21.09.2020 / Moda / por

O Estado da Moda, 6 Meses Depois: André Boffano, Modem

lanscape-andreboffano

Este conteúdo é parte da serie de entrevistas “O Estado da Moda, 6 Meses Depois”. Durante o mês de setembro vamos conversar com os personagens da moda brasileira (diretores criativos, estilistas, criadores de imagem, empresários) para entender a visão de cada um sobre o momento atual e sobre o futuro da moda, seu passado recente e o que funciona e o que não funciona mais. Que essas conversas possam apontar caminhos.

___________________________________________________________

André Boffano, fundador e diretor criativo da Modem (desde 2015) e head de estilo da Bobstore (desde 2017).

 

Quando isso começou, em março…

A Modem estava finalizando a entrega da coleção Inverno/20 e se preparando para o lançamento da coleção Verão/21 para o atacado, além do desfile. Havia desenvolvido uma estratégia de negócios e previa um crescimento de pelo menos 50% no faturamento anual da marca.

Nos últimos 6 meses…

Tudo mudou. O mercado é outro, o tipo de produto que o cliente busca é outro, e as nossas cabeças criativas e de negócios mudou muito.

Mudar as estratégias e repensar o negócio e os produtos se tornou obrigatório para qualquer marca de moda que quis sobreviver sem maiores prejuízos.

Mesmo com a retomada gradual das atividades, consigo perceber que « moda » nunca foi entendida como valor cultural e social em nosso país, nosso mercado encolhe a cada dia, e os motivos vão além da (catastrófica) situação econômica e política do país.

Sobre pensar em desistir ou mudar completamente o negócio

Não, mas precisei de duas longas semanas em Março para entender, digerir e criar as minhas soluções. As adversidades existem desde a criação da marca, a Modem nasceu no meio da crise em 2015 e sempre se preparou com um pensamento de crescimento orgânico e consciente.

Sobre os impactos das questões socio-culturais mais urgentes 

Para mim o impacto foi enorme e muito esclarecedor na minha cabeça. A Modem surgiu com pensamento focado em produto e design, porém isso não faz mais sentido hoje em dia sem ser associado a um pensamento solidário e humano.

_

“O futuro para mim é sobre equilíbrio, conhecimento e empatia.”

_

Sobre os planos de curto prazo

A marca antes, unicamente comercializada através do mercado de atacado, criou novos formatos de negócio desde então. Desde Abril criamos produtos para serem vendidos exclusivamente em nosso canal online, cujo objetivo tem sido apoiar projetos sociais importantes para a marca e também oferecer produtos adequados para cada momento.

Esta linha online oferece peças casuais e diferentes dos produtos propostos na linha vendida para o atacado, com preços mais acessíveis, ter rapidez de giro e ainda fazer doações.

Como vejo o futuro da criação de moda…

É e continuará sendo fundamental para dar vida a uma marca de moda reconhecível.

O mercado de moda que ainda acredita em volume grande de vendas, de 10 anos atrás, tende a valorizar cada vez menos a criação, mas eu acredito que ela seja fundamental para nos diferenciar uns dos outros. Me refiro à criatividade não apenas aplicada ao produto, mas também na comunicação e nos negócios.

O futuro para mim é sobre equilíbrio, conhecimento e empatia.

@modemstudio


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×