23.01.2018 / Arte / por

Censored: a história por trás da nova publicação que explora arte, erótica e censura

1515773168507-0938

Nudez, sexualidade e gênero. Três elementos considerados tabus, passíveis de repressão até hoje e atuais objetos de estudo do artista visual francês Tiane Doan na Champassak em sua nova publicação, intitulada Censored, que como o próprio título adianta, possui como mote a censura impregnada no erotismo.

A história por trás da nova produção teve como pontapé inicial uma infecção nas pálpebras dos olhos do artista enquanto Tiane visitava a cidade de Bangkok, capital da Tailândia, no ano de 2010. Por algumas semanas, a infecção o impossibilitou de manusear adequadamente sua câmera fotográfica, tornando necessário ao artista iniciar uma busca por novas maneiras de continuar com o que mais fazia de melhor porém longe da câmera.

É nesse ínterim que surge sua obsessão pela coleta de imagens online e em publicações de lojas de antiguidade e mercados de pulga para compor sua arte e que, no fim, o leva a descobrir uma pilha da Siam’s Guy – segundo o artista, “a mais bonita e mais importante revista erótica tailandesa dos anos 60 e 70”, que serve agora como pano de fundo da Censored, com mais de quatro mil imagens selecionadas de sua própria curadoria.

O que, primeiramente, atraiu seu olhar foram as fontes e a estética utilizadas na revista antes mesmo do conteúdo interior ser analisado, com corpos nus censurados de diferentes formas. Somente após alguns anos, Tiane veio a perceber que possuía uma coleção de dezenas de revistas do mesmo segmento repletas de imagens únicas censuradas de forma humorada devido ao governo tailandês da época.

Em entrevista à i-D, o artista explica: “Quando a revolução sexual começou, o material pornográfico tornou-se uma preocupação real para muitos países. A súbita e massiva circulação de imagens eróticas deve ter sido chocante para um país tão tradicional como a Tailândia, e assim o governo só permitiria a venda de revistas eróticas que foram cautelosamente censuradas” – a intensa circulação de material erótico mencionada ocorreu antes dos anos 60, quando a censura ainda não era imposta em razão de imagens mais conservadoras.

Por fim, em tempos de símbolos emoji cobrindo mamilos e genitálias nas redes sociais, a seleção e o trabalho de Tiane Doan na Champassak mostra seu valor ao trazer de volta um trabalho tão antigo, mas ainda tão atual e necessário de discussão para a presente sociedade encoberta por tabus.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×