Pornograffiti: entre memes, ousadia e o anti-moda

Como a marca construiu uma forte comunidade online com uma moda sobre e melhor (e o pior) do Brasil.

Caio D'Andrea | Fotografia: Lucas Livieiro
Caio D’Andrea | Fotografia: Lucas Liviero

“Por conta do nome Pornograffiti, vários tarados e taradas do Brasil e do mundo vinham até nós pedir pornografia.” nos conta Caio D’Andrea, diretor criativo e fundador da marca Pornograffiti, baseada em Londrina, no Paraná.

Com certeza o nome é o primeiro aspecto que chama a atenção na marca, queridinha do streetwear e que despretensiosamente trilhou um caminho admirável no cenário de moda nacional. “Então começamos a tirar uma onda disso e publicávamos as conversas nos stories. Esses diálogos explodiam de interação e tinham muito mais alcance que nossas publicações mais sérias. Assim vimos o poder viral do humor e por meio de tentativas e erros fomos construindo esse nosso jeito de se comunicar.”

Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost
Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost

A marca, que surgiu como um estúdio de design em 2014, e só lançou suas primeiras peças de roupa dois anos depois, com camisetas estampadas e hoje já tem um mix de produtos que inclui agasalhos, pochetes e calças, além das camisetas. Ao longo dos anos, a marca construiu uma comunidade de fãs assíduos nas redes sociais, inclusive com uma conta privada, exclusiva para spoilers das novas coleções e para aqueles fãs especiais. Através de uma comunicação bastante humanizada e despretensiosa, a marca fala sobre memes, política, sexo e drogas sem escrúpulos (sem incentivar, mas sem hipocrisia). 

A Pornograffiti tem uma relação bem próxima com a cena clubber e techno nacional. “Talvez esse deboche seja natural aos clubbers? Quanto a nós, é natural. Aqui na Pornograffiti não temos aquelas paradas de ‘missão, visão e valores’ escritas numa parede, mas possuímos o termo Cyberpunk Brasilis que utilizamos para nortear desde nossas atitudes até nossa estética, passando também pela forma como nos comunicamos com nosso público.” afirma Caio. 

Em contraposição à posição frequentemente intocável e de perfeições que escolhe a alta moda, a Pornograffiti opta por uma comunicação próxima, debochada e até trash em um posicionamento anti-moda (ou pelo menos, anti-moda tradicional) que vai da comunicação para as estampas: “Transpor isso para as estampas foi um movimento natural. O Menino do Acre, Traditional Brazilian Family e o Padre do Balão foram alguns dos personagens de uma vasta fauna que já homenageamos. Curiosamente não temos nenhuma estampa que fala diretamente sobre meme na primeira entrega da coleção S4D_4nD_Br4z1L14N, porém, a política nunca fica de fora. Debatermos e levantarmos bandeiras referentes à nossa realidade clubber, com nosso peculiar humor ácido, é uma das formas que construímos essa comunidade on-line.”. 

A marca também lança hoje o primeiro drop da nova coleção Sad and Brazillian (Triste e Brasileiro), estilizada como S4D_4nD_Br4z1L14N. Na campanha a marca usa sua tradicional linguagem para uma crítica política potente, quando habitantes, com maquiagem e styling sobre-humanos tomam controle da imunização populacional numa clara sátira e crítica à lenta vacinação brasileira contra a COVID-19 e os antivax nacional, que se negam a tomá-las por medo de seus supostos efeitos colaterais.

Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost
Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost

A coleção vem carregada de referências à estética Y2K e é inspirada na insatisfação dos brasileiros com a atual realidade do país, que buscam no mundo virtual uma fuga a um passado nostálgico onde o deslumbramento com as tecnologias era motivo para sonhar com um futuro melhor. 

“O Brasil é um meme que nunca dorme. Historicamente, sempre fomos vistos como um povo que ri (ou faz pouco caso) da própria desgraça. Neste sentido, a Pornô, por ser uma empresa pequena, independente, que faz moda de qualidade numa realidade extremamente difícil em termos de produção, mão de obra, apoio governamental e tecnologia, apenas incorporou esse sentimento e o colocou pra fora através de uma comunicação debochada e de protesto nas redes sociais.” reflete Caio D’Andrea.

Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost
Pornograffiti, Cortesia | Foto de Ernna Cost

Para essa campanha, Caio D’Andrea divide a direção criativa com Miguel Cuenca,  direção de arte de Revoar Sabino (OKOFÁ) e fotografia de Ernna Cost.

Todas as peças da coleção estarão disponíveis ainda hoje (19/05), a partir do 12h, no e-commerce da marca.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×