30.03.2017 / Comportamento / por

Sustentabilidade, tecnologia e futuro são foco das discussões em eventos da Prada e do SPFW

Plateia em uma das conversas do evento Reshaping the Future, da Prada ©Cortesia
Plateia em uma das conversas do evento Reshaping the Future, da Prada ©Cortesia

Duas iniciativas, uma aqui e outra em Milão, colocaram luz sobre assuntos atuais e extremamente importantes, mas que ainda demandam muita reflexão. Em parceria com a Yale School of Management e a Politecnico di Milano School of Management, o Grupo Prada organizou a conferência “Shaping a Creative Future”. E em São Paulo, o Inmod  promoveu, durante 3 dias no São Paulo Fashion Week, uma série encontros e conversas dentro do Projeto Estufa com foco nos novos discursos, práticas e iniciativas que vão pautar o futuro dos negócios de moda. O projeto, apresentado pelo SPFW e C&A, teve parceria do Sebrae Nacional.

Lá fora

No evento da Prada, os debates foram moderados pelas duas universidades, englobando temas relacionados a sustentabilidade e inovação. Representantes de empresas líderes se reuniram a professores e alunos para discutir legado de marca, desafios futuros do desenvolvimento sustentável, inovação e criação. “A importância da sustentabilidade para as empresas e a sociedade tem se tornado cada vez mais relevante. Qual é a ligação entre criatividade e sustentabilidade? O evento buscou refletir e analisar este tema desafiador”, diz Carlo Mazzi, Presidente do Conselho de Administração da Prada S.p.A.

A conversas foram muito proveitosas porque lidaram com preocupações reais de grandes empresas que precisam ser reestruturadas de maneira mais sustentável. Como as empresas podem  preservar o trabalho manual diante do crescimento global e dos processos de terceirização? Existe um conflito inerente entre inovação e tradição ou uma empresa pode conciliá-los? Qual é o valor da sustentabilidade para clientes, funcionários e outras partes interessadas? Essas foram algumas das questões levantadas. “Sustentabilidade e inovação estão altamente interligadas e difíceis de serem consideradas separadamente. Acreditamos que as indústrias criativas têm um alto potencial em contribuir para encontrar soluções inovadoras para os desafios sociais que encaramos”, diz Andrea Sianesi, reitora da Pós-Graduação na Politecnico di Milano School of Management.

Aqui no Brasil

O Projeto Estufa organizou encontros e conversas, buscando provocar diálogos e reflexões de olho no desenvolvimento de um ambiente que se abre para a experimentação e projeção de expressões criativas transformadoras – novas ideias e nomes, gravitando em torno de pilares como sustentabilidade, tecnologia, design, responsabilidade social, consumo, novos materiais e identidade.

Cada speaker convidado para os encontros ilustrou a diversidade da produção e pensamento criativo emergente no mercado de moda, design e tecnologia do Brasil, mostrando uma visão bem particular a partir de novas possibilidades estéticas (e questionamentos estéticos) facilitadas por inovações nas tecnologias de comunicação e produção.

Roberto Martini, da Flagcx no Projeto Estufa
Roberto Martini, da Flagcx no Projeto Estufa

Um dos highlights foi a palestra Estratégias Holísticas de Sustentabilidade, dada por Jeffrey Hogue, Chief Sustainability Officer da C&A Global. Ele usou o termo mainstreaming sustainability, já que se trata de uma grande empresa de fast fashion, e falou sobre como essa indústria é agressiva, citando que “mais de oito mil químicos são usados na produção de roupas, como amaciantes e corantes. “A cada duas semanas uma coleção nova chega às lojas e isso causa a necessidade de lucros mais rápidos. E há muitas consequências associadas a essa exigência de que as peças sejam produzidas muito rapidamente”. Você pode ver a palestra neste link.

Outros assuntos abordados foram A Importância de Design na Relação Entre Tecnologia e Cotidiano, por Olivia Merquior; e Novas Narrativas e Realidades, com Caio Túlio Costa, da Torabit, Roberto Martini, da Flagcx (citada por Graça Cabral como “a holding do futuro”), e Fábio Scopeta, da Microsoft. Assista à apresentação aqui.

Uma outra turma se reuniu para conversar em torno do tema Criação e tecnologia inspirando um mundo novo. Felipe Savone, Sênior Brand Manager Adidas Brasil, Glicínia Setenaresk, do Pitaco Sustentável, Juliana Pirani, do eFitFashion, e Nina Braga do Institutoe mostraram os trabalhos que já estão fazendo pensando na construção de um novo mundo. Completaram a programação do Projeto Estufa o desfile de 6 designers que se encaixam nesse novo perfil de pensamento e prática como a Beira, Era, Llas, Ca.Ce.Te, Helen Rödel e o Vale da Seda.

Esses são alguns exemplos de iniciativas sérias e que passam longe do greenwashing, com preocupações reais, ensinamentos e pensamentos atuais que já estão re-significando nosso futuro.

Em breve os vídeos dos encontros do Projeto Estufa estarão disponíveis aqui no FFW na íntegra.


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×