FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    Fresh Prince da Bahia e a revolução cultural da Batekoo

    Conheça Mauricio Sacramento, uma das vozes da nova geração 

    Fresh Prince da Bahia e a revolução cultural da Batekoo

    Conheça Mauricio Sacramento, uma das vozes da nova geração 

    POR Guilherme Rocha

    Quem conhece Maurício Sacramento das pistas da Batekoo, festa fundada por ele e o também DJ Mirands que celebra a cultura negra e queer, não imagina que ele é um jovem introspectivo e tímido. Maurício, 28, nascido no Vale das Pedrinhas, periferia do complexo de Amaralina em Salvador, também conhecido nas redes como Fresh Prince da Bahia, encontrou na noite, na música e na moda uma maneira de se expressar e se conectar com o mundo. Ao lado de outros jovens pretos, deu vida à Batekoo, que em 2022 virou um festival e ganha sua segunda edição neste final de semana, em São Paulo (07.10).

    Batemos um papo rápido com ele sobre o festival que deve receber cerca de 12 mil pessoas para assistirem atrações como Gaby Amarantos, as gêmeas Tasha e Tracie e Liniker, entre outros artistas.

    Como começou a história da Batekoo?

    A Batekoo nasceu no dia 14 de Dezembro de 2014 em Salvador, despretensiosamente como um espaço que pudesse aglomerar pessoas negras e criar um espaço seguro que reivindicava a produção cultural negra e queer na mão de jovens negros. Que defendesse a cultura de periferia como cultura preta e as estéticas de periferias como arte, moda, beleza. Logo essa ideia se expandiu igual um efeito dominó e esse movimento de vingança se tornou irreversível. Sorrir é uma maneira muito especial de se vingar das violências que sofremos no dia-a-dia e a Batekoo tem como um de seus principais objetivos fazer com que a gente pegue as nossas dores e transformá-las em felicidade. 

    Qual o tamanho da Batekoo hoje? Digo tanto em números quanto de influência.

    A Batekoo dialoga com milhares de jovens direta e indiretamente. É indiscutível o impacto que causamos na cultura brasileira e me arrisco a dizer até que mundial. A gente sempre referencia quem tá influenciando no topo da pirâmide, mas geralmente quem tá no topo se inspira em quem tá na base. E a base é a nossa casa. Na Batekoo hoje trabalham mais de 50 jovens negros, direta ou indiretamente, e quando estamos falando dos eventos, festivais e ações pontuais esse numero triplica.

    A estética é um fator importante na Batekoo. Como a moda faz parte do que vocês criaram?

    A Batekoo sempre foi uma marca que trouxe o público como elemento central para ser a cara do movimento que construímos. Visto isso, toda autenticidade que nasceu junto com a famosa “geração tombamento”, se tornou um novo comportamento entre as comunidades negras, LGBTQIAPN+ e principalmente de jovens que moram na periferia.

    Acredito que a Batekoo se relaciona com a moda partindo muito da liberdade que nós pregamos, tanto corporal, quanto estética e artística. Falamos que a pista é o palco e o palco é a pista, entendemos que as pessoas que frequentam as festas se sentem parte desse espetáculo, costumo dizer que sempre foi um espetáculo de nós para nós mesmos, por isso que as pessoas se vestem como se fossem a atração da noite, até porque elas são mesmo, servindo como uma forma de resgate da autoestima que não é trabalhada fora daquele local seguro.
    Até partindo dessa metodologia de hackear a moda, vestindo roupas usadas de brechó, de garimpo, de tia, ou customizadas e até de marcas próprias.

     

     

    Para quem não conhece a Batekoo, quais são as suas dicas para montar um look para o festival? 

    Acho que em primeiro lugar é pensar no clima, estamos passando por uma onda de calor, então pensem conforto e frescor – a Batekoo já é conhecida por ser um espaço onde você exalta a pele e dança e transpira muito. Então por ter essa atmosfera quente e fervorosa que exala sexualidade e flerte, acredito que peças sexys, decote e transparência é algo que geral aposta e acho foda! 

    Além de ser um lugar para você aceitar seu corpo, lá é o espaço para você mostrar como você realmente é, sem medo. Mostre suas curvas, ondulações, dobras, afinal tudo isso é bonito! 

    O Festival ocorre neste sábado dia 7 de outubro no Memorial da América Latina, em São Paulo, para mais informações acessem @batekoo

    Batekoo Festival 2023

    Data: 07.10

    Local: Memorial da América Latina, São Paulo

    Ingressos: R$140,00 a R$280,00

    Mais informações: @batekoo

    Não deixe de ver
    A relação da Geração Z com a vida noturna
    Como Mounjaro e Ozempic estão transformando nossa relação com a magreza
    Met Gala: tudo que você precisa saber sobre o evento
    Come to Brazil: continuamos trend entre os gringos. O que está por trás disso?
    Moda e comida estão cada vez mais juntas
    Está todo mundo correndo? Como a corrida se tornou o esporte que mais atrai praticantes
    Beyoncé abre inscrições de bolsas de R$25 mil para empreendedores negros e indígenas do Brasil
    O livro é o mais novo acessório da moda. E também o mais cool
    Fresh Prince da Bahia e a revolução cultural da Batekoo
    FFW