18.07.2017 / Moda / por

Marcas como Rodarte, Altuzarra e Proenza Schouler abandonam o calendário de NY

Inverno 2017 de Altuzarra, desfilado em Fevereiro, em Nova York: a marca troca NY por Paris a partir da próxima temporada ©Agência Fotosite
Inverno 2017 de Altuzarra, desfilado em Fevereiro, em Nova York: a marca troca NY por Paris a partir da próxima temporada ©Agência Fotosite

Em efeito de pensamento semelhante na indústria, algumas da mais importantes marcas do calendário de Nova York estão anunciando sua debandada da cidade: seguindo os passos de Rodarte, Proenza Schouler e Thom Browne, Joseph Altuzarra divulgou nesta semana que também não fará mais parte do calendário americano a partir de setembro.

Conhecida por ser uma espécie de incubadora de jovens talentos, a semana de moda de Nova York agora vê seus outrora pupilos em busca de novos mercados. Nas últimas estações, já era comentado que o calendário havia encolhido. Agora, é oficial: o CFDA, que administra o calendário de moda americano, anunciou que a NYFW terá um dia a menos, passando de oito para sete dias de desfiles. Mas o que será que tem impulsionado isso?

Um calendário caótico, que nos últimos anos vinha crescendo cada vez mais em quantidade, mas não necessariamente em qualidade, indica uma pista. Em entrevista recente ao New York Times Kate e Laura Mulleavy, da Rodarte, afirmaram que a mudança para Paris foi como apertar o “reset”. “Começamos a sentir que éramos parte de um sistema que não representa mais a criatividade. Tudo começou a parecer hábito. Você conhece o sistema, o stress e as pressões que vêm com ele”, explicou Laura. “Em última estância, o processo deve estimular a criatividade, não impedi-la. A França trata moda como arte e não é assim nos EUA”, completa Kate, dias antes de desfilar o Verão 18 da Rodarte durante a última semana de Alta Costura. Elas foram convidadas a apresentar-se lá pela Fédération de la Haute Couture et de la Mode, organização à frente da PFW e que recentemente designou um dia do calendário da Alta Costura para coleções prêt-a-porter.

Joseph Altuzarra, que nasceu e cresceu em Paris até mudar-se para os EUA para estudar (e lá estabelecer sua marca), também recebeu tal convite. Isso indica que a Fédération tem realmente abordado estilistas para que levem seus desfiles à capital francesa. Uma reportagem do NYT ainda denota que outras figuras também tem buscado arrebanhar figurinhas da NYFW, como é o caso do produtor de desfiles Alexandre de Betak que, segundo o jornal, já estava na cola das irmãs Mulleavy há algum tempo. Jack McCullough e Lazaro Hernandez exibiram suas pré-coleções e linhas principais em um só desfile e atribuem o êxodo da Proenza Schouler a isto: mostrar as coleções duas vezes ao ano é uma tentativa de se “alinhar às realidades do comércio hoje”.

É natural que designers como esses, que estabeleceram suas marcas do zero e ganharam fama por seu talento e visão criativa, queiram dar um passo adiante e continuar a evoluir – tanto criativamente quanto em se tratando de negócios. Se eles sentem que em Nova York o sistema não tem cooperado para essa evolução, tiram vantagem da oportunidade que se apresenta como um caminho para isso. Um estudo publicado pelo Boston Consulting Group, em 2016, chegou a, de fato, encorajar estilistas a tentar algo novo face ao “sistema despedaçado”.

Devido a tal êxodo, Steven Kolb, CEO do CFDA, concedeu entrevista à edição americana da revista Vogue. “Nova York está absolutamente aberta para negócios. Nenhuma destas marcas conseguiria se apresentar em Paris se não fosse por Nova York. Apoiamos estas marcas até o ponto em que agora conseguem ir a Paris”, comenta Kolb, mas sugere que tais mudanças podem ser temporárias. “A verdade é que já vimos estilistas de Nova York irem se apresentar na Europa e depois voltarem”.

Ainda que encolhido e com grandes perdas, alguns desfiles e apresentações prometem movimentar o calendário da cidade: um dos desfiles mais aguardados toda temporada, Tom Ford dá início à semana de desfiles, que ainda conta com show de Rihanna à frente de sua linha com a Puma e Marc Jacobs encerrando o evento.

Confira, em breve, o calendário oficial da semana de moda de Nova York, Verão 2018, que vai de 7 a 14 de setembro.


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×