03.03.2020 / Business / por

Coronavirus faz Gucci e Prada cancelarem seus desfiles Cruise

Look com máscara no desfile de Marine Serre em Paris. Apesar da coleção ter sido criada antes do vírus, muitas pessoas relacionaram ao Coronavirus / Reprodução
Look com máscara no desfile de Marine Serre em Paris. Apesar da coleção ter sido criada antes do vírus, muitas pessoas relacionaram ao Coronavirus / Reprodução

No início de fevereiro, um leitor do FFW escreveu um texto sobre o impacto do Coronavirus na indústria da moda, mas até então, a questão era quase que inteiramente um “problema da China”.

Agora, com o surto do vírus na Itália e a confirmação de casos em diversos países, a moda não só na China está sentindo seus efeitos. Durante a semana de moda de Milão, a Armani mostrou sua coleção de Inverno 2020 em Milão a portas fechadas após a notícia de que o Coronavírus havia matado duas pessoas perto de Milão.  Giorgio Armani desconvidou as pessoas e fez uma transmissão ao vivo pelas redes, porém sem plateia.

Na semana de moda de Paris, cinco marcas chinesas (Shiatzy Chen, Masha Ma, Uma Wang, Calvin Luo e Maison Mai) cancelaram suas apresentações e convidados dos desfiles foram vistos usando máscaras na plateia, como no desfile de Dries Van Noten e Isabel Marant, por exemplo.

Nesta segunda-feira, a Gucci também anunciou que estava cancelando seu desfile Cruise 2021, que aconteceria em São Francisco dia 18 de maio. A marca disse que é uma medida provisória e de precaução motivada por uma “incerteza contínua provocada pelo surto de coronavírus”. Segundo um comunicado, “uma decisão sobre o novo horário e a localização do desfile será anunciada posteriormente, quando a situação se tornar mais clara. No momento, nossos pensamentos estão com os afetados em todo o mundo”. Alessandro Michele havia escolhido a cidade americana por sua história como um centro de ativismo liberal.

Desfile em Paris / Reprodução
Desfile em Paris / Reprodução

Pode ser que toda a temporada Cruise, que se tornou tão importante quanto a de prêt-à-porter, seja afetada. O desfile da Prada que ocorreria no Japão em 21 de maio também foi adiado, assim como várias feiras de negócios, como o Salone del Mobile em Milão, a Cosmoprof em Bolonha, e a Watches & Wonders em Genebra. A Shanghai Fashion Week e o Mobile World Congress, em Barcelona, foram cancelados.

Falta agora ver se Chanel e Dior também mudarão suas datas. A primeira tinha desfile marcado para o dia 7 de maio em Capri, e a Dior dia 9 em Lecce, ambas na Itália. Já a Max Mara escolheu São Petersburgo (25.05) e Giorgio Armani deve apresentar em Dubai (19.04), por enquanto.

produção atrasada

Outra preocupação diz respeito a produção de marcas que contratam fábricas chinesas para produzir seus itens. O problema é que as fábricas na China ainda estão fechadas e não está claro quando elas voltarão a funcionar. Isso significa que muitas empresas sofrerão grandes atrasos na obtenção de seus estoques nos próximos meses. A expectativa, segundo alguns estilistas, é de que as coleções de verão do Hemisfério Norte atrasarão de 30 a 45 dias, segundo reportagem da Fast Company.

O fato de que nos últimos anos, muitas empresas passaram a produzir a maior parte de seus artefatos na China, mostra o que acontece quando você coloca todos os seus ovos em uma única cesta… Pode ser que esta crise causada pelo Coronavirus faça com que as marcas passem a repensar sua cadeia de fornecimento. Como sabiamente disse Coco Chanel, “a moda reflete o mundo em que vivemos”.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×