19.08.2016 / Sustentabilidade / por

Roupas feitas com hemp ganham força no mercado; conheça algumas marcas

Plantação de cânhamo no Canadá ©Reprodução
Plantação de cânhamo no Canadá ©Reprodução

Em uma busca rápida no Google, é possível achar um número crescente de marcas que nascem com práticas éticas aplicadas em todos os seus processos. Mas há um segmento específico que vem ganhando força considerável: o de produtos feitos com cânhamo (cannabis sativa), também conhecido mundo afora por hemp.

Não é uma novidade, mas por alguma razão, as roupas com o “selo” hemp ainda são associadas a algo alternativo, meio hippie, de baixa qualidade e sem valor de design. Verdade que as peças feitas com cânhamo não compartilham da mesma estética que vemos nas passarelas, mas essa nem é sua proposta. As marcas criam peças em processos naturais e artesanais, localmente produzidas na maioria das vezes. E muitas têm selos de fair trade.

Podemos começar do plantio para falar dos inúmeros benefícios dessa fibra. O cânhamo pode ser criado de forma orgânica em qualquer solo e não necessita de pesticida ou herbicida para prosperar. A planta tem um sistema natural que evita a erosão do solo e seu cultivo acaba contribuindo para um ciclo mais sustentável para as pessoas e para o planeta. Ao contrário da madeira, que pode levar até 20 anos pra crescer, a fibra de hemp pode ser colhida apenas três meses depois de seu plantio e aplicada na produção de roupas, remédios, cosméticos, material para construção, etc.

Ela é biodegradável e também uma das mais fortes e duráveis entre as fibras têxteis naturais, oferecendo uma performance superior a do algodão: tem poder isolante mais eficaz, ou seja, te mantém mais quente no inverno e mais fresco no verão, além de bloquear os raios ultravioleta de forma mais eficiente.

Já o algodão, a fibra mais consumida no mundo, precisa de grandes espaços para seu cultivo e recebe agrotóxicos que podem causar riscos ambientais, além de causar danos ao solo. Mesmo com a fiscalização, vestimos nossas camisetas todos os dias sem saber o impacto desses produtos para a nossa saúde. Como comparação, a produção de algodão nos Estados Unidos consome quase metade de todos os produtos químicos usados em plantações no país.

O Brasil é um dos maiores produtores de algodão no mundo. Em 12 anos, passamos de principal importador para o terceiro maior exportador, com índice de produtividade 60% superior aos EUA, segundo dados do Ministério da Agricultura. Apenas 1% do algodão produzido no país é orgânico. “As plantações de algodão convencional são responsáveis pelo consumo de cerca de 25% da produção de agrotóxicos do mundo”, diz Dalfran Gonçalves Vale, técnico da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Assim, o cânhamo e outras fibras naturais oferecem um produto que vem junto com uma consciência. No Canadá, seu plantio já é um negócio multimilionário, uma vez que o cultivo para fins comerciais foi legalizado.

Tradicionalmente, a fibra de cânhamo é muito áspera, mas houveram avanços na criação, no tratamento e nos processos pela qual ela passa que a tornaram mais fina e macia – uma nova possibilidade para a indústria da tecelagem e um concorrente em potencial para o algodão. A questão é que o impacto que ele tem na economia de muitos países é tão grande que seu plantio é estimulado e novas tecnologias são criadas para potencializar o cultivo.

Nos Estados Unidos, a Enviro Textiles é fabricante e importadora de mais de 100 tecidos feito com cânhamo, muitos deles usados por marcas como Ralph Lauren e Versace, por exemplo. Ela é uma pioneira em tecidos sustentáveis, todos os seus produtos vêm de fontes orgânicas e cada um ganha um certificado, o Sustainable Biodegradable Products Certification, que informa ao consumidor todos os passos do processo, da matéria-prima bruta às condições de trabalho envolvidas no caminho.

Estamos apenas começando a entender nossa responsabilidade nessa história e a nos tornar mais conscientes em nossas compras. É um processo lento, mas hoje sabemos que é possível sim deixar um impacto de positividade através das nossas compras.

Abaixo, algumas marcas que produzem seus produtos com cânhamo, 100% ou misturado a outras fibras. Todas têm lojas online no próprio site e fazem roupas pensadas para o dia-a-dia, com pegada minimalista e de streetwear na maioria das vezes.

Braintree Clothing

©Reprodução
©Reprodução

Fundada na Austrália pelos amigos John e David, começou com coleções cápsula feitas com hemp e a vontade de usarem roupas naturais e com design bacana. Hoje, baseada no Reino Unido, a marca tem linhas feminina e masculina, com moletons, vestidos, túnicas, bermudas, camisetas e jaquetas.

 

Hempy’s

Captura de Tela 2016-08-19 às 09.11.40
©Reprodução

Fundada pelo surfista Albert Lewis em 1995 nos Estados Unidos, é uma marca conhecida e respeitada por produzir diversos produtos com cânhamo, de lipbalm a jeans, passando por velas, bonés e guardanapos.

Hemp Eyewear

Captura de Tela 2016-08-19 às 08.56.38
©Reprodução

Começou a partir do projeto de um estudante, Sam Whitten, que queria criar uma marca original usando materiais sustentáveis. “Somos uma equipe que pensa pra frente e promove o cânhamo através de uma moda sustentável, começando pelos óculos”. Cada óculos leva horas de trabalho artesanal, usando sempre materiais eco-friendly.

THTC

thtc
©Reprodução

Hoje considerada a grife masculina mais ética do Reino Unido, ela é focada no streetwear feito de cânhamo, algodão orgânico e fibras de plástico reciclado. Fundada em 1999 pelos irmãos Lawson, a THTC tem uma grande comunidade online e uma ligação forte com música e cultura street.

HoodLamb

hoodlamb
©Reprodução

A marca holandesa nasceu da vontade de criar uma jaqueta quente, bonita e que fosse produzida com fibras naturais. Equilibra função e estilo, especialmente nos hoodies e nas jaquetas sea shepherd. A linha de camisetas, apesar de ter um bom tecido, perde no design.

Shift to Nature

hemp-clothing
©Reprodução

Trabalham com cânhamo, algodão orgânico, bambu e outras fibras naturais. Fazem roupas e roupas de cama com design minimalista e oferecem informações de origem e processos sobre as peças compradas.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×