21.02.2020 / Cultura / por

Documentários premiados para você ver no feriado de Carnaval

Cena de Minding the Gap / Reprodução
Cena de Minding the Gap / Reprodução

Para quem não vai enfrentar a maratona de blocos, preparamos uma lista com cinco ótimos documentários, a maior parte deles premiados, que abordam assuntos distintos, de música a skate, passando por uma guerra civil na Síria. Alguns estão disponíveis no Netflix e Youtube, enquanto outros por enquanto só em canal pago (mas a gente garante que vale o “ingresso”). Divirta-se!

Minding the gap

Direção: Bing Liu

História: Bing Liu era um adolescente skatista quando resolveu começar a filmar seus amigos andando de skate pelas ruas de Rockford, em Illinois. Mas o que começou mais como uma brincadeira ingênua, transformou-se em uma história complexa a medida que os meninos (Keire, Zack e Bing) atravessavam a adolescência até a idade adulta, convivendo com as sombras de seu passado e como eles lidam com a violência em suas vidas, presente de formas diferentes na história dos três. A intimidade que Bing tem com seus amigos de infância só torna o filme mais interessante e bonito. É um filmaço e a estreia de Bing Liu na direção.

Prêmios: Em 2018 foi indicado ao Oscar e ao Emmy e a muitos outros festivais ao redor do mundo. Entre os prêmios, venceu o Critics’ Choice Documentary Awards, o Film Independent Spirit Awards, o New York Film Critics Circle Awards e o Prêmio Especial do Juri em Sundance.

 Onde assistir: No canal pago de documentários Philos e no canal Off para assinantes.

For Sama

Direção: Waad al-Kateab

História: Filme espetacular de denúncia, dirigido por uma então jovem estudante de Aleppo, na Síria. Waad começou a filmar a vida numa cidade sob bombardeio constante no período que ficou conhecido como a Batalha de Aleppo (2012 a 2016). O governo ditador, que tinha apoio da Rússia e de grupos terroristas como o Hezbollah, bombardeou a cidade matando mais de 30 mil pessoas (entre elas, 5 mil crianças). Waad filma com enorme coragem os atendimentos no único hospital que sobrou, dirigido por seu marido, e também o cotidiano das famílias na cidade, que buscam manter a vida o mais normal possível sem saber onde a próxima bomba vai cair. Trabalho incrível de uma jovem mulher altamente inspiradora.

Prêmios: Indicado ao Oscar 2020; venceu como melhor doc no Bafta (British Academy Film Awards) e no British Independent Fim Awards (também como melhor diretora, melhor filme independente, melhor música e edição). O filme teve sua estreia mundial no festival South by Southwest em 2019, onde ganhou o prêmio do Júri.

Onde assistir: Por enquanto no Now (tem que pagar pelo filme), mas deve estrear este ano no Brasil.

Underdogs

Direção: Téo Frank

História: Téo tinha apenas 18 anos e era um aspirante a diretor quando decidiu tentar a sorte e viajar para fazer um filme. Um encontro casual com o fotógrafo Mason Strehl, no Alasca, o levou a Nova York, onde ele conheceu artistas de hip hop que não faziam parte da indústria da música. Lá, ele teve a chance de trabalhar com os artistas underground de hip hop Awon, Phoniks, Tiff the Gift e Dephlow. O filme deu voz a esses talentos e também iniciou a trajetória de Frank como um promissor jovem diretor.

Prêmios: Melhor documentário de música no Los Angeles Film Festival; indicado a melhor documentário no Lift Off London, ambos em 2018.

Onde assistir: Estreou há pouco no Netflix.

Jim & andy

Direção: Chris Smith (com produção do diretor Spike Jonze)

História: Prepare-se para uma história absurda (de gargalhar em alguns momentos). Esse filme revela as imagens até então escondidas de quando Jim Carrey teve um surto (não sei que outra palavra usar) ao interpretar o comediante Andy Kaufman no filme Man on the Moon, de 1999, dirigido por Milos Forman. Carrey permaneceu no personagem durante toda a filmagem como Kaufman ou ainda como seu alter ego  Tony Clifton. E transitava pelas personalidades desses dois homens mesmo quando não estava filmando, deixando a equipe do filme completamente enlouquecida. Com trilha do REM e participação breve de Michael Stipe.

Prêmios: Nomeado ao Emmy e ao Festival de Veneza e vencedor do Los Angeles Film Critics Society Awards.

Onde assistir: Netflix

The Making of Rushmore

Direção: Eric Chase Anderson (irmão de Wes Anderson)

História: Uma pérola disponível no Youtube que mostra os bastidores da filmagem de Rushmore (1988), segundo filme de um então aspirante a diretor chamado Wes Anderson. Com uma câmera na mão, seu irmão registrou a personalidade original e ambiciosa de Wes, além de captar reflexões de Bill Murray e do entãodesconhecido Jason Schwartzman, dois atores que trabalham com o diretor até hoje. Rushmore foi o filme que catapultou Wes para a fama. vencendo como Melhor Diretor no Spirit Awards de 1999.

Prêmios: Essa é a exceção da nossa lista, mas é um prêmio em si para os fãs de Wes Anderson.

Onde assistir: Acima a parte 1. A parte 2 está aqui.


Relacionados


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×