09.05.2016 / por

Tudo o que você precisa saber sobre a nova beleza desfilada no SPFW N41

Backstage do desfile de Helo Rocha com três das principais tendências da temporada: cabelo curto (os dois à esquerda), pele iluminada e muuito natural contrastando com olhos glamourosos, metalizados e coloridos com glitter ©AGÊNCIA FOTOSITE
Backstage do desfile de Helo Rocha com três das principais tendências da temporada: cabelo curto (os dois à esquerda), pele iluminada e muuito natural contrastando com olhos glamourosos, metalizados e coloridos com glitter ©AGÊNCIA FOTOSITE

Há uma onda de streetwear raw, cru na moda, com apropriações dessa estética dos jovens que vivem as vidas na rua mesmo, andando de skate, pegando metrô de um compromisso para o outro, seguros de seu estilo intencionalmente deslocado em proporções (oversized, cabelos desconectados) propagado pelo coletivo francês Vetements e que se reflete na beleza. Desse movimento surgem duas tendências importantes vistas neste SPFW N41 e que mudam significativamente o jeito da mulher se arrumar: o cabelo curto e despenteado ou sem escova, chapinha, secador, e a pele com aspecto muuuito natural. A esses dois pontos cruciais se agregam outros elementos decorativos e glamourosos, com um foco quase exclusivo: os olhos, coloridos com sombras e glitter e/ou gráficos com delineadores puxados, desenhados no canto, em cima da pálpebra, uma loucura. Mas vamos com calma, ao desenvolvimento do raciocínio que leva à composição dessa beleza de contrastes.

+ Veja todos os desfiles do SPFW N41

A pele natural não é exatamente uma novidade, já vem vindo de outras temporadas. A mudança é que agora ela vem realmente muito iluminada, quase como se o iluminador fosse o novo corretivo. Tem tanta luz que você nem repara nos possíveis defeitos. O truque é iluminar parte de cima do nariz (sem passar na ponta), a dobrinha da parte de cima dos lábios (onde forma o triângulinho ou o coraçãozinho, dependendo do seu formato), um pouco do queixo, se quiser, o canto interno do olho e principalmente, mas principalmente mesmo, o osso da maçã do rosto, da metade para fora subindo pelas têmporas, como se fizesse uma meia lua que vai da metade do osso da maçã do rosto subindo até a têmpora, terminando na altura de onde acaba o canto externo do olho. Aí, teve desfile, como o do Reinaldo Lourenço, que nem usou base em muitas das meninas, contou Fabiana Gomes (maquiadora sênior da MAC, que assinou muitas belezas importantes dessa temporada). Só hidratante, corretivo em um outro ponto estratégico e voilà.

Junto com a naturalidade da pele vem outra mais evidente, que é a dos cabelos. Nas temporadas internacionais é ainda mais marcante a quantidade de cabelos totalmente naturais, até com frizz, bagunçados. Acabou aquele efeito liso polido e sem volume (com uma ou outra exceção): agora o negócio é assumir que na vida real há umidade – especialmente no Brasil, então essa tendência é uma maravilha para a gente – e que portanto o cabelo ganha volume, ondulação e frizados. E tudo bem, é bonito assim também. Para quem tem cabelos crespos e afros, esse é o momento de libertá-los. Mais do que os despenteados, os crespos afros e volumosos estão realmente com tudo. No comprimento, os curtos são a bola da vez, seguindo essa ideia de corte que não é certinho, que traz uma rebeldia.

Como beleza é uma questão de equilíbrio (ou de desequilíbrios que acabam criando uma harmonia ou confluem para um ponto de destaque que fica o responsável por criar essa sensação de belo – será que ficou confuso?), o “naturalismo” de cabelo e pele ganham um decorativismo exuberante e glamouroso, com foco, principalmente, nos olhos. Aí entram sombras coloridas ou multicoloridas e glitter (só Helo Rocha fez, mas fora foi muito usado, e foi tão marcante que merece entrar nos hits) aplicados de um jeito diferente, blocados no canto interno, externo e bem no meio da pálpebra e delineador com efeito gráfico e bold, desenhando o olho de um jeito tribal, como na Água de Coco, oriental, como na Lenny, começando rente aos cílios ou em desenhos mais livres na dobra da pálpebra ou acima, como na Ratier (que também ganha um contorno tribalista) e Lolitta. Poucos desfiles evidenciaram a boca colorida, mas os que o fizeram, ganharam destaque, como o tom magenta da Apartamento 03, o vermelho com efeito envernizado da Adriana Degreas (essa apostou na dupla olho e boca) e Reinaldo Lourenço e o tom marrom acinzentado caramelo hit nos anos 90, ressuscitado por Kendall Jenner e colocado na passarela da Triya.

Na galeria de fotos, veja como cada marca aplicou essas tendências e inspire-se para mudar ou potencializar o seu próprio cabelo e make.


Relacionados


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×