14.06.2018 / Viagem / por

Guia FFW: Viajar por Chiang Mai e Chiang Rai é deixar-se encantar pela essência thai

O White Temple em Chiang Rai. Foto: Augusto Mariotti
O White Temple em Chiang Rai. Foto: Augusto Mariotti

Por Camila Silva e Augusto Mariotti

CHIANG MAI

A beleza do tempo e o frescor da juventude, ao norte da Tailândia.

Chegar a Tailândia e seguir para o Norte. Talvez este não seja o caminho mais esperado ou comum, já que aponta na direção oposta da costa paradisíaca que inunda o imaginário do Ocidente. Apontar esta bússola e seguir para o Norte é, no entanto, encontrar a mais íntima essência thai, as raízes, as origens do Reino de Sião que resistem ali.

Enquanto Bangkok se impõe como cidade global, Chiang Mai, a segunda maior cidade da Tailândia, que, ao longo da história teve seu lugar como capital do País, guarda com cuidado a alma tailandesa.

Pulsando em um ritmo diferente, já livre do calor agressivo e num tempo que é só dela, Chiang Mai encanta à primeira vista pelo charme de uma cidade encrustrada na montanha. Picos verdes no horizonte contornam seu centro. O dourado de templos imponentes brilha alto. Uma vez lá em cima, contempla-se vistas incríveis dos telhados iluminados ao nascer e pôr do sol.

Processed with VSCO with hb2 preset

Se o essencial é invisível aos olhos, em Chiang Mai ele pode ser sentido no ar. Isso atrai toda uma geração que se identifica com o respeito ao tempo das coisas e a contemplação, sem se obrigar a uma vida remota ou isolada. A segunda maior cidade da Tailândia é movida por uma energia jovem. Abrigando importantes universidades, estudantes de todo o País são atraídos para lá, enquanto uma parte relevante de uma nova geração de artistas, profissionais e empreendedores escolhem a cidade para se estabelecer e criam ali seu modo de vida, com design, criatividade, identidade. Longe do trânsito, das carreiras corporativas, de cargos em multinacionais. E, por isso mesmo, a cidade é cheia de cafés, bistrôs, bares, livrarias e spas de muito charme. 

Foi ainda na passagem por Chiang Mai que o FFW encontrou o centro de referência que preserva a tradição da seda tailandesa. No País, a produção totalmente artesanal gera um fio irregular que, por si só, confere características únicas ao tingimento e toque do tecido. É desta cidade também que partem iniciativas do ministério da educação e cultura para preservação desses saberes ancestrais.

Os fios tingidos da seda tailandesa. Foto: Augusto Mariotti
Os fios tingidos da seda tailandesa / Foto: Augusto Mariotti

O FFW lista aqui lugares que descobrimos e outros que recomendamos para um roteiro por Chiang Mai. Mas o melhor convite é tirar um tempo, alugar uma bicicleta e deixar as ruas da cidade te guiarem por novas descobertas. 

O que fazer

fachada espelhada do MAIIAM. Foto: Augusto Mariotti
Fachada espelhada do MAIIAM / Foto: Augusto Mariotti

MAIIAM Museum of Contemporary Art

Este museu de arte contemporânea com fachada espelhada reúne a coleção privada da família Bunnag-Beurdeley com em trabalhos de artistas contemporâneos tailandeses, criando diálogos com nomes que estão ainda despontando na cena internacional da Ásia e do ocidente. Uma parte do acervo integra uma exposição permanente, enquanto as salas de exibição promovem exposições temporárias simultâneas.

A loja do Museu traz garimpos de todas as partes do mundo incluse uma arara de peças de moda vintage da família que incluem designs de Issey Miyake e Comme Des Garçons. O restaurante é uma parada obrigatória. Aproveite para provar sopa com cogumelos e leite de coco. É muito tradicional por toda Tailândia, mas ali está preparada à perfeição.

