10.12.2017 / Cultura / por

Call Me by Your Name: a história por trás do filme sensação do ano

call-me-by-your-name

Descrito pelo New York Times como “emocionalmente agudo e esmagadoramente sensual”, o novo filme do italiano Luca Guadagnino, Call Me by Your Name (Me Chame Pelo Seu Nome), tem chamado a atenção pela sutileza com a qual Guadagnino trata o amor homoafetivo. O longa estreou recentemente nos EUA e na Europa e entra em cartaz no Brasil em janeiro de 2018.

Baseado no romance homônimo de 2007 de André Aciman, o filme se passa no início dos anos 80 e conta a história de Elio Perlman (Timothée Chalamet), um menino de 17 anos que passa seus dias em uma pequena vila no norte da Itália, tocando música clássica, lendo e flertando com sua amiga Marzia (Esther Garrel). Até que um dia, aparece Oliver (Armie Hammer), um charmoso americano que trabalha em seu doutorado e chega como estagiário encarregado de ajudar o pai de Elio. Seu mundo vira de ponta cabeça; Oliver agita algo em Elio (e Elio em Oliver) e o resto do filme mostra as semanas seguintes e a tensão sexual que segue com a linda cidade de Crema, na Lombardia, como pano de fundo. “O filme inteiro é uma dança de um trabalho pela timidez”, diz Guadagnino ao Mr. Porter.

Call Me by Your Name encerra a trilogia Desire, que começou com I Am Love (2009) e A Bigger Splash (2015), ambos com Tilda Swinton, musa do diretor italiano. Sua estética esplendorosa e sedutora também é refletida nos personagens. Em I Am Love, Swinton aparece impecável vestindo apenas roupas de Jil Sander (na época, sob direção de Raf Simons), o que rendeu ao filme uma indicação de Melhor Figurino no Oscar. Em 2005, Silvia Fendi o convidou para fazer um fashion film da coleção daquele ano, antes mesmo de ser um conceito entre as marcas. A Bigger Splash também teve uma mão de Simons no figurino, desta vez com a Dior.

O filme levou o prêmio de Melhor Filme e de Ator Revelação para Timothée Chalamet no Gotham Awards, premiação do cinema independente que costuma antecipar o Oscar. Os últimos três vencedores do Gotham também venceram o Oscar: Moonlight, Spotlight e Birdman.

A produção é do brasileiro Rodrigo Teixeira, da RT Features, e quem assina a trilha é o músico Sufjan Stevens, com faixas de Psychedelic Furs, Giorgio Moroder, Ryuichi Sakamoto e novas do próprio Stevens.


Relacionados


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×