27.07.2018 / Moda / por

Conheça a jovem Rafaella Caniello, estilista à frente da marca Neriage

Rafaella Caniello, estilista da marca Neriage / Cortesia
Rafaella Caniello, estilista da marca Neriage / Cortesia

A estilista Rafaella Caniello, da marca Neriage, tem 23 anos e está formada há apenas dois, mas seu nome tem ganhado cada vez mais força entre os nomes da nova geração.

Ela se formou em 2016 na faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, e Neriage foi o nome escolhido para sua monografia. A pronúncia correta é “neriagui”, termo japonês utilizado na cerâmica pra designar uma mistura de argila de diferentes cores que formam o efeito marmorizado.

A palavra não poderia ser mais perfeita pra traduzir o trabalho de Rafaella. Com muita delicadeza, ela mescla texturas, sobrepõe tons da mesma cor e equilibra as transparências e os volumes, como uma mistura de argilas. “Esse sempre foi meu objetivo com a roupa: misturar diferentes texturas de maneira que elas se tornem uma coisa homogênea, mas que guardem características especificas. A ideia é que a roupa complemente o corpo de quem está usando, que funcione como a moldura de um retrato”, diz em entrevista ao FFW.

Rafaella acaba de desfilar sua terceira coleção na Casa de Criadores, onde entrou em 2017 após ser aceita no Projeto Lab, incubadora de novos talentos da Casa. Com 15 looks, ela mostrou como tem evoluído em seu universo particular, ainda trabalhando com o elemento água como inspiração. “Ele tem a ver com liquidez e adaptação e reflete meu momento de amadurecimento. Estou conseguindo transferir mais do que eu penso em cada coleção”.

Coleção Phar 03 / Foto Caio Ramalho
Coleção Phare 003 / Foto Caio Ramalho

A entrada na CDC aconteceu logo após ter vencido a Banca de Estilo da Santa Marcelina. Ela então se inscreveu no Projeto Lab e entregou seu futuro à sorte. “Pensei assim: se eu passar na Casa de Criadores é um sinal de que a Neriage é um projeto a ser continuado. Entrei no início de 2017 e apresentei meu TCC lá, já introduzindo a Neriage como uma marca”.

E assim como muitas pessoas que trabalham com criatividade, Rafaella encontrou dificuldades com a parte burocrática e financeira do negócio. “É complicado porque nos formamos sem uma base para ter um negócio. Eu não estava preparada para abrir uma empresa, é totalmente diferente de fazer um projeto pra faculdade”, diz. A experiência que teve trabalhando em marcas como Neon, Uma e Emmanuelle Junqueira a ajudou a ter uma visão mais macro de uma empresa.

Outros desafios com os quais se deparou em sua ainda recente trajetória não são contratempos que cabem apenas aos novos: encontrar pessoas de confiança e aprender a delegar. “Quando você tem uma marca, não pode fazer tudo sozinha, tem que delegar para que o negócio gire. E as maiores dificuldades envolvem relações porque precisamos aprender a aceitar que as pessoas não verão as coisas da mesma forma que a gente e isso às vezes é bem difícil”. Rafaella fala uma coisa que ecoa de forma muito bonita e verdadeira: encontrar pessoas de confiança é a maior dificuldade e o maior presente ao mesmo tempo. “Muito doido isso, né?”.

Ter e nutrir uma marca é, no final das contas, o maior desafio por si só, mas Rafaella acredita que este é o seu propósito. “É o meu maior desafio, mas também meu objetivo de vida”, diz a estilista, já entendendo que muita coisa nasce justamente da união dessas forças opostas.

Foto Caio Ramalho
Foto Caio Ramalho

A Neriage é uma marca feminina, despretensiosa e que tem o conforto como um de seus principais pilares. “Valorizo muito isso e também a qualidade e o luxo nos detalhes. É um luxo sutil, um luxo que você sente, não que você mostra”. Rafaella é adepta do slow fashion, com um processo bastante artesanal e controle total do início ao fim. “Uso apenas tecidos nacionais e as peças são feitas por um grupo de mulheres que eu conheço e admiro”. Esse cuidado encarece o preço final – seu ticket médio fica entre R$ 800 e R$ 850. “O custo da minha peça é muito alto. As pessoas perguntam porque minha roupa é cara, mas eu tento fazer o consumidor entender que, se uma roupa é muito barata, tem algo de errado no processo. Meu objetivo enquanto marca também é fazer as pessoas entenderem que elas não estão pagando só por uma etiqueta, mas por todo um processo”.

A coleção Phare 003, desfilada na Casa de Criadores, já está à venda na Shop2gether e em breve também estará no Gallerist e na loja Pinga.


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×