18.07.2017 / Moda / por

Gianni Versace: revendo a influência e o legado do estilista nos 20 anos de sua morte

Gianni Versace entre Linda, Kate, Naomi e Amber
Gianni Versace entre Linda, Kate, Naomi e Amber

Julho de 1997. Eu estava num dos lugares mais lindos que já visitei na vida: uma vila no topo de uma montanha de uma pequena ilha na Grécia. Sem hotel, pouquíssimos turistas, um segredo perdido no Mediterrâneo. Estava com meus amigos em uma taberna e ao nosso lado, os outros únicos visitantes além da gente: um casal de ingleses, ela modelo, ele representante do whisky Chivas. A primeira coincidência, eles falavam português porque ele tinha morado no Brasil como representante do whisky. Segunda: tinha conhecido meu pai, que era dono de bar. Terceira: a menina desfilava para a Versace e encontramos um assunto em comum, a moda. Mas segundos depois, ela me deu a notícia: Gianni Versace fora assassinado. Ele foi morto em frente a sua casa em Miami por Andrew Cunanan, que se suicidou alguns dias depois.

20 anos mais tarde e eu lembro deste momento como se fosse ontem. E é assim com a indústria da moda: Gianni se foi, mas continua aqui. Este foi o primeiro estilista (contemporâneo) ícone, ajudou a consolidar o boom das supermodelos e a criar o link entre moda, cultura pop e celebridades, além de conquistar bastante atenção para a moda italiana. Seu legado ainda se mantém forte, uma vez que ele criou algumas das imagens mais icônicas dos anos 90.

Abaixo, revemos a influência de Gianni Versace na moda.

Início

Gianni Versace
Gianni Versace

Giovanni Maria “Gianni” Versace nasceu em 1946 na Calábria, Sul da Itália, onde cresceu com seus irmãos Santo e Donatella. Sua mãe, Francesca, costurava vestidos e foi com quem Gianni aprendeu o ofício. Suas principais influências quando jovem foram a história da Grécia Antiga, arquitetura e Andy Warhol. Essas três referências juntas criaram a base estética da Versace. O estilista apresentou uma coleção pela primeira vez em 1978, em Milão, aos 32 anos.

Versace powersuper-models

Gianni vendia sexo e a imagem de uma mulher poderosa, exuberante e, claro, rica. Ele traçava uma conexão entre cultura pop, Hollywood, música e alta costura através de roupas super sensuais, com muito dourado, estampas animais, cores marcantes, estampas fortes, pins e o logo da medusa.

A origem das Supers

Gianni com Cindy, Stephanie Seymour, Carla Bruni, Claudia Schiffer e Naomi Campbell
Gianni com Cindy, Stephanie Seymour, Carla Bruni, Claudia Schiffer e Naomi Campbell

Para traduzir essa imagem exuberante de mulher, nada mais perfeito que esse grupo que despontava nas passarelas: Linda Evangelista, Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Stephanie Seymour, Naomi Campbell e Christy Turlington – leia-se: as modelos mais caras do mundo então – estavam sempre em seus desfiles. Essa turma deu origem ao termo supermodel e transformava os desfiles da Versace em momentos inesquecíveis. Com elas, ele conseguiu traduzir perfeitamente toda a sua paixão pela moda e pela mulher. Gianni e as supers nasceram um para o outro. Quando as marcas contratavam uma ou outra para desfilar, Gianni não apenas tinha todas, como colocava as mais tops para entrar juntas na passarela… de mãos dadas. Tipo, plaft nas inimigas.

Supermodels x Freedom!90

Esse momento específico – e inesquecível – aconteceu no desfile de Inverno 91 quando Linda, Cindy, Naomi e Christy entraram na passarela de mãos dadas cantando “Freedom!90”, do George Michael. E a presença “de palco” delas é algo espetacular. Já perdi a conta de quantas vezes assisti a esse vídeo.

S&M

Christy Turlington
Christy Turlington

No desfile de Inverno 1992, chamado Miss S&M, alguns looks eram bem fetichistas, com silhuetas inspiradas no bondage. Em sua crítica, Suzy Menkes não aprovou e disse: “não quero mulheres como objetos sexuais ou nada esse tipo”. Já o fotógrafo Helmut Newton adorou. E como o NYT noticiou na época, pouco depois houve uma noite de gala em Nova York e o que as socialites usaram? Bondage.

Campanhascaptura-de-tela-2017-07-17-as-17-57-05

Linda Evangelista fotografada por Richard Avedon na campanha de Verão 94

Assim como tudo o que fez na vida, ele também não economizou nas campanhas da Versace. Trabalhou muito com os melhores fotógrafos da época, como Irving Penn, Richard Avedon e Bruce Weber, que fotografaram Jerry Hall, Rene Russo, Jon Bon Jovi, Linda, Cindy, Christy, Naomi, Kate, Madonna… É uma delícia rever as fotos (algumas bem engraçadas) e passear pelas campanhas antigas da marca. Veja algumas na galeria abaixo. 

“Aquele” vestido

Elizabeth Hurley com look Versace
Elizabeth Hurley com look Versace

Quem não se lembra de quando ela apareceu com o safety pin dress na pré-estreia de Quatro Casamentos e um Funeral? Ela foi acompanhar seu então marido, o ator Hugh Grand, estrela do filme, mas foi Liz – com seu vestido Versace – que causou a entrada triunfal da noite. E causou tanto que ele tem até uma página na wikipedia. De atriz desconhecida, Hurley virou sensação global. “O vestido foi um favor da Versace porque eu não tinha como pagar. A equipe de Hugh me disse que não tinha nenhuma peça de gala pra mim, mas que tinha uma roupa da Versace que tinha ficado no escritório”, relembra. Para quem achou que a roupa era sexy demais, ela disparou: “Ao contrário de muitos outros estilistas, Gianni cria roupas para celebrar a forma feminina e não elimina-la”. Em 2012, Lady Gaga usou o vestido em um encontro com Donatella em Milão.

