SUPERNOVA: Os Melhores Lançamentos Musicais da Semana (28 – 03.06)

Japanese Breakfast, Wolf Alice, Monza e muito mais

Greentea Peng | Foto - Suki Dhanda/The Guardian
Greentea Peng | Foto - Suki Dhanda/The Guardian

Por Isadora Almeida

Monza – Zero

 

 

São quase 10 anos desde que a Monza, banda de São Paulo, se formou nos corredores da Rádio Cultura. No começo era um duo com Felipe Misale e Francisco Fernandes, depois um power trio e hoje é quarteto com Fábio Leão no baixo e Luca Galego na bateria. Hoje Foi Um Dia Fantástico (2016) primeiro álbum da banda apresenta indie rock, bedroom pop e algumas guitarras psicodélicas, tônica que também funciona em Bonsai EP lançado em 2018. “Zero”, a segunda faixa do trabalho, só ganhou um clipe agora e não tem problema nenhum com isso, já que a música é deliciosa e a animação de Gabriel Rouvier nos coloca um sorriso no rosto. Lançamento Freak.

 

 

Jonathan Ferr – Cura

 


O pianista carioca Jonathan Ferr entrega em Cura (2021), um dos registros mais bonitos do ano, timbres delicados, arranjos que nos tocam a alma e mistura elementos da nossa música brasileira de forma coesa ao jazz clássico. O álbum tem participações do cantor e ator Serjão Loroza na intensa e maravilhosa faixa “Esperança”, de Viviane Mosé em “Caminho” e na maravilhosa “Sensível” do arranjador Jaques Morelenbaum. Lançamento Slap. 

 

Japanese Breakfast – Jubilee

 

 

O terceiro álbum da norte americana Japanese Breakfast finalmente está disponível <3. Michelle Zauner, criadora e líder do projeto, já colocou no mundo em 2021 um livro (que já é) bestseller do New York Times e agora chega com Jubilee, que com certeza vai estar presente nas melhores listas no fim do ano. Lo-fi, indie pop, rock e muita sensibilidade fazem da artista uma das melhores do nosso tempo. Trabalho belíssimo e o destaque fica com a sequência de faixas, a de abertura “Paprika” e “Be Sweet”, já favorita por aqui desde o lançamento em março. Lançamento Dead Oceans.

 

 

Wolf Alice – Blue Weekend


 

Mais um lançamento do dia que é um terceiro álbum belíssimo fica com Blue Weekend da banda londrina Wolf Alice. Trazendo um recorte muito mais sensível e intimista, o trabalho se apresenta como o melhor da carreira até aqui. Letras que apresentam um universo íntimo da vocalista e letrista Ellie Rowsell tem o poder de falar diretamente com você e ressoam de forma honesta. Destaque para faixa “Lipstick On The Glass” em que Ellie confessa “I take you back / Yeah, I know it seems surprising”. Lançamento Dirty Hit.

 

 

Greentea Peng – MAN MADE

 

MAN MADE (2021) álbum de estreia da inglesa Greentea Peng chega como um das melhores estreias do ano. Um universo que conversa com Amy Winehouse, Erykah Badu e Lauryn Hill, é isso que Peng apresenta ao público é claro que assim como essas referências a cantora se mostra como uma figura peculiar e única nesse momento da indústria musical. O álbum conta com dezoito faixas e deve ser consumido como a décima quinta faixa “Meditation” propõe, em forma de meditação em comunhão com a mensagem e ritmos que ela cria. Lançamento Universal Music.



Rostam – Changephobia

 

 

Rostam Batmanglij ao longo dos anos se provou ser muito mais do que o ex guitarrista do Vampire Weekend. Excelente produtor envolvido nos trabalhos de artistas que vão desde as irmãs HAIM até o genial Frank Ocean, ainda encontra tempo para se dedicar ao projeto solo Rostam. Changephobia, segundo registro solo, é um apanhado de tudo que traz o músico até aqui. Indie pop e rock, camadas eletrônicas e art pop vibrante, perfeito para quem procura relaxar e se divertir de maneira comedida. Lançamento Matsor Projects.


JUNGLE – TALK ABOUT IT

 

 

Loving In Stereo (2021) chega em agosto e já ótimas pistas de que vai ser uma linda trilha sonora para o primeiro verão inglês pós pandemia. A mais nova amostra é “TALK ABOUT IT”. Sons ensolarados e dançantes que colocam na pista a soul music e funk repaginada por jovens britânicos. Lançamento AWAL Recordings. 

 

 

Edgar – Ultraleve

 

 

Ultraleve (2021) é o novo trabalho do rapper Edgar. De Garulhos para o mundo, o cantor traz rimas poderosas e beats que misturam gêneros musicais diversos. “Sem Medo” por exemplo tem Edgar mais cantando do que rimando, lembra algo como Criolo em “Freguês da Meia Noite”, já em “Mente Mirabolantes” ele é preciso em dizer um sentimento que todo brasileiro anseia “Mente mirabolante espera o carnaval sem lockdown”. Hoje o Brasil está longe de ser o país da alegria, existem muitas coisas a serem feitas antes que nosso povo possa sorrir um pouco de novo, mas a música da esperança para gente seguir. Que tal começar ouvindo o Edgar? O lançamento é da Deck. 


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×