FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    Guia FFW do Garimpo: Brechós Y2K

    Conheça sete brechós de moda dos anos 2000

    Guia FFW do Garimpo: Brechós Y2K

    Conheça sete brechós de moda dos anos 2000

    POR Laura Budin

    Na segunda edição do Guia FFW do Garimpo, nosso foco são os brechós com uma curadoria voltada para a estética das peças Y2K, conhecidas também como a moda dos anos 2000. De calças de cintura baixa a estampas exageradas como animal print e listrados super coloridos, a seleção de hoje conta com sete brechós que estão movimentando a cena de curadoria vintage na Internet.

    TRiXXiE SHOPz

    A TRiXXiE SHOPz (@trixxieshopz) foi fundada pela TRiXXiE (@trizdimensional), 25, em 2018 e foi inicialmente nomeado ‘‘Vestes de Segunda Mão’’ – uma referência a uma fala de Draco Malfoy, personagem da saga Harry Potter. Atualmente, o nome vem de uma lembrança de infância de TRiXXiE: ‘‘Procurei uma personagem que tinha me deixado boas memórias e lembrei da Trixie Tang de Padrinhos Mágicos’’. Além disso, o nome faz referências à estilização da revista FRUiTS, tornando-se então TRiXXiE SHOPz.

    Nascido da necessidade de TRiXXiE de uma renda extra enquanto trabalhava como atendente de telemarketing, o TRiXXiE SHOPz, atualmente, apresenta-se como um dos maiores acervos de peças Y2K na internet: ‘‘As peças precisam ser dos anos 2000 ou exemplares da transição das décadas para esse período, como final dos 90 e início dos anos 2010. Procuro vender aquilo que eu usaria, principalmente o que conversa com meu estilo pessoal, muito baseado na moda de rua japonesa dos mesmos anos’’.

    Na TRiXXiE SHOPz você pode encontrar desde tops e vestidos até calças flare e mini saia, além de casacos e saias midi. Vale destacar que TRiXXiE faz questão de colocar peças, em sua maioria, para pessoas midsize: ‘‘Achar tamanhos plus é quase impossível para os anos 2000. Como eu mesma uso 46/48, são roupas que cabem em mim, mas não somente’’.

    https://www.instagram.com/p/C7MzJ_Hvjd9/

    Sina Modas

    O Sina Modas (@sina_modas) foi criado pela Sabrina (@sina_estudio) em 2016, mas sofreu uma pausa em 2020 por conta da pandemia. Sabrina, no momento, morava em Uberaba, Minas Gerais e trabalhava em um brechó físico na própria cidade: ‘‘Eu sempre fui uma viciada em garimpos desde bem novinha e passei a revender pela internet algumas peças que não me serviam ou que não faziam meu estilo porém eram icônicas e eu enxergava ali a possibilidade de conseguir um dinheiro extra fazendo algo que eu gostava. Depois dessa pausa, em 2023, nasceu mais forte do que nunca o Sina Modas, agora em São Paulo, com acesso a garimpos infinitos e inimagináveis!’’.

    No Sina Modas você encontra desde bolsas da Guess super detalhadas até tracksuits da Juicy Couture produzidos nos Estados Unidos e casacos sobretudo de pelo bem inspirados nos anos 70. ‘‘Sempre sou facilmente convencida por detalhes nas peças. Eu acredito que antigamente mínimos detalhes faziam muita diferença, como etiquetas lindas, aviamentos personalizados, costuras bem feitas e tecidos de qualidade. Eu busco trazer essa singularidade nas peças que levo pro meu brechó, porque hoje em dia com a pressa incessante das produções industriais, não se vê mais esse tipo de atenção além do mais superficial’’, explica Sabrina.

    FEUX

    Recentemente fundado em 2023, o FEUX (@feuxstuff) criado por Nicole Louise (@countingcorpses), 18, nasceu da necessidade de uma oportunidade de trabalho: ‘‘Não tive oportunidades de jovem aprendiz, então decidi começar com algo que já acompanhava aqui no instagram, que são os brechós online – achava o máximo e gostava de acompanhar os processos. Queria me destacar no meio com roupas que chamassem a atenção de públicos alternativos, o que mantenho até hoje’’.

    No FEUX, você encontra mini saias, sapatos plataforma e roupas detalhadas em torno da estética coquette e gótica: ‘‘Para mim, o processo de garimpo consiste em buscar roupas semelhantes aos gostos das pessoas que me seguem e mantendo um certo padrão sobre isso. Acho essa grade muito importante, pois prende a atenção das pessoas e transforma em uma boa consistência para o cliente continuar me acompanhando e esperando para ver as peças futuras. Rodo várias cidades em torno da minha na caça das peças perfeitas’’.

    https://www.instagram.com/reel/C59ciYAvU0g/

    Catarse Brechó

    O Catarse (@catarse____) foi fundado em 2019 por Gabrielle Sofiste (@gabriellesofiste), 23, que inicialmente usava espaço para desapego de itens pessoais e garimpos que ela via potencial, mas não serviam ou não faziam parte de seu estilo. Prezando por peças de qualidade, bom acabamento e que estejam em ótimo estado para compra, o Catarse oferece blusas frente única, blusa de chiffon, corset, mini saia, sapatos como tamancos e botas, além de bolsas e os populares casacos penny lane.

