21.11.2018 / Moda / por

Dolce & Gabbana cancela desfile em Xangai após ser acusada de racismo

Uma das imagens da campanha Dolce & Gabbana Loves China / Reprodução
Uma das imagens da campanha Dolce & Gabbana Loves China / Reprodução

Update: esse artigo foi editado para incluir o comunicado oficial da Dolce & Gabbana

Um mega desfile da Dolce & Gabbana com 500 looks na passarela foi cancelado de última hora em Xangai após um protesto sobre o que muitos na China (e no resto do mundo) perceberam como uma campanha racista. A marca postou em seu perfil no Weibo um vídeo de uma modelo tentando comer comida italiana com pauzinhos – o post sofreu uma avalanche de comentários negativos e foi tirado do ar em menos de 24 horas.

Mas o estrago já estava feito. Todas as celebridades chinesas convidadas para o desfile declararam que não iriam mais participar, assim como modelos-influenciadores como Lucky Blue Smith, seguido pela hashtag #BoycottDolce.

A tempestade só aumentou quando uma conversa por DM entre Stefano Gabbana e um usuário foi exposta nas redes sociais na quarta, exatamente o dia em que aconteceria o desfile – tanto Stefano quanto a Dolce & Gabbana afirmam que seus perfis foram hackeados e que eles não fariam esse tipo de comentários. A marca foi forçada a cancelar o show pelas autoridades locais.

O @dietprada foi o primeiro a dar a notícia e postou a campanha e as conversas privadas que você pode ver abaixo.

 


View this post on Instagram

As @dolcegabbana prepares to mount their next runway show in Shanghai this coming evening (7:30PM) and the rest of Instagram fawns over what’s sure to be an overly lavish “love letter” to China, we’ll be wondering if we’ll see chopsticks as hair ornaments, take-out boxes as purses, or even kimonos misappropriated as Chinese costume. Time will tell. For now, we’ll let y’all simmer on this DM between Stefano and Dieter @michaelatranova (chronology is reversed in slides). Word has it that they’re still in the process of model casting (over 200 Asian girls scheduled)…wouldn’t let them walk the show if we were their agents lol. Also, curious what the Chinese government will think of their country being called shit basically…especially considering how strict they are on who to allow to enter the country on work visas based on a thorough social media background checks. • #DGTheGreatShow #DGlovesChina #runway #fashionshow #cancelled #racism #dolceandgabbana #altamoda #rtw #dgmillennials #stefanogabbana #shanghai #chinese #china #wtf #dumb #lame #asianmodel #asian #dietprada

A post shared by Diet Prada ™ (@diet_prada) on

Essa não é a primeira vez que a marca é acusada de ser preconceituosa. Há menos de dois anos, uma campanha anterior do #DGLovesChina mostra Pequim de uma
maneira que os internautas chineses sentiram ser retrógrada e subdesenvolvida. O consumidor chinês é responsável por 33% dos gastos globais no segmento de luxo, de acordo com o último estudo da Bain & Company, segundo o BoF.

Os estilistas também se declararam contra o casamento gay e a família que resulta dessa união, causando reações imediatas de artistas como Elton John e outras milhões de pessoas ao redor do globo pedindo boicote à marca.

O FFW recebeu o comunicado oficial da marca; segue na íntegra:

“Nosso sonho era levar para Xangai um evento tributo dedicado a China que conta a nossa história e visão. Não era simplesmente um desfile, mas algo que criamos especialmente com amor e paixão pela China e por todas as pessoas ao redor do mundo que ama Dolce&Gabbana. O que aconteceu hoje foi muito infeliz não apenas para a gente, mas também para todas as pessoas que trabalharam dia e noite para realizar esse evento. Do fundo dos nossos corações, nós gostaríamos de expressar nossa gratidão aos nossos amigos e convidados”. Domenico Dolce e Stefano Gabbana.

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×