Os momentos mais impactantes do mundo da moda

katharine hepburn
katharine hepburn

Totalmente conectada com a história da humanidade, a moda sempre foi influenciada pelos grandes eventos mundiais, os quais contribuíram para impulsionar a sua evolução. Dessa forma, a indústria passou por muitas transformações desde os tempos antigos, contudo alguns acontecimentos foram responsáveis por provocar verdadeiras revoluções no modo de vestir das pessoas. 

Antigamente, o vestuário era muito mais restritivo, já que haviam inúmeras regras e proibições a serem seguidas, especialmente pelas mulheres que possuíam muito menos liberdade em todos os aspectos de suas vidas.

Entretanto, para mudanças capazes de quebrar paradigmas é preciso não somente um ambiente propício, como também indivíduos com uma mente criativa e visionária. Assim como em outras indústrias, as principais inovações da moda podem ser creditadas a alguém, que estava disposto a enfrentar as críticas e julgamentos da sociedade, cuja aceitação por algo completamente novo é geralmente complexa e demorada.

Muitos foram os desafios e obstáculos enfrentados para se chegar ao atual cenário da moda, que possui uma quantidade muito menor de tabus. Todavia, há muito ainda a evoluir, assuntos como roupas genderless por exemplo ainda resultam em muitas polémicas e debates. A indústria continua em constante desenvolvimento para chegarmos em um patamar em que todos possam comunicar seus estilos e gostos livremente através de suas roupas, um dos principais propósitos da moda, que nada mais é do que uma forma de expressão. Para progredir é importante ter conhecimento do passado, desse modo confira as mudanças de maior impacto ocorridas ao longo da história no mundo fashion

e55f075eae10f723d6de9a8b7df5cba1

Charles Worth é considerado o pai da alta-costura, cuja concepção foi essencial para estruturação da indústria da moda como conhecemos nos dias atuais. Ao abrir a Casa Worth em 1859, o estilista introduziu uma série de inovações que mudaram completamente o mercado como um todo e não apenas para sua clientela, a alta sociedade parisiense. Foi pioneiro em promover eventos sazonais Primavera/Verão e Outono/Inverno , onde eram apresentados os lançamentos de tendências através de modelos trajando suas criações, que foram as primeiras a receber a etiqueta como um selo de identificação.

Com isso, elevou a figura do costureiro a ser reconhecida como um artista, distinção que é concedida até hoje aos grandes designers. Mesmo sendo pequena a porção da população que possui acesso a alta costura, ela é fundamental para movimentar o setor da moda, pois ainda é um dos principais modos de divulgação do que está em alta, sendo os desfiles das Semanas de Moda mundo afora uma fonte de inspiração para todas as demais marcas. 

O fim do espartilho

5066e182a3d49ee359d800daa08fa5c0

Até o início do século XX, quando Paul Poiret propôs o fim do uso do espartilho, as mulheres se viam obrigadas a usar peças que restringiam seus movimentos e traziam grande desconforto para sua vida cotidiana. A ditadura desse artigo como item indispensável no guarda-roupa feminino durou séculos, tendo gerado diversas consequências para a saúde de muitas mulheres.

Em 1906, Poiret desenvolveu vestidos com modelagens mais soltas, permitindo a transição das peças de lingerie feminina para ligas e sutiãs. No entanto, foi somente com a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), que o espartilho realmente foi abandonado pela maioria, já que se fez necessário o uso de peças mais práticas e confortáveis em razão da maior participação feminina no mercado de trabalho.

O declínio do uso obrigatório dessa peça foi de extrema importância para a luta por igualdade de gêneros, sendo que se isso não tivesse ocorrido, não só a moda atual seria completamente diferente, mas também toda a sociedade.   

Calça feminina entra na moda

7f46dbd1dd385434db50341ea414b474

Outra conquista muito importante para as mulheres foi o direito de usar calças sem as polemicas e preconceitos que envolviam seu uso nos tempos antigos. Os primeiros modelos criados foram as pantalonas, cujas amplas modelagens se assemelhavam às saias e pouco mostravam da silhueta feminina. Foi um longo processo para a total aceitação perante a sociedade, tendo mais uma vez a maior adesão das mulheres na força de trabalho desempenhado um papel fundamental para impulsioná-lo.

Coco Chanel foi uma das primeiras a adotar a calça tanto no seu guarda-roupa quanto em suas criações na década de 1930. Após o uso da peça em uniformes femininos durante a Segunda Guerra Mundial ter se tornado frequente, pouco a pouco o item se fez mais presente no guarda-roupa das mulheres e hoje existem uma gama enorme de modelos para agradar todos os estilos.   

Surgimento da Minissaia

mary quant
mary quant

Tratando-se de mais um tabu em relação ao corpo feminino, que não poderia ficar exposto em demasia sem ser considerado vulgar, os anos de 1960 foram transgressores. Nessa época Mary Quant apresentou pela primeira vez saias com comprimentos muito acima dos joelhos, escandalizando as gerações mais velhas, mas caindo no gosto dos jovens, que estavam em busca de uma forma de se distinguir, para criar um senso de identidade como grupo. Por isso, no mesmo período é que foi concebido o conceito de “moda jovem”, muito usado na segmentação de mercado nos dias atuais.

Além disso, a minissaia foi um marco para a liberdade de escolha das mulheres que, entretanto, ainda enfrentam muitos preconceitos a respeito da exposição de seus corpos mesmo hoje em dia. 

Calça Jeans na Passarela

desfile da Calvin Klein em 1976
desfile da Calvin Klein em 1976

O jeans, em seus primórdios, no fim do século XVIII e início do XIX, era apenas utilizado para produzir uniformes para fazendeiros e operários. Por esse motivo, o material carregou a estigma, durante muito tempo, de possuir qualidade inferior, não sendo utilizado nas coleções de estilistas renomados. 

Contudo, isso mudou quando na década de 1970, Calvin Klein trouxe o jeans para as passarelas. Já disseminado entre os mais jovens, o tecido se popularizou de vez e hoje é peça-coringa no guarda-roupa de todos e se tornou recorrente nos desfiles prêt-à-porter no mundo todo, tendo sido apresentado nas mais variadas formas, indo de clássicos como calça e camisa jeans feminina até a itens mais improváveis como calçados. 

Moda Inclusiva

foto reprodução universal standard
foto reprodução universal standard

A última grande transformação no setor e que ainda está em desenvolvimento é a moda inclusiva. Cada vez mais, as marcas estão trazendo representatividade tanto para suas ações promocionais quanto para as peças em si.

Públicos como o plus size ou PcD estão finalmente encontrando mais opções para se vestirem com uma moda que realmente represente o seu estilo e atenda suas necessidades. Todavia ainda há um longo caminho para percorrer e essa e outras mudanças vão continuar acontecendo em uma indústria tão efêmera e que está em constante evolução.        


Relacionados


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×