O Museu pode ser visitado de quarta à segunda, das 10h às 18h. O valor da entrada é $150 bath. Não fica no centro da cidade, mas é facilmente acessível por táxi, ônibus ou pelo “red bus” uma espécie de transporte coletivo comum em Chiang Mai.

Patara Elephant Farm

Os elefantes cuidados pelo Patara. Foto: Augusto Mariotti
Os elefantes cuidados pelo Patara / Foto: Augusto Mariotti

Uma experiência com elefantes no Norte da Tailândia pode ser algo para marcar a vida toda. Para isso é preciso cuidado. Este animal tão grande, inteligente e dócil é extremamente integrado à cultura tailandesa, assim como os cavalos estão para o ocidente. No entanto, a curiosidade turística em torno desta relação acabou por produzir “atrações” onde esses animais não recebem os cuidados adequados, numa dinâmica em que a satisfação que proporcionam ao turista é colocada acima de seu bem estar.

O Patara Elephant Farm, assim como outros locais em Chiang Mai e no Norte segue uma conduta do bem prol a preservação dos elefantes, o que torna a visita ainda mais gratificante. O local é um santuário que tem o propósito de resgatar o crescimento da população de elefantes no país. A fazenda cuida de elefantes jovens, acompanha sua reprodução natural e já devolveu algumas dezenas de animais a seu habitat.

O programa “Elephant Owner for a Day” permite que você passe um período todo tratando pessoalmente de um elefante ao lado de um “Mahut” – o tratador dedicado do animal. Você passa quase três horas interagindo com um elefante e será responsável por alimentar, escovar, dar banho e passear com seu novo amigo. Durante toda a sessão você aprende o propósito e benefícios de cada atividade, enquanto ganha intimidade e entra em sintonia com esses simpáticos bichos.

A experiência pede um investimento, mas vale cada bath. O passeio custa de 3.200 a 5.200 baths. A reserva da experiência prevê o transporte de ida e volta entre seu hotel e a fazenda.

Wat Phra That Doi Suthep

O entardecer no Wat Phra That Doi Suthep
O entardecer no Wat Phra That Doi Suthep / Foto: Augusto Mariotti

O templo do alto da montanha é um marco de Chiang Mai. Começou a ser construído pelo Rei Kuena em 1386. Os tailandeses contam que o local para sua edificação foi escolhido por meio de um elefante que, a mando do rei, foi solto na floresta com uma relíquia de Budha presa em seu corpo. Ao chegar no topo da montanha o animal se ajoelhou e morreu e, ali, teve início a construção do templo.

A vista do alto é privilegiada e vale escolher bem o horário do dia para a visita, já que é um local que atrai muitos grupos de turistas.

A construção ícone do templo é a escadaria de 300 degraus com corrimões ornamentados como a serpente mística Naja – a cobra de sete cabeças que protegeu Budha da chuva durante a meditação em que alcançou a iluminação.

Para os mais dispostos é possível contratar passeios guiados em Chiang Mai que propõem um trekking pela montanha até o templo.

Night Market 

Como não poderia faltar à segunda maior cidade do país, uma das atrações da noite de Chiang Mai é a visita ao mercado noturno, onde se encontra todo o tipo de souvenirs e comida de rua típica tailandesa.

É um mercado mais interessante para comprar produtos das tribos e povos que habitam a Tailândia, no mais, os souvenirs não serão diferentes em preços ou variedade em relação do que é possível encontrar nos mercados de Bangkok, ou em cidades também do norte como Chiang Rai.

Onde comer

By Hand Pizza Café

Depois da dica do mais autêntico e local, este é o endereço de um excelente lugar para comer um clássico internacional – pizza! O lugar é descolado e despretensioso, boa música ambiente, cerveja local long neck e pizzas individuais. Poucos e bons sabores, massa fina e crocante.