    ‘‘Meu processo de garimpo e curadoria é algo bem intuitivo. Eu sempre fui uma pessoa muito visual, então, eu tenho um repertório de referências diversas e para o brechó cabe muito isso: você ativar o seu olhar para coisas além do óbvio, além da nossa bolha. E eu acredito que isso faz toda diferença para um garimpo, porque geralmente os lugares que a gente vai buscar peças – que são bazares de instituições, feiras, brechós menores ou brechós sem curadoria – você está literalmente garimpando, você está buscando algo especial no meio de infinitas peças de estilos, modelos, tamanhos, cores, tudo diferente, você não tem um padrão como em uma loja de departamento, por exemplo, uma loja de shopping. O brechó é muito único, muito exclusivo, mas eu sempre busco por materiais diferentes, modelagens diferentes, texturas diferentes, isso é uma coisa que eu gosto muito’’, explica Gabrielle.

    Youhanna Brechó

    O Youhanna Brechó (@youhannabrecho) nasceu em 2018 fundado por Barbara Youhanna, 25, que transformou o empreendimento em sua única fonte de renda apenas em junho do ano passado. Seu processo de garimpo é feito em outros brechós e bazares com focos em peças Y2K e dos anos 2010: ‘‘Meu público é bem eclético, eu tenho alguns subnichos, algumas estéticas específicas do Pinterest que o meu público gosta bastante, mas esse processo (de garimpo) em um geral são peças dos anos 2000 – e peças latinas também’’.

    No Youhanna Brechó, você pode encontrar botas de bico fino – um dos best sellers da loja – scarpins, vestidos, além de calças jeans, shoulder bags e casacos.

    KQUATO BRECHÓ

    Nascido em 2021, o KQUATO BRECHÓ (@kquato) foi fundado por Kawany Resende (@k4wany), 21, que já tinha a ideia de ter sua própria loja desde 2016. A primeira iniciativa do Kquato nasceu dois anos antes de sua fundação: ‘‘Em 2019 separei algumas roupas, desapegos meus e de familiares e fiz um bazar de garagem na casa da minha mãe, Grajaú, extremo sul de SP. O intuito foi criar algo meu que fosse transformador para outras pessoas, incentivando a sustentabilidade e trazendo também a diversidade, de forma alternativa, na qual eu me identifico.’’

    No seu processo de curadoria, Kawany incentiva buscas em outros bazares e brechós locais e beneficentes, mas também garimpa em espaços mais afastados de seu bairro: ‘‘Pretendo e estou planejando até sair do país para isso’’. No KQUATO BRECHÓ é fácil encontrar peças de roupa com estéticas voltadas aos anos 2000 e vintage, além de ‘‘estilos alternativos como grunge, fairycore, streetwear’’, destacados por Kawany.

    Os drops acontecem semanalmente e são feitos por paleta de cores: ‘‘Sempre com seis looks compostos por parte de cima: blusas, regatas, camisetas, corsets, jaquetas e parte de baixo como saias, shorts e calças. Também faço outras seis publicações, onde costumo trazer coisas que complementam os looks como: bolsas, jóias, lenços, cachecóis, sapatos, casacos, chapéus e outros, como colaborações com outras marcas slow fashion’’, explica Kawany.

    https://www.instagram.com/reel/C5ZxUsaNTwq/

    10apego

    O 10apego (@o10apegobrecho) foi fundado em 2019 em Florianópolis por Victoria Nery (@victoriaanery), 26, e suas amigas que queriam desapegar de algumas peças que não usavam mais. O brechó foi ganhando fama em Florianópolis e tornando-se de fato um empreendimento: ‘‘A parceria que começou de forma informal tomou proporções maiores do que imaginávamos e foi necessário criar um negócio formal. Atualmente, eu Victoria, administro o brechó como MEI, mas ainda sim, o nosso grupo de amigas ajuda, dando opiniões e pontualmente nos garimpos. Vendemos em média 80 peças por mês para o Brasil todo’’.

    No 10apego, você encontra peças com estampa animal print, calça de cintura baixa, jeans, botas de couro e jaquetas de couro: ‘‘Algo super importante pra mim é o tecido da peça, se é de qualidade, o estado em que a roupa está, o caimento. O principal objetivo é ‘estar na moda’ e mesmo assim ainda ter sua própria essência. Além disso, temos todo o cuidado de higienização, pequenos reparos, se necessário, e capricho na embalagem para chegar da melhor forma aos clientes’’.

    Não deixe de ver
    Gisele Bündchen estrela nova campanha da Balmain fotografada por brasileiro
    Sasha Meneghel e Maisa entre fashionistas no jantar da Loewe em São Paulo
    A história do vestido de estampa de jornal da Dior e Carrie Bradshaw
    Havaianas e Dolce & Gabbana lançam chinelos de 350 reais
    Como a On se tornou a marca esportiva que mais cresce
    Guia FFW do Garimpo: Brechós Y2K
    Iguatemi reúne players da moda internacional em jantar exclusivo em Nova York
    Chanel confirma saída de Virginie Viard da direção criativa
    Lenço & boné: o truque de styling da vez vai fazer sua cabeça
    Pabllo Vittar fala sobre processo criativo, sua coleção com adidas e amizade com Madonna
    FFW