Isaac Silva lança coleção com Casa Neon em prol da causa LGBTQIA+

A linha Marca Visível reverencia trajetória da comunidade por meio de cicatrizes impressas em roupas

Foto: Cortesia
Foto: Cortesia

Com o propósito de se manifestar em apoio à causa LGBTQIA+, o estilista Isaac Silva em parceria com a Casa Neon Cunha desenvolveu a coleção Marca Visível, que busca ressignificar cicatrizes de trajetórias por meio de roupas. 

Cada uma das peças presentes nessa linha contam histórias de pessoas que fazem de suas cicatrizes seus símbolos de resistência. É possível conhecer de perto cada vivência por meio da tecnologia NFC ao aproximar o celular da roupa.  São seis peças na cor branca com um pequeno detalhe colorido simbolizando a cicatriz de cada personagem que inspirou a peça.

Eles são Renata Perón, mulher trans, que têm uma cicatriz na região do rim após perder parte do orgão numa agressão sofrida por skinhead; Samuel Samuka, gay, que tem como cicatriz suas lembranças de agressões na infância; Kad Santos, mulher trans, tem cicatrizes diversas pelo corpo de agressões sofridas ao longo da vida; Amanda, mulher trans, que têm uma cicatriz de um tiro nas costas sofrido na rua; Ray, mulher não binária, tem cicatrizes de agressões e automutilação e Bernardo Gael, homem trans, que tem uma cicatriz na região do seio por conta da remoção das mamas. 

Por meio da tecnologia NFC, é possivel conhecer a história de pessoas que inspiraram a coleção / Foto: Cortesia
Por meio da tecnologia NFC, é possivel conhecer a história de pessoas que inspiraram a coleção / Foto: Cortesia

“São histórias de orgulho e resistência. As peças da coleção contam casos reais de pessoas que, ao encontrarem acolhimento e proteção, conseguiram superar a violência e ressignificar suas próprias cicatrizes. Quando “tiramos” essas cicatrizes da pele e transformamos em marca de roupa, nós estamos mandando uma mensagem para todas as pessoas que existe uma rede de apoio, que existe amor e acolhimento, que estamos todos juntos nessa”, afirma Isaac Silva, estilista responsável pela produção das peças. 

Um dos propósitos dessa coleção, além de exaltar e defender o legado da luta LGBTQIA+ no Brasil (que de hora em hora, um membro da comunidade é agredido de acordo com dados do SUS de 2020), é destinar 100% do lucro das vendas para a instituição Casa Neon Cunha, que é uma organização não governamental sem fins lucrativos que acolhe e presta serviços de cidadania voltados à população LGBTQIA+ na grande São Paulo. 

Cada uma das peças apresenta uma cicatriz desenhada como forma de representar da trajetória de indivíduos da comunidade LGBTQIA+ / Foto: Cortesia
Cada uma das peças apresenta uma cicatriz desenhada como forma de representar da trajetória de indivíduos da comunidade LGBTQIA+ / Foto: Cortesia

Relacionadas


Veja Também

Assine a newsletter do FFW

Seja o primeiro a ter acesso a conteúdos exclusivos. Nós chegaremos ao seu email semanalmente quando tivermos algo realmente cool e relevante para dividir.

×