Nakara Jardin Bistro & Salon de Thé Restaurant

Fazer uma refeição à beira do Rio Ping deveria fazer parte do check list de uma passagem por Chiang Mai. No Nakara Jardin é possível almoçar ou fazer uma parada mais breve para o chá da tarde. Os bolos são um ponto alto do cardápio. Fazer uma reserva antecipada ajuda a garantir as melhores vistas do rio. Mas, não sendo possível o ambiente do jardim também é agradável.

Ristr8to Lab

o cool e jovem café Ristr8to. Foto: Augusto Mariotti
A fachada do café Ristr8to / Foto: Augusto Mariotti

Este café cheio de personalidade oferece um extenso cardápio de grãos e drinks à base da bebida preparados à perfeição. Baristas e garçons compartilham o mesmo espírito jovem dos clientes. É anexo à doceria Wellas Café. Não resista, todas as tortas ou bolos são deliciosos.

Khum Khantoke

Um restaurante – show que apresenta danças tradicionais tailandesas ao longo de um jantar com sequência de pratos tradicionais. A comida em si não é o ponto-alto, mas, sim, toda a atração para quem busca conhecer alguma referência de raízes e tradições locais.

Onde ficar

Khum Phaya Resort & Spa

Ficar em um hotel boutique pode ser uma boa pedida para curtir o norte da Tailândia. O Centara Khum Phaya tem 85 quartos, alguns com jacuzzi particular, uma bela piscina e, claro, spa. Há opções de restaurantes no hotel, excelente café da manhã e um restaurante típico estilo Lanna com shows e danças tailandesas e um pequeno mercado ao lado do hotel.  Reservas a partir de R$405, pela diária com café da manhã.

CHIANG RAI

Contemplar. Este é o verbo de Chiang Rai. Chegar a este ponto da Tailândia é encontrar uma cidade pacata, simplicidade, templos, mercados e natureza. É o portão de entrada do “Golden Triangle”, onde a Tailândia faz fronteira com Myamar e Laos. Foi fundada em 1200 pertenceu a dinastia Lanna, foi conquistada por Myamar e apenas em 1700 foi anexada ao Reino de Sião, a Tailândia. Chiang Rai é banhada pelo Rio Kok, na bacia do Rio Mekong o que garante suas belas paisagens. Aproveitar a estada para experimentar mais o cardápio de mais um Spa é excelente proposta. E elencamos aqui mais alguns passeios para acrescentar à lista.

O que fazer 

Wat Rong Khun – White Temple

Caveiras e mãos na entradas do surrealista White Temple. Foto: Augusto Mariotti
A entradas do surrealista White Temple / Foto: Augusto Mariotti

O Templo Branco de Chiang Rai, uma construção iniciada em 1996 já é um cartão postal da cidade. Apesar de adotar toda a formalidade e códigos de conduta de um templo budista milenar, não encontramos estátuas de Budha ou monges orando em seu interior. É o work in progress do artista tailandês Chalermchai Kositpipat, que passou a se dedicar à edificação de sua obra prima depois de uma conversão ao budismo e experiência como monge. Sua visão particular do mundo X iluminação está por toda parte. Chega-se ao templo atravessando uma ponte onde mãos que saltam do chão e tentam agarrar o céu lembram em algum aspecto o purgatório do inferno de Dante.

No interior da capela principal, ícones do pop como Michael Jackson e personagens da política ocidental como George Bush, dividem espaço com super heróis de HQ. Muitos tentam traduzir o significado de cada representação. O artista mesmo não dá mais explicações que as imagens e sequer permite que sejam fotografadas e divulgadas. Vale visitar e tirar suas próprias conclusões.

Uma galeria de arte anexa mostra mais do portfolio de obras de Kositpipat e é possível adquirir originais e gravuras.

Night Market

Como não poderia deixar de ser com uma cidade pequena, o mercado tem um papel importante no entretenimento noturno em Chiang Rai. Os produtos não serão tão diferentes dos que puder encontrar em Chiang Mai ou mesmo em alguns mercados de Bangkok. Souvenirs, artesanato, comida de rua. Mesmo assim, é um passeio agradável para antes de um jantar.

