FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade
    imagem da campanha da balenciaga

    Balenciaga: entenda a polêmica sobre campanha acusada de incitar pedofilia e abuso infantil

    Usuários das redes se revoltam e cobram responsabilidade do diretor criativo Demna. Kim Kardashian se manifesta

    Balenciaga: entenda a polêmica sobre campanha acusada de incitar pedofilia e abuso infantil

    Usuários das redes se revoltam e cobram responsabilidade do diretor criativo Demna. Kim Kardashian se manifesta

    POR Redação

    comunicado da marca emitido dia 28/11/2022

    A Balenciaga levou o “fator choque” longe demais e pediu desculpas por sua estranha campanha de objetos para casa com crianças e ursinhos de pelúcia vestindo peças do universo BDSM.

    “Pedimos sinceras desculpas por qualquer ofensa que nossa campanha de final de ano possa ter causado. Nossas bolsas de pelúcia não deveriam ter sido apresentadas com crianças nesta campanha. Removemos imediatamente a campanha de todas as plataformas”, postou a marca em um comunicado no Instagram.

    Mas o que aconteceu?

    As fotos, originalmente publicadas no dia 16/11, faziam parte da campanha de presentes de fim de ano da marca. Tiradas pelo fotógrafo da National Geographic Gabriele Galimberti, elas mostravam crianças posando com ursinhos de pelúcia e coelhos que usavam harness de couro e regata telada que são associadas ao universo fetichista. Os mesmos brinquedos já haviam aparecido no desfile de verão 23 da Balenciaga, em Paris em setembro. Segundo o fotógrafo, ele não teve nenhum envolvimento com a criação da campanha e que perdeu trabalhos desde que a campanha foi divulgada e vem recebendo emails com xingamentos e ameaças de morte.

    O ocorrido se somou a outras duas campanhas lançadas quase que simultaneamente: da coleção de verão 23 da linha Garde-Robe, com fotos de ​​Joshua Bright e da colaboração com a adidas, fotografada por Chris Maggio. Em algumas das fotos com a atriz Isabelle Huppert, é possível ver na composição do cenário, ambientado em um escritório, um livro do polêmico artista belga Michael Borremans que faz pinturas sombrias de crianças e adultos nus. Em outra foto, da campanha da collab com a adidas, sob uma bolsa Hourglass, aparece um documento da decisão do SCOTUS de 2008 (Estados Unidos v. Williams) sustentando a promoção ou propaganda de pornografia infantil como um crime federal não protegido pela liberdade de expressão.

    documento da decisão do SCOTUS de 2008 sob a bolsa, na campanha da marca

    A repercussão negativa na mídia e teorias da conspiração nas redes

    A Balenciaga pode ter deixado o Twitter, mas os usuários da rede de Elon Musk não vão dar paz a marca tão cedo por lá. Vários perfis criticaram a Balenciaga por promover pedofilia e pornografia infantil, dizendo que os materiais foram incluídos deliberadamente e que os ursos e objetos representavam fetiches sexuais. 

    A atriziz Isabelle Huppert e ao fundo livro do polêmico Michael Borremans

    Algumas pessoas acreditam que esses fatos são mais uma jogada de marketing para obter publicidade. Porém a marca nega que tenha feito essas escolhas e afirmou em comunicado que vai tomar “ações legais contra as partes responsáveis ​​pela criação do conjunto e pela inclusão de itens não aprovados” e que “condenam o abuso de crianças de qualquer forma”.

    Segundo tweets do jornalista  Louis Piano, a Balenciaga está processando a produtora North Six do cenógrafo Nicholas Des Jardins, em US$ 25 milhões. “Nicholas também é o artista que criou o cavalo da capa do  disco Renaissance de Beyoncé. A Balenciaga afirma que a cenografia de Nicholas era ‘malévola ou, no mínimo, extraordinariamente imprudente’. O que é interessante, visto que fontes da Balenciaga dizem que a direção artística foi do próprio Demna.” postou Louis em sua conta do Twitter.

    Kim Kardashian se manifesta após pressão de fãs

    A ira da redes foi além, se direcionando à celebridades ligadas à marca. Kim Kardashian, garota propaganda da Balenciaga, também se pronunciou sobre o ocorrido após ser pressionada por seus fãs nas redes sociais.

    “Como mãe de quatro filhos, fiquei abalada com as imagens perturbadoras. A segurança das crianças deve ser considerada com a maior consideração e qualquer tentativa de normalizar o abuso infantil de qualquer tipo não deve ter lugar em nossa sociedade – ponto final.” Ela ainda comentou sobre sua relação com a marca no futuro: “Quanto ao meu futuro com a Balenciaga, atualmente estou reavaliando meu relacionamento com a marca, me baseando na  disposição deles de aceitarem a responsabilidade por algo que nunca deveria ter acontecido – e as ações que espero vê-los tomar para proteger crianças.”

    Afinal, quem é responsável pela campanha?

    Muito se fala nas redes sobre uma possível proteção da marca em torno do diretor criativo Demna, tirando dele qualquer responsabilidade criativa sobre as campanhas problemáticas. Porém é comum que diretores criativos dêem a palavra final em tudo o que é relacionado à imagem de uma marca, dos desfiles às campanhas. Comentaristas de moda nas redes já apostam alto que, depois dessa polêmica, Demna seria o próximo designer a deixar uma marca do grupo Kering. A ver as cenas dos próximos capítulos.

    demna, diretor criativo da balenciaga em ação. foto: reprodução

    Não deixe de ver
    Sabrina Sato como nova embaixadora da Hope, as denúncias envolvendo a Zara e a H&M e o desmatamento no Brasil, a nova coleção da Dod Alfaiataria e muito mais
    Roberto Cavalli morre aos 83 anos
    Skinny x wide legs: uma preferência geracional?
    COLLAB DO ANO? NIKE E BODE LANÇAM SUA AGUARDADA COLEÇÃO
    Confira o calendário de desfiles da SPFW edição 57
    Anitta, Cher e Demi Moore na abertura da exposição da Dolce & Gabbana, em Milão
    Como Beyoncé ajudou a subir as ações da Levi’s
    Gisele Bündchen no Rio para o lançamento de seu segundo livro, a nova diretora criativa da Bulgari, o brasileiro vencedor de prêmio da Chanel e muito mais
    Contemporâneo Showroom comemora 20 anos com edição na Bienal
    Slingback: o sapato para virar sua aposta agora!