29.09.2019 / Moda / por

Balenciaga: uniforme x power dressing

Reprodução
Reprodução

Power dressing

O desfile da Balenciaga foi ainda mais fundo no norm core, uma obsessão e jogada de mestre que Demna Gvasalia vem trabalhando desde que assumiu a direção criativa da marca, com resultados sempre inusitados. Desta vez, ele “reinventa” o vestuário para o trabalho: “vestir-se com força, não importa o que se faça como profissão”, diz o release. 

No início, os primeiros looks de alfaiataria dão um tom corporativo e político (as credenciais com logo parecido com o da Mastercard ajuda). Gvasalia disse que não olhou para as roupas dos políticos, mas deixou escapar que estudou o estilo de Angela Merkel. E a partir dai, ele foi de um extremo ao outro, passando por uma alfaiataria mais comum, a looks com ombros poderosos, roupas de trabalho, os clássicos da Balenciaga na era Demna (vestidos florais com as botas-meias combinando, as pillow jackets, os tênis inflados…) e maxi vestidos de noite.

Um streetwear elevado, um nível acima, como se buscasse por algo para substituir o streetwear, que ele não acha que morreu, mas tampouco ainda é uma tendência.

O streetstyle não é mais uma tendência. Agora é apenas uma base da indústria de certa forma. Este desfile estava cheio de referências de streetwear reinterpretadas de uma maneira que acredito ser mais moderna. Adoro vestidos extravagantes e muitas vezes dramáticos – quem não gosta? – mas também adoro alfaiataria ‘cerebral’, tênis malucos, camiseta e jeans. Eu queria trazer tudo isso para o meu quadro estético para a Balenciaga”, disse Demna ao críticoTim Blanks. 

Xtravaganza

Os vestidos fazem referência ao legado da alta costura de Cristobal Balenciaga, mas em tecidos contemporâneos, com crinolinas removíveis (as armações usadas sob as saias), para poderem ser usados em outros ambientes além desta passarela (ou algum tapete vermelho). Uma série de cinco super vestidos apareceu de repente, para surpresa do público, em tons metalizados e em seguida em azul, vermelho e preto. Foi o flerte mais direto de Demna Gvasalia com a Alta Costura e com os volumes do fundador da maison. “É isso que eu sinto que é minha missão na Balenciaga: continuar experimentando o volume e ir o mais longe possível em termos de experimentação com volume”, disse antes do desfile ao WWD. 

Cenografia

View this post on Instagram

@balenciaga

A post shared by toariki dexter (@rddexterr) on

O desfile aconteceu num estúdio do La Cité du Cinéma, inteiramente coberto em veludo azul com centenas de cadeiras arranjadas em espiral, como se fosse uma conferência da ONU. “Queria criar um espaço novo e clean, em forma de arena, com uma estética minimalista e futurista e com esse azul como símbolo de algo novo”, disse em uma conversa com TimBlanks.

Bolsa Hello Kitty

Alguma dúvida que ela vai vender que nem água?

Super jaquetas de volta

“Pillow parkas” são feitas de tecidos leves, forrados com jaquetas infladas. Foi uma tendência há algumas temporadas, detonada por algumas marcas, incluindo a Balenciaga. Aqui, ela aparece em três momentos. 

Casting

Elisa Douglas fecha o desfile da Balenciaga / Reprodução
Elisa Douglas fecha o desfile da Balenciaga / Reprodução

O casting foi composto por muitos amigos de Demna, pessoas de carreiras diversas, como médicos, galeristas, engenheiros, advogados, artistas e até modelos de fato, representando padrões diferentes de beleza. Quem fechou o desfile foi sua amiga, a artista Elisa Douglas, que faz todos os shows da Balenciaga desde que ele assumiu. Assim, quando olhamos para o desfile da Balenciaga, conseguimos nos ver, independente de nossa idade, corpo ou profissão. Se poderemos comprar, aí já é outra conversa.

Nadja!

Nadja Auermann / Reprodução
Nadja Auermann / Reprodução

Modelo ícone dos anos 90, Nadja Auermann reaparece para deleite dos fãs e críticos de moda.

Bella

E quando a gente acha que a Bella Hadid tinha tudo… Ela ainda não tinha desfilado pra Balenciaga…

Beleza e trilha

Maçãs do rosto salientes proteticamente aumentadas / Reprodução
Maçãs do rosto salientes proteticamente aumentadas / Reprodução

A beleza foi assinada por Inge Grognard, que também fez Mugler e Peter Pilotto; e a trilha é de Loïk Gomez, parceiro de Demna.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×