01.09.2015 / Cultura / por

Nelson Leirner ocupa Galeria Vermelho e discute originalidade na arte

Última Ceia (2013), de Nelson Leirner
Última Ceia (2013), de Nelson Leirner

Na noite desta terça (1/9) acontece a abertura da exposição “Nelson Leirner, leitor dos outros e de si mesmo”, na Galeria Vermelho (SP). Na mostra, que ocupará todos os dois andares do endereço, o artista ganha uma espécie de retrospectiva muito provocadora, com obras que discutem a questão da originalidade na arte. Leonardo da Vinci, Velázquez, Mondrian e Lucio Fontana são alguns dos importantes artistas que entraram na mira de Leirner, num misto de homenagem e ironia, em interpretações que trazem zíperes fechando as famosas fendas de Fontana, moscas em As Meninas, de Velázquez, óculos escuros na Monalisa e puxadores de gavetas na icônica geometria de cores primárias de Mondrian.

De alma questionadora, o artista já integrou várias edições da Bienal de São Paulo assim como se negou a participar de duas (1969 e 1971) para posicionar-se contra a ditadura militar vigente na época no País. Também foi um dos fundadores do Grupo Rex, que, nos anos 80, junto com outros artistas como Wesley Duke Lee, debateu o sistema institucional da arte. Pintor, desenhista e realizador de instalações e happenings artísticos, preserva, aos 83 anos, o espírito vanguardista que cultiva desde os anos 60, o que faz sua obra ser tão instigante e atual hoje.

Traduções: Nelson Leirner leitor dos outros e de si mesmo
Galeria Vermelho: rua Minas Gerais, 350, São Paulo
tel. (11) 3138-1520
De 1/9 a 3/10 (abertura hoje para convidados)


Relacionados


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×