FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    Chanel tem aumento de 16% de vendas em 2023 graças a Virginie Viard

    Para o WWD, os diretores da marca francesa elogiam trabalho da diretora criativa, apesar das críticas ao aumento de preço e coleções na internet

    Chanel tem aumento de 16% de vendas em 2023 graças a Virginie Viard

    Para o WWD, os diretores da marca francesa elogiam trabalho da diretora criativa, apesar das críticas ao aumento de preço e coleções na internet

    POR Gabriel Fusari

    Quem esperava uma dança de cadeiras na direção criativa da Chanel pode esperar sentado. De acordo com uma matéria publicada nesta terça-feira (21.05) pela WWD, a gigante do luxo francesa aumentou cerca de 16% de vendas do prêt-à-porter no último ano graças às estratégias que a direção da empresa tem tomado. “Apesar da desaceleração nos gastos globais com luxo, e pelas reações na web sobre o ready to wear e o aumento de preços de itens, vamos manter a estratégia da marca e a direção criativa”, disseram Leena Nair, a CEO global da marca e Philippe Blondiaux, diretor financeiro. 

    Os relatórios liberados pela marca apontam que no ano passado o total de receitas adquiridas foi de 19,7 mil milhões de dólares, aumentando vendas em todos os mercados, em especial os que recebem mais turistas, – a venda para clientes locais continuou da mesma forma. 

     

    A ESTRATÉGIA

    Além de focar nos clássicos da marca, investir pesado em maquiagem e perfumaria, parte da estratégia foi voltada para o funcionamento interno da marca. Em dez anos a Chanel mais que dobrou a quantidade de funcionários, e em 5 anos ela duplicou o tamanho de sua rede de distribuição. Além disso, a entrada de Virginie Viard logo após a morte do seu antecessor Karl Lagerfeld tem sido uma propulsora para o sucesso. Afinal, é uma mulher criando para mulheres. Para os diretores, o que tem atraído a consumidora para a criação de Viard é o conforto, as silhuetas e os caimentos das peças. 

    De acordo com Bourdiaux, desde que Virginie entrou a marca chegou a aumentar 23% até o último ano. Em paralelo a isso, é inegável ver as críticas que suas coleções recebem nas redes sociais. “As redes sociais são uma forma de feedback e olhamos para elas e aprendemos com elas e sempre temos humildade e curiosidade para aprender e melhorar continuamente. Mas se eu olhar para alguns dos outros números, a satisfação do cliente em todas as regiões aumentou. Nossas pontuações de brand equity aumentaram em todos os grupos demográficos”, pontuou Nair. 

    Não deixe de ver
    Iguatemi reúne players da moda internacional em jantar exclusivo em Nova York
    Chanel tem aumento de 16% de vendas em 2023 graças a Virginie Viard
    Novo nome da Arezzo & Co é revelado
    Rosalía como nova embaixadora da Dior, as datas dos desfiles Cruise, a coleção entre Alexandre Herchcovitch e Aramis e muito mais
    Grupo Arezzo&Co faz evento de lançamento de novas coleções em São Paulo
    João Maraschin e seu desfile em Copenhague, o programa All Stars da Converse, o lucro da Hermès e muito mais
    Como a Misci se tornou a marca mais influente do Brasil?
    Valentino e Kering com queda nas vendas, a nova CEO da Ganni, a collab entre a Melissa e a Undercover e muito mais
    A Chanel ainda vale o preço que cobra?
    Chinesa Temu chega ao Brasil em 2024
    FFW