Fat Free Bicycle Shop

O clima ameno da montanha e a natureza exuberante encorajam um contato livre e direto com a cidade. Não é necessário muito preparo físico para pedalar sem pressa. Alugue uma bicicleta e deixe-se guiar entre templos, lojas e cafés. As ruas de Chiang Rai são amplas e motoristas gentis com ciclistas. 

Há quatro lojas Far Free Bike em Chiang Rai que ficam abertas das 9h às 18h.

Onde comer

O agradável
O agradável jardim do Chivit Thamma Da Coffe House de frente para o Rio Kok / Foto: Augusto Mariotti

Chivit Thamma Da Coffe House

O nome significa vida simples, o local pode rapidamente chegar a lista dos lugares mais charmosos que você conhece. Uma linda casa de 2 andares à beira do rio te convida para um almoço, jantar ou chá da tarde em um ambiente acolhedor que pode ser a sala de estar, uma biblioteca, mesas no jardim ou numa sacada.

O cardápio é variado e parece pedir para ser acompanhado por drinks e nenhuma pressa. Se a visita acontecer durante o chá da tarde, aproveite para provar um dos bolos da casa. A confeitaria é tão caprichosa quanto a cozinha.

Cat ‘n’ a cup Cat Café

No centro da cidade um café curioso se destaca entre os restaurantes mais tradicionais e simples de Chiang Rai. Só vale para quem não tem alergia à gatos, pois dezenas deles, de todas as espécies são os “residentes” no endereço e circulam entre mesas e cadeiras ganhando afagos dos clientes e repousando pela vitrine. Um local curioso, mesmo para observar de passagem.

Onde ficar

Buakum Resort 

O hotel vai agradar quem viaja num clima de despojamento e quer encontrar apenas o essencial necessário para conforto em meio à natureza. Este hotel não fica em Chiang Rai, mas numa região chamada Wieng no Triângulo Dourado. 

Alguns quartos têm vista para o Rio Mekong e o hotel está incrustrado em um lindo jardim tailandês. 

Está há 10 minutos de uma vila, com opções de mercado, cafés e lojas. O hotel oferece café cortesia, mas não café da manhã, que pode ser encontrado em um restaurante próximo. 

O staf orienta sobre deslocamentos para visitas a templos e outros pontos turísticos e o transfer do aeroporto pode ser incluso na diária, que é bastante econômica. 

Anantara Golden Triangle Elephant Camp Resort 

O destino para quem acredita que experiências únicas, exclusividade e conforto não têm preço. O Antantara Golden Triangle Elephant Camp está localizado em meio a floresta intocada, no centro do Triângulo Dourado de onde se pode admirar vistas das montanhas do Laos e Myamar estando ainda na Tailândia. 

São 40 quartos e 15 suítes, algumas oferecendo jacuzzi particular e sacada com vista para os três países. Reserve alguns dias para estar ali e saborear o tempo em cada uma das possibilidades que o local propõe. Aventure-se numa experiência de Thai Cusine. Um chef o acompanhará ao mercado de Chiang Rai pela manhã, no caminho de volta ao Resort, uma parada para café da manhã no templo, preparativos terminam na horta do resort antes que adentre a cozinha para compreender os segredos e propriedades de uma gastronomia milenar. A experiência termina com a prova do resultado acompanhada de um bom vinho. 

O Spa do hotel, com salas de massagem e tratamento singulares vai merecer algumas horas de sua estada, que também pode incluir passeios pelo rio indo de um país ao outro, ficar frente a frente e interagir com elefantes em seu habitat natural ou até mesmo um jantar exclusivo no mirante sobre a fronteira. 

+ Veja a primeira parte do nosso Guia FFW na Tailândia sobre Bangkok


Relacionados


Veja Também