03.07.2017 / Moda / por

Os destaques por trás do desfile que celebra 10 anos da marca Iris Van Herpen

Iris Van Herpen ao final de seu desfile de Alta Costura foto: FOTOSITE
Iris Van Herpen ao final de seu desfile de Alta Costura foto: FOTOSITE

10 anos

A estilista holandesa Iris van Herpen / Reprodução
A estilista holandesa Iris van Herpen / Reprodução

A holandesa Iris Van Herpen celebra 10 anos de sua marca. Nesse período, Iris se transformou em uma das principais designers que usam suas experimentações para levar a moda adiante, empurrando limites, quebrando barreiras e propondo novos valores e maneiras de olhar e vestir uma roupa. O público entra no território da arte e do laboratório profundo pelo qual a Alta Costura é conhecida.

+ Veja o desfile completo aqui

Aeriform

Foto de Morgan O'Donovan / Reprodução
Foto de Morgan O’Donovan / Reprodução

A coleção ganhou o nome de Aeriform e teve como destaque esse vestido feito por uma renda de um metal super leve e cortado a laser. Depois o laser é usado novamente para fazer os padrões florais geodésicos e então é moldado à mão em 3D, com mangas que se encolhem com o calor. Essa moldura é então costurada a um vestido de tule invisível. “Trata-se de materialidade e leveza no ar”, disse Van Herpen ao editor Godfrey Deeny. A peça foi construída em colaboração com o canadense Phillip Beesley, artista visual, arquiteto e professor de arquitetura na Universidade de Waterloo. Seu trabalho é focado na tecnologia e cultura em rápida expansão de sistemas responsivos e interativos.

Coleçãoscreen-shot-2017-07-03-at-10-47-52-am

Elogios como incrível, maravilhoso, espetacular foram usados nas redes sociais para descrever a coleção. O trabalho de Iris é mesmo algo para se ver de perto e em detalhes. Os vestidos são longos, volumosos e arquitetônicos, mas de uma leveza quase incompreensível. Corte a laser aqui é apenas o começo. Há rendas prateadas costuradas à mão que criam ondas quando a modelo anda. Uma peça foi feita de aço cortado a laser, formando uma teia de aranha de metal. Outra foi construída em mylar, um tipo de resina de polyester usada normalmente para fazer plástico resistente ao calor.

Concerto debaixo d’água

Foto de Morgan O'Donovan / Reprodução
Foto de Morgan O’Donovan / Reprodução

Além dos vestidos complexos, outro ponto alto da apresentação foi a participação do grupo Between Music na cenografia e trilha do desfile. Essa banda de cinco integrantes mostrou o concerto AquaSonic, em que os músicos tocam seus instrumentos debaixo d’água. É uma visão fascinante e intrigante. Os integrantes entram em tanques de vidro cheios de água e tocam instrumentos que criaram e customizaram para a situação. A criação deste trabalho levou anos de experimentações e inúmeros testes em colaboração com mergulhadores de profundidade, cientistas e criadores de instrumentos, assim como Iris, pessoas impulsionadas pelo desejo de abrir novos caminhos e desafiar as visões de mundo existentes.

Locaçãocirque-dhiver

O desfile aconteceu no Cirque d’Hiver e as pessoas entravam num lugar totalmente escuro. Quando as luzes se acendiam devagar, o público percebia cinco grande stanques de água com músicos dentro. O Cirque foi inaugurado em 1852 e construído pelo arquiteyo Jacques Hittorf.

 E a festa pós show mais tarde tem como DJ ninguém menos que… Bjork.

 

 


Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×