28.04.2017 / Moda / por

Os 70 anos da maison Christian Dior comemorados em super mostra no Les Arts Decoratifs, em Paris

O New Look e o blazer Bar, da coleção couture Verão 1947 ©Reprodução
O New Look e o blazer Bar, da coleção couture Verão 1947 ©Reprodução

Em comemoração aos 70 anos da maison Christian Dior, o museu Les Arts Decoratifs, em Paris, planeja sua maior exposição de moda até hoje. Christian Dior, Couturier du Rêve (costureiro dos sonhos, em tradução livre), será inaugurada durante a próxima temporada de alta costura, no dia 05.07 – é a primeira vez que as criações da maison serão apresentadas juntas de forma tão abrangente.

“O que faz essa mostra excepcional é que ela ocupa os dois principais espaços para exposições temporárias do museu”, disse Olivier Gabet, diretor do Les Arts Decoratifs, quem assina a curadoria da mostra ao lado de Florence Mülller, que já trabalhou numa exposição da Dior em Pequim, na China.

A ideia é contar a história cronológica da casa, iniciando com o percurso de Christian Dior, dando detalhes e referências que compuseram seu universo. Ao todo, serão exibidos mais de 300 vestidos de alta costura, que foram criados desde o surgimento da marca, em 1947, pelo próprio Dior (1905-1957), até os dias de hoje, com as criações de seus sucessores Yves Saint Laurent, Marc Bohan, Gianfranco Ferré, John Galliano, Raf Simons e a atual diretora criativa, Maria Grazia Chiuri, incluindo um vestido de sua primeira coleção couture para a maison (Verão 17), apresentada em janeiro deste ano.

Especialmente os vestidos que foram usados pela realeza – as princesas Diana e Grace, de Mônaco, por exemplo – e celebridades, como as atuais embaixadoras da marca Charlize Theron e Jennifer Lawrence, estarão à mostra como destaque da exposição, no salão principal do museu, cujo teto arqueado possui 50 metros de altura e foi recriado inspirado na Galeria dos Espelhos, do Castelo de Versalhes.

Vestido Essence d’herbier, assinado por Maria Grazia Chiuri para a coleção couture Verão 17, apresentada em janeiro deste ano ©Reprodução
Vestido Essence d’herbier, assinado por Maria Grazia Chiuri para Verão 17 couture, apresentado em janeiro deste ano ©Reprodução

O espaço, que ocupa 3000 m², foi assinado pela designer de interiores Nathalie Crinière, que recriou cenários como uma galeria de arte e um jardim, para endossar os temas criativos que construíram o vocabulário de Dior, além de um ateliê de alta costura para ilustrar os bastidores de uma coleção couture, possibilitando aos visitantes conhecer de perto o ambiente em que as costureiras da maison trabalham – algo que pudemos minimamente vislumbrar com o documentário Dior e Eu, de 2015.

Ainda completam a mostra uma seleção de acessórios, que inclui bolsas, sapatos, joias, chapéus e frascos de perfume; pinturas, móveis e obras de arte que estiveram na casa e ateliê do couturier; peles que foram produzidas por Fréderic Castet; looks de beleza assinados por Serge Lutens, Tyen e Peter Philips; perfumes de François Demachy; além de uma variedade de documentos do patrimônio de Dior, antes nunca vistos em Paris, como fotografias de moda, esboços, ilustrações, cartas e campanhas publicitárias.

Por se tratar de uma mostra superlativa, muitos dos objetos foram emprestados de outros importantes museus, como o Costume Institute do MET, em NY, o Victoria & Albert, em Londres, além dos franceses Louvre, Centro Pompidou e a Fundação Pierre Bergé-Yves Saint Laurent.

Christian Dior, Couturier du Rêve estará em cartaz de 05 de julho a 07 de janeiro de 2018, no Les Arts Decoratifs, em Paris


Relacionadas


Veja Também

Assine a Newsletter do FFW

Receba semanalmente no
seu e-mail nossos conteúdos
especiais e exclusivos

×