FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    O estilo de Olivia Rodrigo: De garotinha à alt-punk

    De ‘‘Sour’’ à ‘‘Guts’’, a artista explora sua feminilidade por meio de estéticas que guiam seu rito de passagem da adolescência para a fase adulta.

    O estilo de Olivia Rodrigo: De garotinha à alt-punk

    De ‘‘Sour’’ à ‘‘Guts’’, a artista explora sua feminilidade por meio de estéticas que guiam seu rito de passagem da adolescência para a fase adulta.

    POR Laura Budin

    Olivia Rodrigo na era ”Sour”.

    Enquanto performava ‘‘get him back!’’ em um dos shows de sua nova turnê, Olivia Rodrigo anunciou o lançamento de uma versão deluxe de seu último álbum chamada ‘‘GUTS (spilled)’’ com mais cinco faixas bônus. E quando falamos de turnê, sabemos que os milhares de fãs que seguem a artista prezam por uma experiência uniformizada – exemplo da The Eras Tour de Taylor Swift e a Renaissance Tour de Beyoncé. Desde o início da era ‘‘Guts’’, a geração de adolescentes e jovens adultos fãs de Olivia optaram por um uniforme não oficial repleto de Doc Martens, símbolos punks e glitter.

    A ex-estrela do Disney Channel que se tornou sensação pop da noite para o dia com seu hit ‘‘driver’s license’’ com mais de 2 milhões de plays no Spotify vem transitando em diferentes percepções da girlhood em sua carreira. No disco ‘‘Sour’’ lançado em 2021, quando Olivia tinha apenas 17 anos, a artista explorou suas percepções de um término, apresentando-se ao público em uma estética adolescente, feminina e melancólica. Destaque dessa escolha ficam para os videoclipes de ‘‘driver’s license’’ e ‘‘deja vu’’, onde a cantora explora-se em narrativas de insegurança e tristeza por conta de seu antigo relacionamento.

    A era ‘‘Guts’’, no entanto, opta pelo exato oposto: um alter-ego confiante e, principalmente, irritado – a tal da female anger. Sinais dessa potencial Olivia nasceram nos videoclipes de ‘‘good 4 u’’ e ‘‘brutal’’, uma das poucas faixas do primeiro álbum que mostram a cantora com raiva do término, em oposição à postura de desapontamento presente nas outras canções. A partir dessas duas produções, Olivia implementa o visual de líder de torcida – com um vestido de faixas azul e branca e outro com padronagem xadrez punk – como sinais da nova era.

    Olivia Rodrigo durante as gravações do videoclipe ”good 4 u”.

    Muito inspirada na moda riot grrrl, grunge e punk dos anos 1990 e início dos anos 2000, Olivia evoca sua feminilidade como Avril Lavigne, Hayley Williams e Britney Spears faziam no auge de suas carreiras. Muito cropped gráfico, ilhós, xadrez, mini comprimento e glitter exalam de sua estética nos palcos – roupas que transparecem em canções ácidas como ‘‘get him back!’’ e ‘‘all-american bitch’’. O styling da turnê foi feito pela dupla Chloe e Chenelle Delgadillo que permitiram que a artista seguisse com sua mistura de glamour e moda alternativa, por meio de botas, meia arrastão, mini tops e muito paetê.

    Dentre os looks da turnê Guts, Olivia troca de figurino quatro vezes – até o momento. Os destaques ficam para o conjunto de malha de cristal – relembrando o vestido de Ludovic de Saint Sernin usado no VMA pela cantora que foi incrustado com 150.000 cristais – e o macacão vermelho combinado à meia calça preta transparente com estrelas brilhantes ambos feitos pela estilista e figurinista Heather Picchiottino. Além deles, Olivia presta homenagem à Gwen Stefani usando uma regata cropped com a frase “Just a Girl” da canção de 1995 da banda No Doubt.

    Olivia Rodrigo usando um suéter Heaven by Marc Jacobs, uma saia Praying e uma bolsa Chanel em Nova York, 2022.

    No tapete vermelho, Danielle Goldberg, stylist da artista e também de nomes como Greta Lee, Ayo Edebiri e Kaia Gerber, usa e abusa de peças archive nas aparições públicas de Olivia. A cantora já usou, por exemplo, desde Versace 1995 em sua aparição no Grammy’s 2024 até Chloé 2001 no Billboard Women in Music em 2023. Da era ‘‘Sour’’, os looks destaques para looks da saia Jean Paul Gaultier combinada ao espartilho Alexander McQueen da coleção Inverno 2002, além de um look inteiro Gaultier da década de 1980 na premiação MTV 2022 e mini vestido de crochê Vivienne Westwood de 1993. No streetstyle, a cantora mantém um estilo único com muitas peças do seu universo girlhood como tops da Heaven by Marc Jacobs e graphic tees da Sofia Coppola.

    Com um novo videoclipe no ar da faixa ‘‘obsessed’’, podemos dizer que Olivia Rodrigo entende o que é ser uma garota – é bagunçado, romântico e às vezes você só precisa se vestir bem e cantar músicas feitas para o seu ex. A artista, antes de ser interrompida, estava distrubindo pílulas do dia seguinte e informativos sobre aborto em seus shows da nova turnê – causas feministas próximas à cantora. A era Guts é uma carta de amor à raiva adolescente com um toque de vingança – e nada melhor que se vestir bem quando você quer impressionar alguém depois do término.

    Não deixe de ver
    Sabrina Sato como nova embaixadora da Hope, as denúncias envolvendo a Zara e a H&M e o desmatamento no Brasil, a nova coleção da Dod Alfaiataria e muito mais
    Roberto Cavalli morre aos 83 anos
    Skinny x wide legs: uma preferência geracional?
    COLLAB DO ANO? NIKE E BODE LANÇAM SUA AGUARDADA COLEÇÃO
    Confira o calendário de desfiles da SPFW edição 57
    Anitta, Cher e Demi Moore na abertura da exposição da Dolce & Gabbana, em Milão
    Como Beyoncé ajudou a subir as ações da Levi’s
    Gisele Bündchen no Rio para o lançamento de seu segundo livro, a nova diretora criativa da Bulgari, o brasileiro vencedor de prêmio da Chanel e muito mais
    Contemporâneo Showroom comemora 20 anos com edição na Bienal
    Slingback: o sapato para virar sua aposta agora!