12.09.2017 / Cultura / por

As muitas faces e subculturas de Cuba em exposição fotográfica em Los Angeles

Helen and friends wait outside a pizzeria for their $1 pizza (2015), de Michael Christopher Brown ©Cortesia
Helen and friends wait outside a pizzeria for their $1 pizza (2015), de Michael Christopher Brown ©Cortesia

Parte da iniciativa Pacific Standard Time: LA/LA que busca evidenciar o trabalho de artistas latino-americanos em mais de 70 museus e instituições culturais no sul da Califórnia, a mostra Cuba Is explora as complexidades da vida cubana dentro e fora da ilha ao expor várias subculturas dela.

Entre as 120 fotografias expostas no Annenberg Space for Photography, em Los Angeles, registros dos jovens festeiros e ricos que representam o 1% da população; as Chonga Girls de Miami, com suas sobrancelhas arqueadas, maquiagem forte e roupas sensuais; a rede underground de compartilhamento digital de conteúdo americano, El Paquete; o grupo de punks Los Frikis, que, rejeitados e perseguidos na Cuba de Fidel por conta do visual rebelde, gosto musical e uso de drogas, decidiram se auto-infectar com HIV para ter uma chance de viver em paz num sanatório de portadores do vírus; os punks contemporâneos de Havana; jovens aspirantes a bailarinos.

Entre os fotógrafos, nomes novos e consagrados, estrangeiros e locais. Michael Dweck, Hermes Mallea, Maryse Goudreau, Alexis Rodriguez-Duarte, Raul Canibano, Alex Webb, Michael Christopher Brown, Leysis Vera, Elliott Erwitt, entre outros. Erwitt, aliás, parte do time da super agência de fotografia Magnum e que fotografou Fidel Castro e Che Guevara no período da revolução, aparece também num documentário realizado especialmente para a mostra, exibido na galeria central do espaço. Acompanhando ainda o material, Cuba Is apresenta uma experiência de realidade virtual que pretende transportar o público diretamente à cena atual da música de rua da ilha e também leva ao Annenberg Space uma pop-up da Porto’s Bakery, padaria cubana localizada em Burbank.

“Cuba é um país dividido entre passado e futuro, entre ideologia antiga e novos horizontes, entre uma cultura que resiste à prova do tempo e a necessidade de evoluir com o tempo”, comentou o presidente e CEO do centro cultural. “Cuba influenciou muito nossas costas, com ondas de imigrantes e através da música, arte e política que eles trouxeram consigo. Cuba mudou a América – e agora está mudando a si mesma, diante dos nossos olhos”.

Cuba Is fica em cartaz no Annenberg Space for Photography, em Los Angeles, até 04 de março de 2018.


Relacionados


Veja Também