A evolução de estilo de Bad Bunny

Um dos maiores artistas pop da atualidade também tem muito a dizer sobre moda

Se você é pelo menos um pouco antenado no mundo da música – e da moda -, você já ouviu falar de Bad Bunny. O artista portoriquenho, é hoje em números de streams globais, o maior popstar do mundo e também não deixa de chamar a atenção pelo seu estilo. Isso tudo com apenas 27 anos. Enquanto você pode imediatamente lembrar de unhas pintadas e saias tipo kilt – alguns de seus looks mais comentados – quando falamos no estilo do cantor, Bad Bunny tem muito a oferecer quando o assunto é moda. 

Além dos números impressionantes, o cantor já estampou a capa de diversas revistas de moda e assinou colaborações para marcas como Adidas. Tanto musicalmente quanto em seu estilo, o que diferencia Bad Bunny de tantos outros vocalistas que cantam em espanhol é sua autenticidade e a naturalidade com que ele consegue brincar e transitar por diferentes estilos. 

Bad Bunny todo de Burberry | Reprodução Instagram
Bad Bunny todo de Burberry | Reprodução Instagram

MAIS É MAIS

Apesar de ter alcançado o status de sucesso inegável principalmente no ano passado – quando o cantor lançou não um mas três álbuns – seu primeiro álbum de estúdio é de 2018. Ainda mais jovem e descobrindo seu lugar na música em meio à explosão do reggaeton mundialmente, a imagem de Bad Bunny refletia isso: de cabelo raspado “na régua” e com desenhos, óculos escuros e pose de “bad boy”, era a exata imagem que se esperava de um trapper latino. No entanto, o cantor já se diferenciava com produções extravagantes, brilhos e cores fortes, as quais o cantor tirava de letra com muito bom humor, inclusive, utilizando um terceiro olho prostético no tapete vermelho do American Music Awards, ainda em 2018. 

Bad Bunny no AMA 2018 | Reprodução Instagram
Bad Bunny no AMA 2018 | Reprodução Instagram

Sem medo do exagero e mostrando que dá pra se levar a sério sem ser chato, as cores vibrantes, brilhos e shapes largos também são parte indispensável do armário de Bad Bunny. Bem como o nome diz – em português, o Coelho Mau naturalmente se tornou um símbolo do artista, aparecendo em acessórios, estampas e em gorros com longas orelhas repetidos por algumas vezes pelo artista em red carpets e outras ocasiões.

Bad Bunny | Reprodução Twitter (@latinxnow)
Bad Bunny | Reprodução Twitter (@latinxnow)

O estilo não se restringe às roupas. Seu cabelo também tem posição de destaque: à medida que a carreira do artista decolava, ele também deixou seus cachos crescerem, em um novo visual que estilizava de diferentes formas: de ‘buns’ a tranças com acessórios. 

NO HYPE 

Bad Bunny de Louis Vuitton no Coachella 2019 | Foto: Reprodução Tumblr (@Coachella)
Bad Bunny de Louis Vuitton no Coachella 2019 | Foto: Reprodução Tumblr (@Coachella)

Quando não está usando ternos e peças de gala nos tapetes vermelhos – o que é bem comum, na verdade – Bad Bunny é grande adepto do streetwear e não recusa peças utilitárias, o tênis-hit do momento ou a última colaboração da Supreme. 

Além das marcas de streetwear, Bad Bunny também gosta e é queridinho de volta de marcas de luxo como Gucci, Louis Vuitton, já tendo sido visto inúmeras vezes com as criações de Virgil Abloh para a maison francesa. Para o Grammy deste ano ele escolheu um look todo preto com kilt da Burberry, assinado por Riccardo Tisci.

MASCULINIDADE E GÊNERO

Bad Bunny em Yo Perreo Sola | Reprodução
Bad Bunny em Yo Perreo Sola | Reprodução

Não dá para falar do estilo de Bad Bunny sem mencionar como o artista brinca com os conceitos tradicionais de gênero nas roupas e na beleza com maestria. Isso não é para dizer que o cantor é o primeiro ou pioneiro a fazer isso, mas sobre a importância de um cantor latinoamericano e um dos maiores artistas musicais do mundo de questionar o gênero na moda. 

Desde o início da sua carreira, ainda em 2018, o cantor utilizava esmalte nas unhas e chamava atenção pelas unhas longas, no estilo stiletto, que se somavam aos anéis e pulseiras. Em alguns de seus clipes, como “Yo Perreó Sola”, o cantor usa vestidos e roupas tradicionalmente femininas que, em pouco tempo, começaram a fazer parte do estilo de Bad Bunny e aparecer com frequência em red carpets e nos seus posts do Instagram.

Bad Bunny em Editorial para a PAPER | Reprodução
Bad Bunny em Editorial para a PAPER | Reprodução

Para “combinar” com a estética, sem hipocrisia, é importante notar que, enquanto não podemos chamá-lo de um ícone queer – apesar de discutir a fluidez de sua sexualidade, Bad Bunny se identifica como hétero e está em um relacionamento heterossexual, ele tem sido uma voz importante pelos direitos de pessoas LGBTQIA+ em Porto Rico e no universo da música latina.

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×