Agente acusada de maltratar modelos em Paris fala em sua defesa

O desfile de Verão 2017 da Balenciaga em Paris ©Agência Fotosite
O desfile de Verão 2017 da Balenciaga em Paris ©Agência Fotosite

Após a grande polêmica envolvendo empresas de casting e os desfiles de Paris, a agente Maida Gregori Boina, que teve sua empresa desligada da Balenciaga, falou em sua defesa pela primeira vez. Tudo começou quando o agente James Scully postou em suas redes sociais que estavam acontecendo maus tratos com as modelos durante o casting da Balenciaga; que as meninas ficaram três horas trancadas numa sala, sem alimentação e no escuro.

Em e-mail escrito ao site Business of Fashion, a francesa classifica as afirmações do agente James Scully como “incorretas e caluniosas” e afirma que “é importante que parem os rumores e se esclareça a história”. Ela nega que tenha deixado cerca de 150 modelos no escuro enquanto almoçava, apesar de admitir que a energia elétrica falhou por alguns instantes.

Post do agente James Scully ©Reprodução
Post do agente James Scully ©Reprodução

Ainda que afastada das produções da antiga cliente e afetada com a repercussão negativa do caso, Maida afirma admirar a rápida reação da Balenciaga em cortar relações com sua agência, apesar de admitir estar chateada por não ter tido a oportunidade de discutir os fatos com a marca.

O desfile da Balenciaga é um dos mais esperados da semana de moda de Paris. Além dela, outras marcas importantes como Calvin Klein, Elie Saab e Bouchra Jarrar contratam há anos os serviços de Maida, que tem em seu portfolio trabalhos com nomes como Madonna, Michael Jackson e Elton John para veículos como a revista iDVogue Hommes internacional, dentre outras. Maida está na lista dos 500 profissionais mais importantes do mundo da moda pelo Business of Fashion.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×