 

Uma turma bem básicamichael-jackson-wears-versace

Entre os amigos do estilista, artistas, estrelas e realeza. Princesa Diana, Elton John, Cher, 2Pac, Michael Jackson, Elizabeth Taylor e Madonna estão entre os que frequentavam seu universo. Versace criou as roupas de Michael na turnê History World Tour, em 1996. E no mesmo ano, 2Pac exibia um medalhão de ouro com a Medusa encrustada no valor de US$ 45 mil.

O adeus de Madonna

Madonna e Gianni Versace
Madonna e Gianni Versace

Logo após sua morte, Madonna publicou um texto bem pessoal sobre sua relação com Gianni e que mostra uma visão rápida de como era conviver com ele. Abaixo, alguns trechos:

“Eu dormi na cama de Gianni Versace. Claro, ele não estava lá, mas não pude deixar de sentir que eu estava absorvendo uma parte de sua aura. Havia uma energia nervosa em torno da cama de Gianni, e devo dizer que nunca dormi muito bem nela. Eu continuava querendo sair da cama e fazer coisas: escrever poesia, cheirar os gardênias e o jasmim que cercavam a casa, olhar para fora da minha janela no magnífico lago ou pressionar meu rosto no mármore frio de qualquer uma das estátuas de homens nus que decoram seus quartos.

Havia livros antigos para preencher. Pinturas antigas para estudar e arquitetura local para se maravilhar. Eu estava no céu, mas mais importante, eu tinha inveja de uma pessoa que teve a coragem de viver a vida tão luxuosamente. Eu sou muito prática para isso. Eu tinha sido convidado para ficar na vila de Gianni no Lago de Como depois de fotografar minha segunda campanha da Versace em Milão. Cheguei com namorado e minha entourage e todos nós tivemos que continuar nos beliscando para garantir que não estávamos sonhando. Todas as noites, ao pôr-do-sol, nos serviram Bellinis frescos, que tomávamos sob a magnólia gigante à beira do lago. O cozinheiro preparou refeições deliciosas, e meu cachorro foi levado para longas caminhadas por belos guarda-costas italianos com walkie-talkies. O capitão de uma lancha estava sempre à disposição para nos levar para nadar diariamente nas águas cristalinas do lago. As roupas sujas nunca ficaram no chão por mais de alguns segundos, e belos vestidos de Versace continuavam chegando sem parar. Eu tinha essa fantasia de que estava em um filme de Antonioni. Gianni telefonava regularmente para se certificar de que tudo estava ok.

Mas deixe-me ser muito clara. Os Versaces trabalham tão duro quando se divertem. Obviamente, estávamos aproveitando os frutos do trabalho de Gianni. Este era um homem com uma missão. Eu estava de férias na sua casa, ele estava trabalhando.

A última vez que o vi foi em Miami. Donatella me convidou para um jantar pré-páscoa e encontrei Gianni em ótimo espírito. Ele estava orgulhoso de sua última coleção, e a vida estava boa. Vou sentir sua falta, Gianni. Todos nós vamos sentir sua falta. Mas eu tenho um bolso cheio de lembranças no meu jeans Versace, e elas não vão a lugar nenhum”.

Tributos

Naomi chora ao desfilar em Roma após a morte de Gianni Versace
Naomi chora ao desfilar em Roma após a morte de Gianni Versace

A nata da moda se reuniu em Roma em setembro para prestar uma homenagem a Gianni, dois meses após sua morte. O show aconteceu com modelos como Naomi Campbell e Eva Herzigova andando pelas escadarias do Spanish Steps e vestindo roupas de diversos designers italianos, incluindo Versace. O que seria um super show no meio de Roma, acabou virando uma homenagem ao estilista italiano.

O balé em homenagem a Gianni Versace
O balé em homenagem a Gianni Versace

Quando sua morte completou 10 anos, um balé foi apresentado no La Scala, em Milão. Grazi Gianni con amore teve coreografia especial do francês Maurice Béjart, para quem Versace criou uma série de figurinos. Antes disso, em 2002, ele ganhou uma retrospectiva no Victoria & Albert Museum, em Londres.

Herança

Com a sobrinha Allegra
Com a sobrinha Allegra em foto de Bruce Weber

Gianni criou uma marca global feminina e masculina que ajudou a inserir e manter a Itália no mapa da moda. Seu império envolto em glamour vendia roupas, perfumes e acessórios a preços astronômicos que também resultavam em altos lucros para a empresa. Desde que foi lançada até a morte de seu fundador, a Versace cresceu anualmente. “Gianni Versace, junto com mais alguns nomes, simboliza o sucesso da moda italiana ao redor do mundo”, disse o rival Giorgio Armani no dia da morte do estilista. “Sua morte me deixou em estado de choque”. Ele deixou 50% de sua empresa para a sobrinha Allegra, filha de Donatella. Na época, sua parte estava avaliada em US$ 500 milhões, que ela herdou assim que fez 18 anos, em 2004.

Em sua mais recente coleção, Donatella olhou para o legado de seu irmão para se inspirar. Gianni se foi há 20 anos, mas sua presença parece cada vez mais forte.

Na galeria abaixo, momentos de passarela, fotos de coleções, campanhas, modelos e personalidades como Andy Warhol, Princesa Diana e Madonna.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×