30.06.2020 / Moda / por

POTENCIALIDADES > Podcast sobre Estamparia Adinkra: Símbolos e Filosofia

*Esse conteúdo é parte da serie POTENCIALIDADES com curadoria de Jal Vieira publicada aqui e em nossas redes durante a semana de 29/06 a 04/07

A estilista Jal Vieira conversa com Maria Chantal, sobre a historia da estamparia Adinkra, seus símbolos e filosofia no podcast que pode ser ouvido abaixo.

Destacamos aqui alguns dos momentos dessa conversa entre as estilistas.

“Ainda existe uma problemática sobre a cultura africana, por tratar a cultura africana como única e não plural. São mais de 50 países no território africano!” Jal Vieira

“minha mãe sempre nos ensinou o que é a África de verdade, porque na escola a gente não aprendeu” Maria Chantal

“Só se falava sobre pessoas pretas nas aulas sobre escravidão”Maria Chantal

“Como se a nossa historia só se referisse a violência, à derrota” Jal Vieira

“Pessoas brancas também ganham muito com a descolonização do conhecimento, com a desmistificação sobre o que é o continente africano. Angola não é a capital da África.”Maria Chantal

“O Adinkra era uma técnica de estamparia à mão através de símbolos que são talhados em madeira ou metal. Originalmente as pinturas eram feitas a partir de tinturas de casca de arvore, semente de argila mas como tudo, sofreu o processo de industrialização. Eu escolhi fazer esse resgate da técnica (feita à mão) e da estética.”cMaria Chantal

“Adinkra é original da região de Gana, Costa do Ouro, Benin.” Maria Chantal

“Vemos uma falta de conhecimento sobre outros aspectos da cultura africana seja sobre alimentação, moda, conhecimento cientifico.” Maria Chantal

“No ocidente aprendemos que a moda é uma questão puramente estética…ficamos nesse esvaziamento do sentido das roupas e numa exploração de matéria (prima) natural. No oriente já tinha uma visão mais avançada sobre moda. Na África tudo tem um sentido, tudo faz sentido. A roupa, os símbolos marcam de onde vem essa pessoa, o que ela faz, o que a civilização dela trás como filosofia, sabedoria, o cosmos.” Maria Chantal

“(para nós) a roupa é um documento vivo.” Maria Chantal

“Originalmente as cores mais utilizadas eram marrom, vermelho preto porque eram à base de vegetais, ligação com a natureza, respeito à natureza, todo processo conta uma historia.” Jal Vieira

“Só quem usava estamparia e símbolos Adinkra eram pessoas da mais alta nobreza, mais tarde isso se popularizou, a partir dos Ashantis.” Maria Chantal

“Eu amo tanto falar sobre Adinkra porque eu não to falando de uma coisa fútil. Não estou falando só da estética mas de questões mais aprofundadas, questões raciais, sociais, até mesmo espirituais.” Maria Chantal

O podcast também está disponível nas principais plataformas de streaming como Spotify, Apple Podcasts, Stitcher, Google Podcasts, Breaker entre outras.

*

Jal Vieira é formada em Design de Moda com especialização técnica em Produção Audiovisual e pós graduanda em Modelagem Criativa. Atua profissionalmente com estilismo há 10 anos e com sua marca própria Jal Vieira Brand desenvolve coleções com foco na cultura negra e sertaneja e suas formas de expressão no universo feminino, unindo pesquisas históricas e questões sociais à suas vivências pessoais e coletivas. 

Maria Chantal é natural de Angola e reside no Brasil, Rio de Janeiro, desde 2000. Pesquisadora autodidata do corpo feminino. Chantal também ministra oficinas presenciais e online sobre autoconhecimento feminino. Trabalho direcionado para que mulheres entendam mais sobre seus próprios corpos. Chantal também é formada em Moda e, seu trabalho de pesquisa se deu com base na Estamparia Adinkra. 

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×