23.03.2017 / Cultura / por

Super elenco, lindas imagens, cenas com Iggy Pop e Patti Smith e + sobre Song to Song, novo filme de Terrence Malick

Rooney Mara em uma das imagens típicas criadas por Terrence Malick ©Reprodução
Rooney Mara em uma das imagens típicas criadas por Terrence Malick ©Reprodução

Um dos filmes mais aguardados deste semestre é Song to Song, o novo de Terrence Malick (Além da Linha Vermelha e A Árvore da Vida), que teve premiere neste mês no festival SXSW, em Austin (Texas). O filme acabou de estrear nos cinemas americanos e ainda não tem data de lançamento no Brasil. Malick mora em Austin e tem acompanhado a cena cultural que transformou a cidade na última década. Song to Song conta – ao seu estilo, com menos diálogos e mais voice over – a história de dois casais que se cruzam tendo como cenário os festivais SXSW e Austin City Limits. Fragmentos de imagens misturam-se a momentos desconectados vistos a partir da perspectiva de vários personagens.

Casting

Patti Smith em cena com Rooney Mara em Song to Song ©reprodução
Patti Smith em cena com Rooney Mara em Song to Song ©reprodução

Um super elenco foi catalizador para que Song to Song virasse um buzz, ainda mais tendo atores importantes do nível de Cate Blanchett em papeis secundários. Os quatro personagens centrais são vividos por Ryan Gosling (BV), Michael Fassbender (Cook), Natalie Portman e Rooney Mara (Faye), mas Holly Hunter, Lykke Li e Val Kilmer também participam. E ainda: Patti Smith, Iggy Pop, Florence Welch, Anthony Kiedis e Johnny Lydon fazem pontas rápidas.

Música

Ryan Gosling e Likke Li em cena do filme ©Reprodução
Ryan Gosling e Likke Li em cena do filme ©Reprodução

Com essa turma, é de se esperar que o filme também será uma viagem musical. As cenas do SXSW e do Austin City Limits compõem o belo visual, mas a música acaba servindo apenas como decoração, já que o longa mostra pouco dos shows em si: um pouco de Iggy Pop aqui, um pouco de Red Hot ali… BV, personagem de Ryan Gosling, é compositor, mas nunca ouvimos o que ele faz. Faye aparece no palco com uma guitarra, mas não ouvimos um acorde.

Críticas

Cook, personagem de Michael Fassbender, com Iggy Pop ©Reprodução
Cook, personagem de Michael Fassbender, com Iggy Pop ©Reprodução

E esta questão é uma das principais críticas ao filme, que dividiu os especialistas. A Rolling Stone criticou a atuação sem graça de Rooney Mara e escreveu: “que chatice que o diretor nos dá um passe VIP pro melhor do festival e então nos recusa a deixar assisti-los se apresentar. A incrível Patti Smith está reduzida a um diálogo com a infeliz Faye (Rooney Mara). Esse filme atinge todas as notas erradas”. Já o The Guardian descreve como “uma belíssima e melancólica invasão de imagens, que desorientam os sentidos a cada passo”. A revista especializada Variety escreveu: “este é apenas o mais recente filme de Malick, que ameaça minar o gênio e o mistério de seus melhores trabalhos”. Já o The Independent chama o filme de “masterpiece” e o avalia com cinco estrelas. Por conta das imagens lindas intercaladas, e uma narrativa considerada fraca em comparação a trabalhos anteriores, não faltaram comparações com um anúncio da Guerlain que Malick dirigiu recentemente com Angelina Jolie.

Trailers

Curiosidades

Richard Linklater, Michael Fassbender e Terrence Malick em conversa no SXSW ©Reprodução
Richard Linklater, Michael Fassbender e Terrence Malick em conversa no SXSW ©Reprodução

Terrence Malick raramente dá entrevistas e é discreto em relação a sua vida pessoal. No lançamento no SXSW, ele deu uma canja e participou de um Q&A com Michael Fassbender mediado por Richard Linklater. Lá ele disse que Song to Song quase virou um seriado – seu primeiro corte na edição ficou em oito horas. “Pensei seriamente: será que isso deve virar uma mini série? Poderia ter sido. Levou muito tempo até que conseguisse chegar a uma duração ok para o cinema”. Ele começou a filmar em 2012 e só a pós produção levou cerca de três anos.

Também contou que o primeiro título do filme seria Weightless que tirou do romance The Waves, de Virginia Wolf, tido mais como um poema do que uma história de narrativa tradicional. Song to Song pode não ser o melhor de Malick, mas certamente mostra um diretor ainda em forma e legítimo ao seu estilo. E com esse casting e essa locação, goste ou não do resultado final, é difícil passar batido.

 


Relacionados


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×