18.10.2016 / Cultura / por

Novo filme de Richard Linklater com foco nos anos 80 estreia no Brasil

BLAKE JENNER COMO JAKE E TEMPLE BAKER COMO PLUMMER EM EVERYBODY WANTS SOME!! ©REPRODUÇÃO
BLAKE JENNER COMO JAKE E TEMPLE BAKER COMO PLUMMER EM EVERYBODY WANTS SOME!! ©REPRODUÇÃO

Volte para os filmes de colégio dos anos 80, com estudantes atletas e bonitões obcecados por sexo e não muito inteligentes. Se pensarmos em Boyhood e na trilogia de Antes do Amanhecer, este não parece o roteiro do novo filme de Richard Linkater. Não só é, como também foi inspirado em uma época que o próprio diretor viveu, como atleta do time de baseball de seu colégio no Texas.

Assim como a adolescência do diretor, Everybody Wants Some (que aqui ganhou o título Jovens, Loucos e mais Rebeldes) também se passa no Texas e estreou em março no festival South by Southwest, em Austin… Texas.

Quem gostou do épico-intimista Boyhood pode, de cara, achar esse uma obra menor. É uma comédia que mostra, basicamente, como é ser jovem e homem em uma universidade americana. Eles ficam loucos, fazem farra, xavecam, transam, fazem festas e até se entediam, mas também percebemos que eles não têm nenhum outro lugar para ir, no sentido de não ter planos pós graduação. É um presente eterno, sem conseguir imaginar, muito menos planejar, o futuro, já que são poucos os meninos que de fato irão continuar no esporte com sucesso e entrar nas major leagues.

“Queria mostrar a competitividade daquele universo cheio de testosterona. Olhando pra trás, eu nunca mais estive em um ambiente tão masculino e percebo hoje que foi uma época interessante. Esses meninos têm uma janela privilegiada que a cultura americana dá a eles por serem atletas. E de repente, boom! Acabou. Uma coisa que é tão importante pra você, acaba do nada. Nesse sentido o esporte pode ser muito cruel”, diz o diretor em entrevista ao Independent.

 

Linklater começou a escrever o roteiro em 2005, tentou financiar em 2009, mas não conseguiu levar a história pra frente. Em muitas entrevistas, ele conta que Everybody é uma “sequência espiritual” de Boyhood porque ele começa justamente onde Boyhood termina, com o menino chegando na faculdade e conhecendo seus novos amigos e uma menina. O garoto em questão é Jake (Blake Jenner), novato que chega na casa dos caras populares do baseball e a partir daí entra em uma nova jornada em sua vida.

“Comecei a pensar nesse filme na mesma época que Boyhood e durante todos esses anos, ele ficou passando por um processo próprio, mas de alguma maneira, eu já sentia que haveria essa conexão”. Vale destacar a atenção aos detalhes da época. O figurino, com as camisetas brancas com a gola colorida e os shorts curtos, a lavagem das calças jeans, os cabelos, a atitude, tudo está lá cuidadosamente controlado.

Ao mesmo tempo, o filme tem muita energia e uma trilha eletrizante que traduz bem o espírito do filme, com clássicos dos anos 80, como My Sharona, do The Knack, Rapper’s Delight, do Sugar Hill Gang, Heart Of Glass, de Blondie, Another One Bites The Dust, do Queen, Cars, do Gary Numan e Everybody Wants Some!, do Van Halen, faixa que dá o título do filme. Ainda tem Patti Smith, Devo, Donna Summer, Kool & the Gang, Pink Floyd…

“Fico escutando centenas de músicas da época e vou juntando faixas. Isso ajuda a trazer memórias antigas daqueles dias, a relembrar o espírito e a atitude que precisamos. E é divertido também observar as músicas que os atores gostam mais e como eles reagem a elas”, diz Linklater.

É divertido de assistir e com certeza também foi divertido de fazer. Everybody Wants Some!! estreia nesta quinta no circuito brasileiro.


Relacionados


Veja Também