11.03.2019 / Moda / por

Away to Mars faz desfile crítico sobre consumo e produção excessiva com o re-design de peças que virariam lixo

Fila final do desfile da Away To Mars na Lisboa Fashion Week / Foto: Ugo Camera
Fila final do desfile da Away To Mars na Lisboa Fashion Week / Foto: Ugo Camera

O coletivo brasileiro baseado em Londres, Away to Mars mostrou ontem em Lisboa durante a Lisboa Fashion Week sua mais nova coleção. Mas falar aqui em “mais nova” talvez faça pouco ou nenhum sentido já que dessa vez os criadores da marca, Alfredo Oróbio e a designer Marilia Di Biasi apresentaram uma coleção toda construída a partir de peças que seriam jogadas no lixo e provavelmente parariam em lixões na África. Quem ainda não o documentáerio True Cost e as as terríveis imagens  das pilhas de roupas que são levadas dos países europeus para serem descartadas no continente africano?

Projeto que se iniciou há 5 anos com o propósito de co-criação, a ATM levou seu processo a outro patamar nesta temporada. O estalo para criar essa coleção aconteceu logo após o desfile da coleção passada, em outubro quando souberam que a japonesa Marie Kondo ganharia uma serie no Netflix sobre seu método de organização da casa através do descarte. “Descobrimos que a serie que estava sendo gravada pelo Netflix pregava a organização da casa a partir do descarte das coisas que não nos atraíssem mais. Num final de semana, Marilia, Pedro Ávila e eu fomos num dos locais onde todas as roupas de descarte vão para a triagem, antes de serem levadas para lojas de segunda mão ou de serem exportadas para a India ou Africa. explica Alfredo. “Tudo isso somado, decidimos criar uma experiência e convidar as pessoas a enviar as peças de roupa que já não as davam mais felicidade para que pudéssemos criar algo novo e devolver o prestígio a aquilo que foi descartado.”

Foto Ugo Camera
Foto: Ugo Camera

Eles receberam caixas e mais caixas de roupas do mundo inteiro. Entre as peças recebidas haviam desde camisetas com a bandeira da União Européia (ameaçada pelo Brexit) ao famoso e irônico boné da campanha de Donald Trump com a mensagem ‘make America great again”.

No total eles receberam em torno de 400 peças de roupa que foram complementadas com as buscas que fizeram nos departamentos de triagem no Sul de Londres. A partir daí, por um processo de experimentação, tingimento e “cut and paste” com fitas termo-colantes, peças com um novo design surgiram e compuseram os 33 looks apresentados no desfile em um resultado extremamente fresco e contemporâneo num mix de alfaiataria e streetwear, formas rígidas e fluídas, sofisticação e descontração.

A coleção que ganhou o nome de Zero tem como principal objetivo alertar e despertar a sociedade e a moda para o consumo excessivo e descarte generalizado, fazendo as pessoas avaliarem o seu papel no mundo e a vida útil de um produto que não pode ser descartado sem a consciência de onde veio e para onde vai.

Veja a coleção completa na galeria


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×