17.01.2019 / Moda / por

Bezoomny! A coleção fantástica de Jun Takahashi para a Undercover

screen-shot-2019-01-17-at-08-55-29

Jun Takahashi mostrou uma brilhante coleção para a marca Undercover. Ele faz parte da turma dos japoneses geniais, mas com esse desfile, conseguiu se superar, viajando no tempo e ressignificando o streetwear, seja do século 17 ou o atual. A coleção teve como tema o filme Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, adaptação da obra de Anthony Burgess. O diretor tem sido foco de trabalho de Takahashi – na temporada passada ele trabalhou com 2001, Uma Odisseia no Espaço.

Abertura

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A sala está toda escura, a luz vai acendendo aos poucos através de um recorte de luz no teto do teatro. Uma gangue de personagens de outros tempos, mas ainda assim super contemporânea, abre o show, usando xales de mohair com franjas, máscaras em estilo veneziano, chapéus com plumas, empunhando bengalas que remetem ao inesquecível Alex, personagem principal do filme. Nos pés, os sneakers da mais nova colaboração da Undercover com a Nike. Um clima de ameaça e mistério tomou conta da apresentação desde o início, misturado ao encantamento de quem se deleitava com cada peça ou cada look: as cores, os materiais, os volumes, as construções e as técnicas de dimensionamento maxi fotográfico das impressões digitais.

Coleção

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O rosto de Alex (Malcolm McDowell) ou cenas do filme aparecem em diversas peças e este trabalho de design e aplicação das estampas é espetacular, de micro a grande escala, em jaquetas pfff ou looks inteiros até estampas localizadas na galocha, por exemplo. A maneira como Takahashi mistura streetwear a elementos casuais, de rua e da cultura pop, transportando o público para um outro mundo ou outro tempo não identificado, é inspiradora. Ele também trouxe para o styling vários elementos dos figurinos do filme.

Tricôs, moletons, puff jackets, jaquetas, capas de chuva, texturas felpudas que pareciam super aconchegantes e confortáveis, linda cartela de cores. Cada peça tinha o seu potencial. À medida que o show se desenrolava, havia um vai e vem de estilos entre o streetwear do início do século XVII e o equivalente do filme Laranja Mecânica.

 Nadsat

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Muitas peças vinham com palavras baseadas no dialeto fictício Nadsat, falado por Alex e seus droogs. O escritor Anthony Burgess também era linguista e usou sua experiência na área para criar esse dialeto para os personagens. É uma espécie de inglês influenciado pelo russo. Palavras como Prestoopnik (criminoso), bog (deus), droog (amigo) e mozg (cérebro) apareceram em gorros, tricôs e moletons. Essa coleção é simplesmente bezoomny, bolshy e totalmente choodessny.

+ Aprenda a falar em “nadsatês” aqui.

Colab Undercover x Valentino

Foto: Reprodução
Undercover x Valentino / Reprodução
Valentino x Undercover / Reprodução
Valentino x Undercover / Reprodução

No mesmo dia, um pouco antes, a Valentino já tinha desfilado e mostrado a sua versão da parceria. Disco voador, Edgard Allan Poe e Beethoven são algumas das estampas que foram aplicadas em ambas as coleções. Juntos, Takahashi e Pierpaolo Piccioli criaram uma grande variedade de imagens que apareciam junto com os logos das suas marcas, UV e VU. As duas versões da colaboração têm grande potencial comercial e não tinha como ser diferente: dois dos maiores talentos da moda contemporânea pensando juntos só poderia resultar em um nível excelente de produto. 

Pierpaolo e Takashi

Ao final do desfile, Piccioli foi um dos primeiros a entrar no camarim e dar um abraço em Jun. Ele contou ao editor Godfrey Deeny que já ia encomendar umas 25 peças da coleção. “As peças nasceram de uma amizade pessoal entre nós dois. Trabalhamos juntos de uma maneira bem próxima, usando nossa seleção de imagens, de Space Age a Laranja Mecânica. Não tem como explicar isso racionalmente, apenas sentimos que era o isso o que tínhamos de fazer”, disse o diretor criativo da Valentino.

Trilha

A trilha era composta por músicas do filme, como pedaços da Filarmônica de Berlim que Alex gravava em seu microgravador e o clássico Singing in the Rain, que fecha o desfile.

Convite

O convite era um pedaço da pintura The Supper at Emmaus, de Caravaggio, concluída em 1601 e parte do acervo da National Gallery em Londres.

Final

Ao final, outra gangue surge para fechar o show, desta vez, vestidos inteiramente de vermelho. Gran finale.

Primeira fila

Antigo fã da marca, Thom Yorke, do Radiohead, era um dos convidados mais notórios do desfile.

Quer ver mais? Na página da Undercover já dá para assistir ao desfile completo.


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×