19.06.2019 / Comportamento / por

O Chama Festival e sua programação vibrante em torno da cena travesti atual

Foto do projeto Animalia, que participa do Festival Chama / Reprodução Facebook
Foto do projeto Animalia, que participa do Festival Chama / Reprodução Facebook

Além do Cinema em Transe, festival no CCSP com produção focada na comunidade trans, acontece também nesta quinta (20.06) a primeira edição do Chama Festival – Trans/Versalidades.

O evento acontece em um dos pontos artísticos mais icônicos da cidade, o Teatro Oficina, e tem uma programação vibrante em torno da cena travesti atual, com rodas de conversa, performances, shows e bazar.

O encontro que tem como objetivo promover o trabalho da Casa Chama, uma associação cultural de cuidados LGBTQIAP+ plural e fluida, que surgiu da necessidade de criar mais espaços de pesquisa, discussão e ação.

Lá é também um ambiente de convívio seguro e que produz desde eventos culturais e grupos de estudo até projetos de cuidado e apoio jurídico. E vale mencionar que, para a Casa Chama, é importante proporcionar a aproximação entre o público transvestigênere e o público aliado cisgênero, a partir da criação de um ambiente de convívio.

Transvestigênere é um termo inventado pela ativista Indianare Siqueira, que une o significado das palavras travesti, transsexual e transgênero. “É uma viagem além das roupas, além do gênero. É uma viagem de uma pessoa que pode transitar a todo momento como quiser, sem definições, mas ao mesmo tempo é possível escolher uma dessas definições que mais lhe aproveite”, diz em um comunicado da Casa Chama. 

Ao longo do festival, a administração, produção, recepção, caixas e bar serão organizados por pessoas transvestigêneres que serão devidamente remuneradas. Esse é um dos valores da Casa Chama, proporcionar remuneração onde muitas vezes as pessoas não receberiam nada por se tratar de um evento beneficente. Assim, o evento já começa com despesas e contas a pagar. Por isso, além das parcerias e apoiadores, o Chama Festival tem uma vaquinha online que fica em atividade até o dia 20.06.

Programação

13:00 – Abertura, com Guilhermina Urze, Aretha Sadick e Leona Jhovs

13:10 – Apresentação da Casa Chama, com Dig Franco

13:20 – Roda de devolutiva, mediada por Guilhermina Urze

14:30 – Roda aberta “Branco Brancura Branquitude”, com Diran Castro

15:45 – Chamamento 1, com Guilhermina Urze, Aretha Sadick e Leona Jhovs

15:50 – Performance “Doces ou Travecis”, com Pilantropov e Ney Ubhatovyanjanaka

16:10 – Chamamento 2, com Guilhermina Urze, Aretha Sadick e Leona Jhovs

16:15 – Leitura do manifesto, com Aretha Sadick e Leona Jhovs

16:25 – Chamamento 3, com Guilhermina Urze, Aretha Sadick e Leona Jhovs

16:30 – Show: Veni

17:00 – Show: Juan Guiã

17:30 – Discotecagem: Kiara

18:30 – Show: Albert Magno + Vidalles

19:35 – Show: Marina Matheus com participação de Ava Rocha

20:50 – Show: MC Dellacroix

22:00 – Encerramento, Guilhermina Urze, Aretha Sadick e Leona Jhovs

Abrindo caminhos: Audre Verneck, Ana Giselle e Yura Franco

 

Performance: Animalia (Rograg, Wesley e Cindy)

Discotecagem: Fefa

Bazar: Vicente Perrota, Transiúdica, Bandeyra Nacional

Participação: Alice Kollwitz, Sylvia Borba, Aladin Sane, Pedro Pires, Onika Bibiana, Augusto Borges, Natê Miranda e Surra de Unha

 

1º CHAMA FESTIVAL – DESAFIO TRANS

Quinta-feira, 20 de Junho

Abertura: 13h

Teatro Oficina Uzyna Uzona (r. Jaceguai, 520 – Bela Vista – São Paulo)

Informações sobre o festival e Casa Chama: (11) 2565 2074 ou (11) 99448 2641

Ingressos: de R$ 30 a R4 180 – compre aqui

 

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×