15.02.2018 / Cinema / por

Marvel reforça a importância da representatividade em nova adaptação de Pantera Negra

Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Lupita Nyong’o e Danai Gurira, como parte do elenco de Pantera Negra / Reprodução
Chadwick Boseman, Michael B. Jordan, Lupita Nyong’o e Danai Gurira, como parte do elenco de Pantera Negra / Reprodução

A agenda cultural promete ficar ainda mais movimentada com a estreia nos cinemas de Pantera Negra, terceiro filme dirigido pelo cineasta Ryan Coogler, responsável por vislumbrar nos quadrinhos da Marvel a peça-chave para esta adaptação que vem causando notória repercussão ao redor do mundo – e no Brasil, a partir de 15.02.

Conduzido por temáticas variadas e atuais, o filme traz questões bastante necessárias para os nossos tempos utilizando uma conjuntura futurística regada por elementos de ficção científica, que ambientam o desenrolar dos diálogos e conflitos de um elenco poderoso na metrópole fictícia hiper avançada localizada em Wakanda, na África, graças ao seu grandioso monopólio do metal denominado vibranium. “Há muitos elementos no filme que não são fictícios e são baseados em fatos, pessoas e habilidades reais. Eu amo que Wakanda mostra isso”, conta a atriz Danai Gurira.

Na adaptação, é Chadwick Boseman que dá vida ao Pantera Negra e assume o reinado da cidade africana como rei T’Challa, após a morte do pai. Letitia Wright, Angela Bassett, Forest Whitaker, Lupita Nyong’o, Daniel Kaluuya, Danai Gurira e Michael B. Jordan compõem o elenco majoritariamente negro e trazem à tona, cada um à sua maneira, temas como a questão da falta de super-heróis negros nos filmes, a desconstrução da imagem equivocada da África pela sociedade e o empoderamento feminino.

Lupita Nyong'o, Chadwick Boseman e Letitia Wright / Reprodução
Lupita Nyong’o, Chadwick Boseman e Letitia Wright / Reprodução

Em entrevista à Vogue US, Lupita esclarece: “Ryan deixou bem claro que não queria tratar aquela já esperada e batida narrativa com rivalidade feminina. Nesse gênero, onde a maioria dos personagens veste elastano, as mulheres costumam ser abordadas pela ótica de que elas estão sempre umas contra as outras. Na nossa história há tantas mulheres distintas que estão dominando seu próprio espaço. E pode até ser que elas estejam competindo entre si, mas isso não significa que existe uma ausência de amor e respeito entre elas”.

Por fim, o filme que conta ainda com uma ótima trilha sonora com curadoria de Kendrick Lamar, composta por músicas de SZA, The Weeknd, Khalid, Beyoncé, entre outros, promete quebrar recordes como o filme de super-herói mais bem sucedido já feito e com a maior venda de ingressos antecipados durante a pré-venda – previsto a ultrapassar cerca de $120 milhões somente nesse fim de semana de estreia.


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×