FFW
newsletter
RECEBA NOSSO CONTEÚDO DIRETO NO SEU EMAIL

    Não, obrigado
    Aceitando você concorda com os termos de uso e nossa política de privacidade

    Estudo inédito: o consumo de fast fashion no Brasil

    Pesquisa inédita produzida pelo FFW e DEZON coloca uma lupa sobre o consumo de moda brasileiro, com foco principal no Fast Fashion e Geração Z.

     

    Estudo inédito: o consumo de fast fashion no Brasil

    Pesquisa inédita produzida pelo FFW e DEZON coloca uma lupa sobre o consumo de moda brasileiro, com foco principal no Fast Fashion e Geração Z.

     

    POR Redação

    À medida que o poder de consumo vai trocando de mão e passando para gerações mais novas, é imprescindível que marcas e outros agentes que sofrem o impacto das transformações do mercado, façam uma análise profunda sobre os novos padrões comportamentais para continuarem com atuação relevante dentro do mercado.

    Pensando nisso, o FFW, principal plataforma independente no cenário nacional de moda e comportamento, em parceria com a DEZON, uma consultoria estratégica, criativa e colaborativa, desenvolveram uma pesquisa inédita no Brasil. Este estudo se concentra no comportamento de consumo de moda, com um enfoque específico no dinâmico mercado do Fast Fashion, elemento crucial na indústria da moda atual e com um apelo particular para a Geração Z, uma das gerações mais influentes.

    “Faz parte da rotina no FFW observar e analisar as tendências muito além da passarela. O comportamento da Geração Z e os dados de consumo têm norteado o nosso trabalho que evoluiu para além da difusão de informação de moda.  A falta de uma base de dados que gere comparativos e análises foi o que motivou a realização dessa pesquisa. Investigamos como está o consumo de moda com o boom da Shein e das fashiontechs. Para uma análise criteriosa dos dados, nos unimos à DEZON, reconhecida por seus estudos de tendência e comportamento de consumo, e juntos mergulhamos nos dados desses consumidores elencando suas preferências e ansiedades, ajudando assim a nortear as ações do voltada para esse público”

    Augusto Mariotti, fundador e diretor-executivo da FFW

    A pesquisa envolveu um extenso grupo de participantes, com mais de 400 entrevistados, com ênfase na participação das gerações Z e Millennial, especialmente da região Sudeste – epicentro das tendências de consumo. A metodologia empregada se baseia em cinco pilares de análise cruciais, a saber: acesso e status, qualidade em comparação com preço, sustentabilidade e transparência, inclusão de diversidade de tamanhos e a identificação de tendências emergentes.

    Com os dados que a pesquisa trouxe, foi possível traçar a maneira como as gerações mais jovens gastam seu dinheiro, qual prioridade elas têm nas suas escolhas de compra, a percepção sobre qualidade e como isto impacta na visão e estratégia de varejo das fast fashion nacionais e internacionais no país. De acordo com a pesquisa, 73% dos entrevistados enxergam as práticas do fast fashion, como transparência e problemas que atingem ao meio ambiente, de forma negativa. No entanto, mesmo com essa alta porcentagem, 21% das pessoas que responderam não deixariam de comprar por conta do fácil acesso às tendências e dos preços mais baixos.

    “Nosso papel foi a análise dos dados a partir da perspectiva sociocultural de como as gerações se comportam em relação ao consumo de moda. Com um olhar inovador e focado no futuro, acredito que esse estudo é de suma importância para que as marcas brasileiras consigam estar à frente das estrangeiras no nosso mercado”

    Iza Dezon, cofundadora da DEZON Creative & Prospective.

    Outros desafios do mercado apontam a relação da moda democrática com a sustentabilidade, principalmente no quesito de compreensão e comunicação das marcas com seus consumidores. Nesse tópico, a pesquisa mostrou que, enquanto apenas 6% priorizam a sustentabilidade, 73% dos 94% dos que não o priorizam acham produtos sustentáveis muito caros.

    “É um mergulho importante nas novas gerações. Entender suas complexidades é fundamental para se manter relevante no futuro próximo”

    Camila Yahn, editora do FFW

    A pesquisa oferece dados e insights que servem de inspiração e apontam caminhos para o futuro do varejo de moda e estará disponível com diferentes opções de formato e valores.

    Se você tem interesse em conhecer os detalhes do estudo, os dados e insights entre em contato por email: laura@dezon.com.br

     

    Não deixe de ver
    Iguatemi reúne players da moda internacional em jantar exclusivo em Nova York
    Chanel tem aumento de 16% de vendas em 2023 graças a Virginie Viard
    Novo nome da Arezzo & Co é revelado
    Rosalía como nova embaixadora da Dior, as datas dos desfiles Cruise, a coleção entre Alexandre Herchcovitch e Aramis e muito mais
    Grupo Arezzo&Co faz evento de lançamento de novas coleções em São Paulo
    João Maraschin e seu desfile em Copenhague, o programa All Stars da Converse, o lucro da Hermès e muito mais
    Como a Misci se tornou a marca mais influente do Brasil?
    Valentino e Kering com queda nas vendas, a nova CEO da Ganni, a collab entre a Melissa e a Undercover e muito mais
    A Chanel ainda vale o preço que cobra?
    Chinesa Temu chega ao Brasil em 2024
    FFW