Como criticar e analisar as tendências de um desfile de moda?

Listamos algumas dicas chaves para você analisar uma coleção e detectar novas tendências como um verdadeiro cool hunter.

Miranda Priestly em cena no filme O diabo veste Prada lançando seu olhar analítico. foto: divulgação
Miranda Priestly em cena no filme O diabo veste Prada lançando seu olhar analítico. foto: divulgação

Por Mariáh Cidral

Se tem algo que aprendemos com Miranda Priestly no filme O diabo veste Prada (2006), é que nada é por acaso na indústria da moda. Cada marca tem sua própria história e cada designer projeta sua energia em suas criações em meses de trabalho até revelar sua coleção, tornando o sonho em realidade durante os desfiles das semanas de moda. 

Como mestranda em moda e hoje especialista em tendências, tive a oportunidade de participar de vários desfiles tanto no backstage – trabalhando com os designers e modelos – quanto assistindo e escrevendo sobre eles para sites de moda na Europa. Posso dizer que participar de um desfile de moda é um momento mágico: as luzes se apagam, a música toca e ali presenciamos durante alguns minutos o resultado de trabalho realizado por dezenas ou até centenas de pessoas por no mínimo três meses. Por isso eles devem ser analisados com o mesmo respeito pela crítica. 

Mas em um cenário de mundo atual onde todos avaliam e opinam sobres desfiles e tendências, será que não acabamos apenas repetindo o que ouvimos ou lemos por aí e analisando tudo de forma bidimensional e as vezes rasa? É Importante entendermos que a nossa opinião sobre uma coleção não é uma crítica em si. 

Você pode se perguntar como os cool hunters, os editores de moda, jornalistas e buyers interpretam as imagens e looks apresentados nas passarelas e os traduzem em uma mensagem entendível e desejável para o grande público? Como interpretar e criticar o que vemos a cada estação? 

cool hunters e jornalistas de moda em ação durante a Fashion Week. foto: reprodução
cool hunters e jornalistas de moda em ação durante a paris Fashion Week. foto: reprodução

Antes do surgimento da Internet, analistas de tendências realizavam grande parte de suas pesquisas em desfiles de moda, onde observavam os looks mais promissores para serem transformados em produtos e conteúdo para publicações de moda. Aproveitando que a São Paulo Fashion Week e a Paris Fashion Week masculina começam nesta nesta semana, separei algumas dicas e truques para você analisar um desfile e detectar novas tendências como um verdadeiro cool hunter. 

Comece a sua análise pelo contexto

Antes de assistir ao desfile você deve se perguntar: 

>>Para quem é esse desfile? Quem é o público alvo da marca? Seria um público mais abrangente ou de nicho? E qual nicho? 

>>Qual é o background acadêmico e profissional do designer? Em qual momento da carreira o designer se encontra (inicio, ascensão, auge, declínio)?

>>Em qual contexto social a marca está inserida? Quais são os eventos atuais que impactam a comunidade e o público alvo da marca? 

E ENTÃO ANALISE O CONTEÚDO

A segunda parte da análise consiste em analisar o conteúdo em si do desfile e isso vale tanto para desfiles físicos quanto digitais: 

>>Tenha em mente que um desfile é uma história sendo contada.

>>Geralmente nos desfiles, os designers preparam um release para os convidados. Com os desfiles digitais, as marcas passaram a compartilhar esse material em suas redes sociais. Sempre leia os posts das marcas antes ou depois do desfile.

>>Saiba que o primeiro look a ser desfilado é muito importante pois ele dá o tom da história que será contada com os outros looks que virão na sequência. Normalmente, o restante do desfile serve para entendermos os detalhes da narrativa. Já o último look é também muito importante pois ele fecha a história e muitas vezes é o mais artístico, o mais ousado. Lembre-se: uma coleção deve ser coesa em sua aparência geral, mas construída em drama, por isso vemos looks extravagantes e diferentes. 

>>Ao analisar os looks, repare também nas influências e inspirações, cartela de cores, texturas, estampas, cortes, dimensões e formas que o designer usou.

>>Repare que a escolha dos modelos também é essencial, pois personifica a coleção.

>>A beleza é outro ponto a ser considerado na narrativa. Além disso, cabelo, unhas e maquiagem usados pelas modelos impactam muitas tendências do setor. 

>>Ouça com atenção a música escolhida para o desfile, ela dá o ritmo e cria a atmosfera desejada.

>>Por fim, a locação e os elementos cenográficos e de decoração finalizam a experiência e história a ser contada no desfile. 

Parece muita coisa, mas com o tempo e prática isso acaba se tornando mais natural. Um exercício interessante a se fazer é assistir a um desfile (online mesmo) e enquanto você vê os modelos desfilando, tente descrever e escrever o que você está vendo usando palavras que descrevem emoções e adjetivos e considerando todos os pontos de análise mencionados. Se for preciso, assista novamente o desfile e então escreva a sua crítica baseada em todas as informações que você coletou e lembre-se, não é sobre a sua opinião pessoal. 

Além de passar a analisar de maneira mais crítica as coleções apresentadas, seguindo esses passos você já também poderá detectar novas tendências, pois a sua bagagem de história e conhecimento sobre moda se amplia assim como o seu olhar, que fica mais aguçado e treinado.

E você pode aprender mais sobre a detecção de novas tendências de moda e comportamento: dias 5, 7 e 12 de julho teremos a uma nova edição do curso Coolhunting – Edição Especial Alta Costura. No curso você aprenderá as teorias e diversas práticas do coolhunting em uma parceria entre a Clémentine Paris – Bureau de Tendance e o FFWaprender.

Saiba mais aqui e garanta sua vaga.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×