16.03.2018 / Beleza / por

O que podemos aprender com as mudanças na rotina de beleza de mulheres que vivem em crise de água

0-cape-town-water-crisis

As reservas de água da segunda maior cidade da África do Sul, Cape Town, estão quase vazias – com a previsão de quatro milhões de residentes ficarem totalmente sem água até o começo de julho deste ano. Apesar de parecer distante, a crise de água tem se tornado cada vez mais uma ameaça global – inclusive para cidades como a Califórnia, que havia declarado o fim da seca de cinco anos no ano passado e já se encontra em risco novamente, devido a escassez de chuvas no inverno e a falta de conservação da água.

Ou seja, as práticas de conservação não deveriam serem tratadas como limitadas apenas a áreas afetadas pela seca, mas sim, como uma conscientização em escala global. E, por estarmos enfrentando uma crise global da água, as drásticas mudanças no estilo de vida das mulheres da cidade de Cape Town servem como um lembrete das consequências das mudanças climáticas, que não são estão tão distantes de nós.

Abaixo, listamos alguns exemplos dessas mudanças e que poderiam ser facilmente adotadas por todas as mulheres.

Usar maquiagens mais leves

Jessica da Silva, de 27 anos, que costumava usar rímel, base, delineador e batom praticamente todos os dias, conta que tem usado menos produtos cosméticos que necessitam de lavagem ou enxague em seu rosto, para não ter que lavar o rosto todas as noites. “Neste estágio da crise, o autocuidado significa necessidades básicas e fazer apenas o que você precisa fazer para funcionar”, disse em entrevista para a Glamour. E, em dias que há a necessidade do uso de maquiagem, ela usa lenços de limpeza ou tônicos, como a Água Micelar, para retirar.

Usar mais shampoo seco

Além de usar shampoo dois-em-um, para não ter que enxaguar o condicionador, algumas mulheres adotaram o shampoo a seco em suas rotinas, como Shahnaaz Abrahams Samsodien: antes da crise, a moradora da Cidade do Cabo tomava dois banhos diários, e, agora, toma um, utilizando o shampoo dois-em-um e com a água reutilizada do banho de seu filho. Ela lava o cabelo, no máximo, duas vezes por semana, tendo o shampoo a seco como quebra-galho nesse meio tempo.

“Meu cabelo sempre foi longo, mas essa seca me empurrou ao extremo,”conta Samsodien sobre a decisão de cortar seu cabelo para facilitar a higiene.

 

Coordenar as rotinas de exercício com o banho diário

Muitas academias chegaram a interditar os chuveiros de seus vestiários. Então, as mulheres adequaram a sua rotina de exercício diária, mudando para a manhã, onde aproveitam para tomar seu banho antes de ir ao trabalho.

Não depilando suas pernas

Mulheres como a moradora da cidade de 26 anos, Julia Sullivan, que sempre manteve o hábito, agora não depila mais suas pernas: “É uma grande missão,” Sullivan conta. “Eu não conheço uma mulher se quer dentro do meu grupo de amizades que ainda depile suas pernas. Algumas pessoas até mantiveram o hábito, mas todas as minhas amigas mulheres já não fazem mais”.

Migrando para o sabão liquido

Apesar do sabonete em barra ser considerado mais ecológico por usar menos embalagem e precisar de menos energia para ser produzido, foi publicado em 2009, um estudo sobre rastros ambientais nos produtos domésticos, pela American Chemical Society, onde mostra que as pessoas usam mais água ao se lavar com o sabonete em barra em comparação ao líquido.

 


Relacionadas


Veja Também