inverno 18 ©Montagem
Juun.J, Balmain, Craig Green, Rick Owens e Y-3 na temporada masculina de Inverno 18 ©Montagem

Com colaboração de Guilherme Meneghetti

Power suit

Pode ser que a onda conservadora que surgiu com força no mundo (Brexit, Trump…) tenha inspirado o mercado masculino. Nos desfiles, ternos poderosos apareceram em praticamente todas as marcas, completos com pastas e bolsas. Alguns dos melhores momentos vêm de marcas que não são estritamente clássicas ou de alfaiataria, como Rick Owens e Dries Van Noten. Wales Bonner e Balenciaga também se destacaram, adicionando sua estética aos ternos.

Almofadados

Mais uma temporada forte em casacões almofadados e puff jackets, adaptadas a estilos mais urbanos. Para o inverno rigoroso, nada melhor que as doudounes, blusas almofadadas que, além de serem superconfortáveis, o tecido sintético que as compõe é impermeável. Das jaquetas aos sobretudos, o mood oversize que paira na moda permite que sejam bem grandes – quanto maior, melhor.

Tricôs e tramas

Os tricôs do próximo inverno possuem pontos grandes. As tramas podem ser entrelaçadas, geralmente formando losangos com tamanhos variados – caso da Balmain, Facetasm, Juun J., Kolor e Kenzo –, ou uniformes, formando pequenos quadrados, como os de Chalayan, Christopher Raeburn e Ermenegildo Zegna.

Xadrez

Príncipe de Gales em suas variações, em peças de alfaiataria na maioria das vezes, mas também em boas jaquetas e calças mais esportivas. Wales Bonner e Sunnei usaram a padronagem dos pés à cabeça, destacando um ponto de cor nos acessórios ou em peças sobrepostas; já Paul Smith dá um toque fun ao misturar diferentes tipos de xadrez e a marca E. Tautz usa o xadrez em uma peça equilibrando o look com cores semelhantes. Os estilistas mostraram bem a diversidade de um dos clássicos do guarda-roupa masculino.

Veludo

Os veludos apareceram, em sua grande maioria, lisos, como os da Berluti, Craig Green, Christopher Shannon, Dior e Facetasm, mas também houve espaço para os estampados, como os da Etro e Dolce & Gabanna. A Prada trouxe o corduroy de volta enquanto muitas marcas misturaram o veludo, molhado ou mais estruturado, a outros materiais.

Gola alta

Para quem quiser deixar o cachecol em casa, as marcas apostaram forte em golas altas, algumas com a opção de se destacar das peças. O tamanho e a espessura também variam, de uma cobertura mais leve a maxi golas super protetoras.

Pano pra manga

Ainda na onda que pegou força com a Vetements, as mangas extralongas vieram para ficar no inverno, uma vez que, de fato, elas têm uma utilidade além da questão estética. Jaquetas, tricôs, moletons e camisetas apareceram com as mangas bem além dos punhos.

Verde musgo

Cor muito presente na temporada masculina por várias razões: é versátil para o homem usar, fica bem com diversas combinações, é um tom masculino (até mesmo por sua proximidade com o verde militar) e facilmente encontrado em marcas de todos os nichos. Nesta estação não foi diferente e o musgo aparece sozinho ou junto a outros tons de verde e terrosos.

Laranja intenso

Um dos tons mais fortes vistos na passarela, ainda com mais destaque do que o vermelho e o azul. O laranja foi muito usado sozinho ou combinando verdes mais fechados e acinzentados. Cor positiva e vibrante para iluminar os dias fechados do inverno.

Camelo

Assim como o verde musgo, o tom que nos acostumamos a chamar por camelo faz parte de uma cartela de cores que vem dos terrosos, uma das grandes tendências desta temporada, além de ser um tom clássico e atemporal. Ele está em jaquetas, calças, sobretudos e em ternos monocromáticos.


Relacionados


Veja Também