FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    Glossário FFW: o que é o Ugly-chic

    O termo que surgiu para definir uma das coleções mais controversas da Prada.

    Glossário FFW: o que é o Ugly-chic

    O termo que surgiu para definir uma das coleções mais controversas da Prada.

    POR Vinicius Alencar

    Inauguramos uma nova série, o Glossário FFW de Moda, com um termo cunhado pelos jornalistas para se referir a uma das mais controversas coleções criadas por Miuccia para a Prada, a do verão 1996: ugly chic. Diferente de hoje em que a marca italiana reina absoluta, acima do bem e do mal, na época, ainda se firmando como uma referência na moda – e não somente nos acessórios – foi responsável por uma ruptura: transformar o “feio em belo”. 

    Para entender, vamos colocar em uma sentença: “Miuccia transformou o feio em chic”. Foi o que escreveu Susannah Frankel, editora-ref e crítica de moda dos anos 1980 e 1990, atual editora chefe da Another Magazine. Também, imagine, Milão então celebrada como a capital da sensualidade e opulência com Armani e Versace, ainda não tinha entendido a imagem cerebral que a estilista ali  instaurava. 

    As hoje celebradas estampas com pegada seventies foram detonadas, o nylon (material esportivo e não nobre) incomodou ainda mais, para piorar, a cartela de cores super incompreendida: “um marrom fecal”, “um verde abacate-vômito”, “lilás e um tom estranhíssimo de turquesa”, lia-se nos reviews. As sandálias com velcro e saltos chunky fizeram todos revirar os olhos. 

    “Ugly is in” [“Feio está na moda”] foi o título usado pela jornalista (e ganhadora do Pulitzer) Robin Givhan no The Washington Post, em maio daquele ano. O adjetivo mais temido da moda: o feio, foi usado em todas as críticas referentes à coleção. Amber Valletta, Kristen McMenamy e Kate Moss cruzaram a passarela com hot pants, blazers encurtados, saias envelopadas e  vestidos mídi, boa parte com um xadrez estilizado. 

    O tempo, como sabemos, transformou a coleção em cult – como acontece com obras não compreendidas em seus lançamentos. E como quem ri por último, ri melhor, Miuccia referenciou ainda o verão 1996, nas coleções verão 2012 e 2014, sendo aclamada pela crítica (e também pelos números). Com um deboche que só ela faz…

    Jonathan Anderson e Marc Jacobs, revelaram que foi uma das coleções mais marcantes e impactantes  já vistas.

    Não deixe de ver
    Gisele Bündchen estrela nova campanha da Balmain fotografada por brasileiro
    Sasha Meneghel e Maisa entre fashionistas no jantar da Loewe em São Paulo
    A história do vestido de estampa de jornal da Dior e Carrie Bradshaw
    Havaianas e Dolce & Gabbana lançam chinelos de 350 reais
    Como a On se tornou a marca esportiva que mais cresce
    Guia FFW do Garimpo: Brechós Y2K
    Iguatemi reúne players da moda internacional em jantar exclusivo em Nova York
    Chanel confirma saída de Virginie Viard da direção criativa
    Lenço & boné: o truque de styling da vez vai fazer sua cabeça
    Pabllo Vittar fala sobre processo criativo, sua coleção com adidas e amizade com Madonna
    FFW